Hilab desenvolve plataforma exclusiva de validação de dados epidemiológicos para o Instituto Butantan

Hilab desenvolve plataforma exclusiva de validação de dados epidemiológicos para o Instituto Butantan

As startups de saúde, as health techs, possuem papel fundamental para ajudar a combater a pandemia no Brasil. Além disso, muitas empresas tiveram que antecipar e se adequar às atualizações tecnológicas, já que o momento atual exige adaptação e um enfrentamento rápido contra o coronavírus.

Como uma das formas de atuar no combate da covid-19 e ajudar o Brasil na testagem em massa de sua população, a Hilab , health tech que desenvolveu o laboratório remoto Hilab e que tem como missão democratizar o acesso à saúde no país, se juntou ao Instituto Butantan para a realização de diversos projetos voltados para o controle e triagem epidemiológica do coronavírus no país.

A parceria entre a Hilab e o Butantan acontece há um ano e já resultou no desenvolvimento de 13 projetos. O trabalho em conjunto segue neste ano com ações que visam expandir ainda mais o acesso à saúde, principalmente neste período de pandemia.

Saiba mais sobre as principais iniciativas promovidas pela startup em parceria com o Instituto Butantan e como essas ações auxiliam no enfrentamento da pandemia no país.

Plataforma Tainá

No início da pandemia, o Instituto Butantan tinha o desafio de criar uma plataforma de processamento de exames de Covid-19 e monitoramento dos resultados em tempo real. Para ajudar na centralização das informações da covid-19 e validação de todos os dados epidemiológicos do Instituto Butantan, a Hilab co-desenvolveu uma plataforma exclusiva chamada Tainá. Na plataforma são compilados todos os resultados dos exames de covid-19 realizados pelo Butantan, incluindo exames de fornecedores de testes rápidos, PCR e exames Hilab.

A Plataforma Tainá é composta de cinco sistemas de informação que integrados permitem a gestão dos dados, enviados pelos diversos centros no Brasil, e a visualização de informações para o apoio na tomada de decisões. Atualmente a plataforma também auxilia nos dados epidemiológicos da Coronavac.

“O projeto Tainá foi criado pela equipe de desenvolvedores da Hilab, em parceria com o Instituto Butantan, com o objetivo de monitorar os dados epidemiológicos dos exames laboratoriais de covid, auxiliar na realização dos mesmos e emitir os laudos com os resultados das análises. Temos muito orgulho do crescimento da plataforma, que hoje também engloba novos procedimentos como: notificação de casos positivos para os órgãos responsáveis e a troca de dados por um canal seguro para a disponibilização dos mesmos para os coordenadores dos projetos”, aponta Figueredo.

Projeto S

Outra parceria utilizando a plataforma Tainá é o projeto S. O Instituto Butantan e a prefeitura de Serrana, em São Paulo, lançaram a iniciativa, que tem o objetivo de ser um ensaio clínico inédito para avaliar o impacto da vacina Coronavac na transmissão do vírus. No entanto, este não é o único objetivo do estudo, que irá avaliar os efeitos adversos, consequências econômicas e a importância da utilização de softwares de acompanhamento. A cidade de Serrana foi escolhida por reunir os pré-requisitos necessários para o projeto e sua população foi dividida em diversos grupos. Além disso, todas as mulheres que estão envolvidas nos testes realizam um exame de beta hcg da Hilab para saberem se estão ou não grávidas.

Testagens em Massa

A parceria também realizou testes em massa no estado de São Paulo durante todo o ano de 2020. Entre as ações estão: testagem da polícia militar e seus familiares, civil e técnico científica, utilização dos testes em favelas e comunidades vulneráveis, testagem em massa em mais de 150 municípios de São Paulo, utilização do teste da Hilab na população indígena e quilombola no estado de São Paulo e aplicação de testes de covid-19 em presídios e na Fundação Casa. Todas estas ações resultaram em mais de 2,5 milhões de exames para detectar o coronavírus.

Todo o treinamento dos profissionais de saúde responsáveis pelo manuseio do aparelho e que estavam envolvidos nas testagens foi promovido pela equipe da Hilab no formato EAD.

“Entendemos que a testagem é uma estratégia muito importante, realizar o rastreio de contatos e fazer o isolamento correto para que as pessoas que testaram positivo não passem o vírus adiante”, explica Bernardo Almeida, médico infectologista e chief medical officer, da Hilab. “Além disso, temos como missão democratizar o acesso à saúde e gerar impactos positivos no combate à pandemia”, finaliza.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *