Startup traz, com robótica, maior interdisciplinaridade e dinâmica de ensino mais atrativa aos alunos

unnamed

Elementos como protótipos já começam a entrar da dentro da sala de aula, incentivando os alunos a colocar a “mão na massa”. Uma das empresas que fazem parte do que está sendo chamado de movimento maker é a Microduino. Fundada em 2013 em Pequim pelos chineses Bin Feng e Tiki Wang, é hoje uma das líderes globais nesse segmento e há pouco mais de um ano escolheu Curitiba como sede do seu escritório e base de desenvolvimento de novas soluções no Brasil.

Com investimentos recebidos via plataforma de crowdfunding Kickstarter, Qualcomm e pelo fundo Sequoia Capital China desde a sua criação, o fator de motivação da Microduino, que tem Gustavo Chien como Country Manager e responsável pela operação brasileira é a busca por novas formas de ensinar e tornar as disciplinas tradicionais mais atrativas para os alunos. A empresa é criadora de diversos kits de montar para o aprendizado de eletrônica na metodologia STEAM, que une os conceitos de ciência, tecnologia, artes, engenharia e matemática e propõe uma maior interdisciplinaridade para o ensino de robótica.

E na prática, como tudo isso funciona?

Pode parecer complicado, mas esses materiais tornam os conceitos de eletrônica mais próximos das crianças em sala de aula. A chave está na geração de interdisciplinaridade que os módulos proporcionam. “As possibilidades são infinitas. Com os kits, os educadores proporcionam um aprendizado pelas experiências reais com temas e situações de uma forma lúdica e prática ao mesmo tempo. Desenvolvemos opções que se adequam a cada faixa etária para que a robótica, um conhecimento essencial para as novas gerações, esteja inserida desde os primeiros anos de vida”, conta Gustavo Chien, Country Manager da Microduino Brasil.

Olhar especial para as escolas brasileiras

Para Bin Feng, cofundador da Microduino que esteve presente durante a última edição da Bett Educar, “Nós estamos tendo uma maior demanda dos consumidores brasileiros, porque eles estão buscando investir mais na metodologia STEAM”, diz. Tendo impactado 8 milhões de jovens em todo o mundo, atualmente a empresa trabalha com em média 25 escolas no Brasil e começará o próximo ano letivo com 500[1] [2] [3] instituições fazendo uso dos kits em sala de aula. Para além disso, a empresa tem tem o plano de tornar o País seu terceiro mercado em 5 anos, representando de 15% a 20% do seu faturamento global.

“Nos próximos 2 anos esperamos tornar a operação brasileira em um polo de desenvolvimento de software e conteúdo pedagógico. Pode parecer estranho, mas o custo da mão-de-obra especializada no Brasil é muito próximo da chinesa e com um nível técnico muito bom também”, conta Gustavo.

Feng aposta que integrar disciplinas ajuda a aumentar a capacidade de aprendizado. “O lado esquerdo do nosso cérebro é muito bom para a lógica, ciência e matemática, enquanto o lado direto tem facilidade com a criatividade, arte e imaginação. Se nós conseguimos trabalhar com essas duas áreas juntas, as crianças aprenderiam melhor”, afirma Feng.

Mais sobre cada um dos kits de ensino da Microduino

Ideaboard

Lançado recentemente, chega com a missão de trazer melhor custo-benefício na implementação da metodologia STEAM nas escolas, integra vários sensores que podem ser programados, além ser compatível com os módulos seguintes, mPie e mCookie, o que proporciona mais possibilidades de uso.

mPie

Sem necessidade de programação, os kits mPie possuem também conectores magnéticos que facilitam o plug-and-play, gerando uma dinâmica de aprendizado de causa e efeito sem complicações. A solução ajuda crianças terem contato direto com diversas disciplinas de forma lúdica estimulando a curiosidade para aprender mais como as coisas funcionam no dia a dia. Em sala de aula por exemplo, os alunos podem aprender física sobre a geração de som e luz, desde na montagem de uma ambulância, sendo capazes de mudarem da frequência a cor da sirene, como também em um projeto de biologia abordando a cadeia alimentar.

mCookie

Utilizado por mais de 1 milhão de alunos em salas de aula do ensino fundamental ao superior, o mCookie da Microduino é um ecossistema completo de módulos, sensores e atuadores. Programável através de diferentes softwares como o Scratch, criado pelo MIT e hoje o mais popular para o ensino de programação a crianças, o mCookie é a solução perfeita a partir de 9 anos e podem aprender, por exemplo, desde como funciona um receptor infravermelho a uma caixinha de som completa e projetos ainda mais complexos.

Microduino

Para o Maker profissional, a linha Microduino oferece mais de 100 módulos avançados para prototipagem de produtos e soluções de IOT, por meio de sensores e atuadores facilmente encaixáveis sem nenhuma necessidade de treinamento prévio, abolindo uso de soldas e um emaranhado de fios, assim como todos os demais kits da empresa.

Tags , , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.