Pequenas e médias empresas recorrem a tecnologia para combater burocracia

unnamed (5)

Micro e pequenos empresários brasileiros gastam, em média, 135 dias por ano de trabalho só com a execução de tarefas administrativas, o que causa a perda de R$ 79,5 bilhões anuais, de acordo com estudo realizado pela consultoria Plum. Além disso, no Brasil, são gastos aproximadamente 79 dias para abrir um negócio e, ainda assim, o número de novos empreendimentos continua crescendo.

Um dos maiores desafios enfrentados pelos novos administradores é com a saúde contábil dos seus empreendimentos. De acordo com um relatório divulgado no último ano pelo Banco Mundial, o Brasil é o país onde mais se gasta tempo com a burocracia tributária no mundo. Aqui as empresas gastam, em média, 1.958 horas por ano para cumprir todas as regras do Fisco. E uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT) estima um gasto de cerca de R$ 60 bilhões em 2016 somente para calcular e pagar impostos.

A resiliência e perseverança dos empresários é impulsionada pelo surgimento de tecnologias que tentam facilitar e aumentar o tempo de vida de pequenas e médias empresas. Caso do empreendedor paulistano Caio Motta, fundador da Elementar Digital, que, para superar os obstáculos e burocracias no processo de abertura de seu negócio, recorreu à Contabilizei, escritório de contabilidade que usa tecnologia para desburocratizar compromissos contábeis.

“Entendemos que esta é uma área fundamental para o sucesso do nosso negócio e com o uso da tecnologia conseguimos fazer uma gestão mais simples e confiável”, justifica Caio. O CEO da Contabilizei, Vitor Torres, conta que o principal investimento da empresa é justamente no setor. “Nosso propósito é deixar a contabilidade mais transparente, automatizando todos os procedimentos obrigatórios, desde as folhas de pagamentos e impostos até os recibos de entrega, e garantindo maior segurança para as empresas dos nossos clientes”, explica.

O impacto da tecnologia na diminuição da burocracia e, por consequência, em um caminho menos tortuoso para empreendedores pode ser notado também na Zebu Mídias, coletivo que se uniu na faculdade com o objetivo de desenvolver formas de comunicação mais sustentáveis (tinta orgânica, flyer de bambu, banner de musgo etc). “Sempre trabalhamos com softwares de gestão online tanto na parte financeira quanto na organização de tarefas”, explica Amon Pinto, um dos co-fundadores.

Tags , , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.