Assinada por três associações, proposta de Plano de Governo de TIC é entregue aos principais comitês eleitorais de 2014

ABES, Assespro e Brasscom, três relevantes associações que representam o mercado empresarial brasileiro do setor de TIC, divulgam o plano “Por um Brasil Digital e Competitivo”, são elas: a ABES, Associação Brasileira das Empresas de Software; a Federação Assespro, Federação das Associações das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação; e a Brasscom, Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação. O objetivo do documento é propor aos candidatos das próximas eleições ações que estimulem o setor de tecnologia da informação e comunicação.O plano é sustentado por três pilares: o estímulo a novas tendências digitais, a criação e manutenção de um ambiente competitivo e inovador, e a importância de TIC para o desenvolvimento econômico, serviços ao cidadão e a eficiência pública. Sergio Paulo Gallindo, presidente da Brasscom, explica a principal motivação para as propostas apresentadas: “Os setores de TIC e Telecom são propulsores de uma nova era, digital e convergente. Juntos, representaram 8,8% do PIB em 2013 e têm apresentado taxas de crescimento muito acima da média nacional nos últimos três anos. É de suma importância que nossas lideranças políticas, administrativas e da sociedade em geral se conscientizem da relevância da tecnologia da informação e comunicação, tanto pelo peso econômico, como também pelo seu papel transformador.”O executivo complementa que o setor precisa ser apoiado para continuar crescendo: “O Brasil já comprovou sua vocação tecnológica mas é necessário apoio para que permaneça crescendo aceleradamente. É essencial que estimulemos o futuro alinhando nossos esforços com as novas tendências e massificando a oferta de serviços e bens informáticos. É igualmente crítico que façamos as reformas que nos levem a um ambiente de negócios competitivo e inovador, com segurança jurídica, financiamento e carga tributária adequada. Atuando com continuidade e diligência certamente colheremos frutos em todos os setores econômicos, educando nossas novas gerações para um mundo conectado e digital e gerando bem-estar social”.A ABES também compartilha da visão da Brasscom. Para o presidente da entidade, Jorge Sukarie, é imprescindível que o governo volte sua atenção ao setor de TIC. “Identificamos uma grande oportunidade para o setor garantir a competitividade que o Brasil precisa para se destacar no cenário internacional, mas precisamos superar alguns desafios, como a burocracia, insegurança jurídica, complexidade e conflitos tributários, entre outros. Incentivar os investimentos em P&D, inovação, formação de mão de obra e infraestrutura, serão fundamentais para que tenhamos o salto de produtividade que o Brasil precisa para alcançar o seu desenvolvimento pleno”.Já para a ASSESPRO, é necessária uma revolução “da base para o topo”, como diz o presidente da entidade, Luís Mário Luchetta. “A geração atual, sempre conectada, carece de modelos educacionais específicos para ela. Através da reformulação e criação de novos processos de ensino, estudantes entusiasmados com novas tecnologias se converterão em melhores profissionais, o que beneficiará as empresas, que terão um volume de talento não só maior, mas mais adequado à sua necessidade”. Luchetta ressalta que “o presente plano está acompanhado das respostas que o setor dará ao país se atendidas as presentes reinvindicações, então mais do que propostas estamos apresentando um compromisso público do Setor, com o desenvolvimento do Brasil”.Propostas para um Programa de Governo voltado à TIC
O plano destaca a imperiosa necessidade de fomentar a expansão dos serviços em nuvem, a massificação da banda larga, e, também, o desenvolvimento de competências e negócios em Big Data, Internet das Coisas e Segurança da Informação. A formação de capital humano é fator crítico de sucesso. A dinamização do ambiente de negócios no Brasil passa pelo aperfeiçoamento das relações de trabalho e seus marcos legais, esforço continuado de desburocratização, fomento à pesquisa, desenvolvimento e inovação, apoio financeiro ao empreendedorismo inovador e a criação de condições para a produção competitiva de bens informáticos, software e sensores inteligentes.As entidades compreendem que a importância de TIC se evidencia pelo seu impacto dinamizador, que perpassa todos os setores econômicos, os serviços ao cidadão e a eficiência pública, redundando, em última instância, no bem-estar social. As Propostas para um Programa de Governo voltado à TIC se encontram disponíveis nos sites das três associações: www.abes.org.br, www.assespro.org.br e www.brasscom.org.br
.
Conheça a pauta apresentada aos candidatos em http://www.assespropr.org.br/images/P-2014-07-31_-_Propostas_Prog_Governo_ABES_Assespro_Brasscom.pdf

Fonte: Assespro Paraná

Tags , , , , , , , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.