Maior plataforma de saúde do mundo abre escritório em Curitiba e anuncia CEO para o país

Carlos Eduardo Spezin Lopes assume Doctoralia no BrasilDoctoralia,a maior plataforma de saúde do mundo,está abrindo seu escritório no Brasil dentro da estratégia de expansão na América Latina e anuncia Carlos Eduardo Spezin Lopes como CEO para o país. A empresa já conta com escritórios no México e,desde 2007,atua remotamente no Brasil,na Argentina,Peru,Colômbia e no Chile. A cidade escolhida para a sede da empresa foi Curitiba,por ser considerado um hub de inovação e de qualidade de vida pela empresa.Carlos Eduardo será responsável por montar a equipe no Brasil,fechar parcerias estratégicas,cuidar de vendas e expandir a empresa no território. O executivo tem mais de 19 anos de experiência na área comercial,tendo sido Diretor Comercial da TIM e da Claro na Região Sul. "Tornar mais humana a relação entre pacientes e médicos é uma missão nobre e que entendo como um chamado. Há muito que evoluir nesta área e contribuiremos mais fortemente no mercado brasileiro",comenta Carlos Lopes."Queremos crescer cada vez mais no Brasil não só expandindo a nossa base de usuários ativos (hoje em cerca de 5 milhões por mês),mas também fornecer a melhor experiência para pacientes e médicos de forma a conectá-los de um jeito fácil e prático",comenta Frederic Llordachs,Co-Founder da empresa em visita ao Brasil para conhecer o novo escritório no Paraná.Doctoralia no Brasil Além do serviço de conectar rapidamente os melhores médicos aos pacientes e realizar o agendamento online e imediato,a Doctoralia realiza regularmente pesquisas internas que mostram o perfil do usuário e as tendências de suas necessidades no Brasil e no mundo. Quando se fala de uma plataforma com mais de 60 milhões de usuários anuais interessados em conhecer mais sobre saúde,identificar médicos próximos às suas casas ou trabalho e verificar a qualidade dos mesmos com base em mais de 3 milhões de opiniões dos pacientes,percebe-se a importância de analisar estes dados consolidados.Dos dados apurados por Doctoralia,hoje em dia,no Brasil,a maioria dos usuários da plataforma é formada por mulheres (75% dos usuários) profissionalmente ativas,entre 25 e 34 anos,vivendo em grandes centros urbanos. Segundo Llordachs,a predominância é feminina,pois são as mulheres que normalmente cuidam da saúde da família interagindo com os médicos e sempre buscam informações recentes sobre cuidados com a saúde.Isso explica por que a maioria dos médicos pesquisados é da área da ginecologia,seguidos pela ortopedia,urologia,pediatria e dermatologia. "Hoje o paciente não quer mais esperar semanas para agendar uma consulta. As pessoas querem ser bem atendidas,a um bom preço e de forma eficiente. Este é o paciente 3.0. Estamos preparados para isso",finaliza Llordachs.O uso da Doctoralia é totalmente grátis para pacientes e permite que se faça uma melhor escolha com base nas informações do próprio profissional e de outros pacientes. Além disso,através da plataforma,os pacientes podem agendar consultas e fazer perguntas diretamente e de forma anônima com os médicos especialistas,gratuitamente. Os consultórios e profissionais de saúde tem acesso a ferramentas digitais para melhorar a gestão das consultas,como por exemplo:agendamento online,envio automático de SMS/e mail para lembrar os pacientes e melhor visibilidade.

Ca’dore Comida Descomplicada segue tendência internacional de polo gastronômico

Curitibano tem fama de ser um público difícil,acostumado com o clima frio e,por isso,com pouca interação social. Incentivar a mudança desse comportamento "europeu" do cidadão é um desafio para muitos empreendimentos,como a Ca'dore Comida Descomplicada. Localizada no bairro Bachacheri desde janeiro de 2017,a vila gastronômica ao ar livre traz a proposta do compartilhamento de mesas,hábito muito comum na tendência internacional de polos gastronômicos. "Trouxemos esse costume para mudar o hábito do próprio curitibano e a imagem que os outros públicos têm em relação a nós. Propomos mostrar que somos diferentes,que compartilhamos os espaços e convivemos bem com esse novo comportamento",explica Vanessa Colle,uma das proprietárias da Ca'dore.A atitude já tem mostrado resultado! Sibhelle Nascimento,advogada e moradora do Bachacheri conta que já fez amizades por meio das mesas compartilhadas:"Toda vez que tem show aqui nas quintas-feiras,eu venho sozinha e sento,peço um lugar,e converso com o pessoal",conta. Ca'dore é o nome de um lago na região de Vêneto,na Itália,que remete a pensar em "Casa Dourada". Com o complemento "Comida Descomplicada",o local une contemporaneidade aos elementos históricos. Vanessa Colle,explica ainda a proposta multicultural do local. "O objetivo da Ca'dore é trazer todo tipo de pessoa para curtir o espaço,com a família,com os amigos e até com os seus pets. A ideia é que a pessoa seja recebida com espírito aberto à experiência,tanto relacionada à gastronomia quanto ao ambiente físico diferenciado",comenta.Para proporcionar essa experiência,a vila oferece 40 operações diversificadas de alimentação e bebidas,para agradar todos os paladares,com opções nacionais e internacionais. Todos os restaurantes são montados em contêineres coloridos,que dão vida ao local,em uma área de aproximadamente 6.000 m². Com projeto assinado pelo arquiteto Bruno Colle,a praça de alimentação mista possui espaços abertos e fechados,oferecendo lugar para 1.000 pessoas sentadas,mobiliário de alto padrão e decoração refinada,combinadas a um paisagismo encantador. Para os pequenos,há uma operação de Espaço Kids,para entreter a criançada. Outro destaque do espaço é a postura petfriendly,muito bem aceita pelo público. "É a segunda vez que trago também meu cachorro para passear aqui,e ele adora! Acho o espaço bem descontraído e por isso me sinto confortável em vir com o meu cachorro",comenta Denise Forte,frequentadora do local.

Seminário Nacional de Energia Elétrica inicia neste domingo em Curitiba

De 22 a 25 de outubro,Curitiba recebe o SNPTEE (Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica),o maior e mais importante evento do Brasil do setor de energia elétrica. O seminário vai reunir mais de 2 mil pessoas no Expo Unimed Curitiba para disseminar conhecimento científico,divulgar novas tecnologias,ampliar o networking e promover a troca de experiências entre os participantes.Neste domingo (22),às 19h,no Teatro Positivo - Grande Auditório,acontece a cerimônia de abertura do evento e,na segunda-feira (23),o seminário inicia com uma discussão sobre o aprimoramento do marco legal do setor elétrico,com a presença do ministro interino do Ministério de Minas e Energia,Paulo Pedrosa,o diretor de Geração e Transmissão da Copel,Sergio Luiz Lamy e o presidente do Instituto Acende Brasil,Claudio Sales.Durante o evento,serão apresentados mais de 500 trabalhos técnicos sobre 16 temas principais:geração hidráulica;produção térmica e fontes não convencionais;linhas de transmissão;análise e técnicas de sistemas de potência;proteção,medição,controle e automação em sistemas de potência;comercialização,economia e regulação de energia elétrica;planejamento de sistemas elétricos;subestações e equipamentos de alta tensão;operação de sistemas elétricos;desempenho de sistemas elétricos;impactos ambientais;aspectos técnicos e gerenciais de manutenção;transformadores,reatores,materiais e tecnologias emergentes;eficiência energética e da gestão da inovação tecnológica;sistemas de informação e telecomunicação para sistemas elétricos;e aspectos empresariais e gestão corporativa.Além disso,o SNPTEE conta com mais de 80 expositores que apresentam os lançamentos e tendências do setor - entre eles,Eletrobras,Itaipu Binacional,State Grid Brasil Holding,Siemens,Toshiba e Andritz Hydro. A visitação aos estandes é aberta ao público e gratuita. O evento,que está na 24a edição,é promovido pelo Cigré-Brasil (Comitê Nacional Brasileiro de Produção e Transmissão de Energia Elétrica) e coordenado pela Copel. De acordo com o presidente da Copel,Antonio Guetter,é a quarta vez que a Companhia Paranaense de Energia sedia o SNPTEE,evento bienal que é realizado há quase meio século. “Nos orgulhamos de poder mostrar aos participantes de toda parte do Brasil que o Paraná possui uma das maiores e mais inovadoras empresas do setor elétrico das Américas",afirma.XXIV SNPTEE (Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica)Data:22 a 25 de outubro de 2017Local:Expo Unimed Curitiba (Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza,5.300 - Curitiba/PR)Programação completa do evento e mais informações: www.xxivsnptee.com.br

