Ecossistema global de transportes inteligentes deve gerar receita de US$ 517 bilhões em 2023, diz KPMG

O ecossistema global de transportes inteligentes deve evoluir de uma receita total de US$ 361 bilhões em 2019 para US$ 517 bilhões em 2023, estimulado com o aumento da adoção da tecnologia 5G e da Edge Computing. O montante inclui elementos de conectividade, hardware, software e serviços, relacionados com cinco setores: manufatura industrial, assistência médica conectada, transporte inteligente, monitoramento ambiental e jogos. Essas são algumas das conclusões da pesquisa “A Oportunidade de Valor da Edge Computing 5G” (The 5G Edge Computing Value Opportunity, em inglês), conduzida por KPMG e International Data Corporation (IDC).

“Com o 5G e a Edge Computing, as empresas de telecomunicações têm a oportunidade de olhar além da conectividade e considerar uma mudança para serviços, vendendo infraestrutura em nuvem, instalação, integração, desenvolvimento de aplicativos, gerenciamento de dispositivos e gerenciamento de dados”, afirma Marcio Kanamaru, sócio-líder de Tecnologia, Mídia e Telecomunicações da KPMG no Brasil.

O conteúdo também revelou que, entre 2019 e 2023, o mercado de transportes inteligentes deve dobrar de tamanho, apresentando uma oportunidade de ecossistema de US$ 24 bilhões. Neste aspecto, as conexões Vehicle to Infrastructure (V2I) e Vehicle to Vehicle (V2V) serão as principais tendências.

Atualmente, de acordo com a pesquisa, o ecossistema de transportes inteligentes é formado por: serviços, 42% (integradores de sistemas); conectividade, 8%, e software, 29% (fornecedores de softwares de transporte e de softwares de Analytics e Big Data); hardware, 21% (empresas de sistemas de IoT).

“O uso crescente das tecnologias representa uma transformação para a mobilidade urbana global, proporcionando gerenciamento de tráfego, atualização em tempo real de obras e acidentes nas estradas, maior volume de sensores e dispositivos em rodovias, captação confiável de dados, novos aplicativos e serviços mais inteligentes”, afirma Ricardo Bacellar, sócio-líder de Industrial Markets e Automotivo da KPMG no Brasil.

As oportunidades apresentadas como relevantes na pesquisa são as seguintes: oferecer conectividade ao longo de uma área geográfica, por meio de diversas soluções; oferecer serviços de design, dispositivos, gerenciamento de dispositivos, gerenciamento de dados, Edge Computing, analytics e integração para centros de controle centrais; e habilitar serviços essenciais, como transporte público automatizado e gerenciamento de tráfego.

“A transformação digital já era uma realidade para muitas organizações, mas tornou-se necessária e imediata para todos os negócios. O avanço da pandemia impactou setores que antes não pensavam como a digitalização poderia ser decisiva, e a conectividade ganhou ainda mais destaque. Neste cenário, o 5G e a Edge Computing desempenharão um papel cada vez mais relevante para o futuro dos negócios e a retomada econômica”, afirma Luis Motta, sócio-líder de Tecnologia, Mídia e Telecomunicações da KPMG na América do Sul.

O conteúdo está disponível na íntegra no link – https://assets.kpmg/content/dam/kpmg/xx/pdf/2020/06/5g-edge-computing-value-opportunity.pdf.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.