Empresas do Sul são as que apresentam maior disposição para expansão dos negócios em 2020, aponta pesquisa realizada pela Deloitte

O levantamento “Agenda 2020”, realizado pelo quarto ano pela Deloitte, traz as perspectivas para um cenário mais positivo para os negócios em 2020 de 1.377 empresas que, juntas, faturam o equivalente à metade da riqueza gerada no País, totalizando R﹩ 3,5 trilhões em receita no último ano.

Na Região Sul do país, assim como no Nordeste, com os percentuais mais elevados em relação às demais, o empresariado afirmou que investir em novas tecnologias (97%), na qualificação dos profissionais (95%) e em P&D (86%) são suas prioridades para que possam seguir competitivas diante do cenário disruptivo do próximo ano. A região é também a que apresenta maior disposição para expansão dos negócios, em comparação com as demais do país. Do total de respondentes da região, 73% indicam que pretendem ampliar o número de pontos de venda e 57% têm a intenção de aumentar os atuais parques de produção caso o cenário se mostre positivo em 2020.

As ações estratégicas não param por aí: à frente dos outros Estados, 81% do empresariado sulista desejam contratar novos funcionários e 64% pretendem adquirir produtos ou marcas. Quando questionados sobre as prioridades do governo para o próximo ano, 86% apontaram estímulos para geração de empregos, seguido por incentivos governamentais para adaptação à Indústria 4.0 e à transformação digital (60%) e ampliação de incentivos tributários para Pesquisa & Desenvolvimento, com 58%.

Mais informações sobre a pesquisa “Agenda 2020” em http://www.deloitte.com/agenda2020.

Metodologia e amostra

A edição deste ano da pesquisa “Agenda” contou com a participação de 1.377 empresas, cujas receitas líquidas da totalizaram R﹩ 3,5 trilhões em 2019 – equivalente a 50% do PIB brasileiro, considerando o valor deste de R﹩ 7 trilhões, com base no acumulado de 12 meses até o 2º trimestre de 2019. A distribuição geográfica da amostra dividiu-se da seguinte forma (considerando a sede das empresas): 57% em São Paulo, 16% nos demais Estados da Região Sudeste, 15% na Região Sul, 9% no Nordeste, 3% no Centro-Oeste e 1% no Norte do País. Do total dos respondentes, 62% estão em cargos de conselho, presidência e diretoria. Adicionalmente, 31% das empresas participantes são de bens de consumo, 24% de serviços, 14% de TI e Telecomunicações, 14% de Infraestrutura e Construção, 9% de Atividade financeira e 8% de Bens de capital.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.