Vendas de Dia das Crianças em Curitiba demonstram retomada da economia

Brinquedos tradicionais,roupas,calçados e produtos eletrônicos foram as principais opções dos curitibanos que presentearam crianças na passagem do seu dia,fazendo com que o movimento de vendas tivesse um crescimento nominal de 1,4% em relação ao mesmo período de 2016,com queda real de 1,13% quando corrigida pela inflação de 2,53%,acumulada nos últimos 12 meses.Os números foram apurados pelo instituto Datacenso Pesquisas Mercadológicas,que realizou 400 entrevistas pessoais com 200 empresários e 200 consumidores no dia 13 desse mês. No ano passado a queda nominal havia sido de 3% em relação a 2015,verificando-se uma queda real de 11,57%,no auge da recessão econômica que comprometeu gravemente tanto a produção quanto o consumo. Para o responsável técnico pela pesquisa,economista Cláudio Shimoyama,os números indicam a retomada da economia,fato ressaltado pela manifestação dos comerciantes ouvidos que se declararam entusiasmados com as perspectivas de vendas de final de ano e Natal (37%),enquanto 30% confiam e esperam boas oportunidades,embora 26% se mostrem preocupados e 7% desanimados com o futuro imediato. Os comerciantes ouvidos pelo Datacenso são sócios ou proprietários (23%),gerentes ou supervisores (77%),que responderam em nome de 71% de microempresas e 29% de empresas de pequeno porte. Mais da metade dos comerciantes (54%) fez promoções especiais para incrementar as vendas (sorteio e distribuição de brindes e prêmios),além de descontos para pagamento à vista. Confirmando a tendência,a modalidade de pagamento parcelado com cartão de crédito foi preferida por cerca de 40% dos compradores.Por sua vez,os consumidores que têm entre 18 anos e 55 anos de idade e renda familiar mensal de R$ 937,00 a mais de R$ 9.370,00,gastaram em média R$ 117,00 ou 15% a mais que no ano passado para presentear pelo menos uma criança esse ano. Dado importante da pesquisa revelou o aumento do número de curitibanos que deram presentes no Dia das Crianças.

Luciano Salamacha lança metodologia stakehand com palestra em Curitiba

Participantes terão a oportunidade de conhecer a matriz Stakehand,que elenca os cinco pilares fundamentais para ser bem sucedido no mundo dos negóciosMuitos querem se destacar no mercado,mas poucos estão verdadeiramente preparados para um crescimento profissional sustentável. O sucesso não está somente em ter uma admirável trajetória acadêmica e uma capacitação intelectual brilhante. Sem dúvida,esses são fatores são extremamente importantes,mas há outros cruciais.A resposta para a pergunta sobre o que faz um profissional ter sucesso às vezes parece estar distante e ser inatingível,no entanto,Luciano Salamacha,especialista em Neuroestratégia e Gestão de Carreiras -também um dos professores mais premiados da FGV Management- comprova que pode estar nas próprias mãos,aplicando a Matriz Stakehand.No dia 23 de outubro,às 20h,no Teatro Paulo Autran,no Shopping Novo Batel,os participantes terão a oportunidade de conhecer de perto essa matriz durante a palestra “Uma maneira diferente de pensar e agir”. As inscrições podem ser feitas pelo site www.inodap.org.br,o valor por pessoa é R$ 40 e estudantes pagam metade. Esse momento também marca o lançamento oficial em Curitiba do livro Matriz Stakehand,uma metodologia inovadora baseada em neuroestratégia.A Matriz StakehandApós anos de observação e estudos,Luciano Salamacha desenvolveu a Matriz Stakehand,a mais nova metodologia de sucesso que vem sendo aderida por multinacionais e instituições de ensino em todo Brasil. O método inovador é baseado em neurociência e,agora,está sendo lançado oficialmente em livro.Salamacha usa a metáfora dos dedos para simplificar a alavancagem de carreiras. São cinco passos que apresentam elementos eficazes na conquista de resultados surpreendentes,cada um deles representado por um dos dedos das mãos.Através da Matriz Stakehand,Salamacha explica por meio da metáfora dos cinco dedos como alavancar a carreira e os negócios,cinco passos simples e eficazes para a conquista de resultados inusitados de sucesso. “Na palma da mão é depositado o problema que requer solução e nos dedos as ações necessárias para chegar ao objetivo com um projeto,tudo baseado em cinco pilares:força de vontade,conhecimento,resiliência,disciplina e planejamento”.Sobre a aplicação da Stakehand,o especialista complementa:“A neurociência colabora para preparar pessoas a realizarem diversas tarefas simultaneamente,buscando sempre a inovação. E,apesar do cérebro humano apresentar funcionalidades revolucionárias no comportamento de decisões estratégicas,marketing,liderança e consumo,ainda há muito a ser explorado”.Palestra “Uma maneira diferente de pensar e agir” com Luciano Salamacha Data:23 de outubroHorário:às 20hInvestimento:R$40 e estudante R$ 20 Local:Shopping Novo Batel – Teatro Paulo AutranEndereço:Alameda Dom Pedro II,255 – Batel - CuritibaMais informações:www.inodap.org.br

Impostômetro chega a R$1,7 trilão nesta quarta (18). Painel deve registrar R$2,1 trilhões

O Impostômetro da Associação Comercial do Paraná (ACP),que replica os números registrados no painel da ACSP,chegará à marca de R$ 1,7 trilhão neta quarta (18). O registro ocorrerá 24 dias antes que em 2016,o que significa que os brasileiros estão pagando mais tributos em 2017.O montante equivale a todo o dinheiro pago pelos brasileiros aos cofres da União,dos Estados e dos municípios em tributos (impostos,taxas,contribuições,multas,juros e correção monetária) desde o primeiro dia do ano.O presidente-executivo do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT),João Eloi Olenike,diz que a contagem e a exposição dos números apresentados pelo painel incentivam a formação de um senso crítico em relação à alta taxa de tributos pagos pela população,que tem o direito/dever de cobrar o retorno destes valores e vê-los destinados a serviços públicos de qualidade,na mesma proporção que os tributos são arrecadados. Impostômetro – fechamento do ano*2017:R$ 2,170 trilhões2016:R$ 2,004 trilhões2015:R$ 1,992 trilhão2014:R$ 1,913 trilhão *estimativa Com informações da Associação Comercial de São Paulo

Professor da FGV dá dicas jurídicas para a criação de uma startup

Para conseguir um bom investidor que queira aportar capital em uma startup,o professor e pesquisador do Centro de Tecnologia e Sociedade (CTS) da FGV Direito Rio Eduardo Magrani diz que é fundamental ter um plano de negócio robusto e bem pensado. De acordo com ele,outra dica valiosa para que o empreendimento dê certo é contar com os serviços de um advogado especializado na hora de abrir a empresa."A princípio pode parecer um investimento desnecessário,mas a preocupação jurídica pode ser ponto de partida para o sucesso e evitar diversos problemas. A constituição da empresa,sem dúvida nenhuma,é o detalhe mais importante de um empreendimento. Fundamental para conseguir um investidor anjo",destaca Eduardo Magrani.O especialista lembra que,por impulso,muitos empreendedores levam seus projetos na confiança ou com contratos verbais. Para Magrani,essa é uma das falhas mais recorrentes dos empreendedores. "Os criadores da startup devem saber o regime societário e tributário correto na hora de abrir a sua empresa. Uma escolha malfeita pode resultar em pagamento de um conjunto de impostos indevidos,comprometendo de forma acintosa as finanças do empreendimento,ou até mesmo gerando problemas fiscais",aponta.Eduardo Magrani diz ainda que é necessário buscar um acordo entre os sócios. Segundo o professor,um memorando de entendimento e um bom contrato entre as partes não deve ser esquecido. "No início fica tudo bem,mas no primeiro problema a falta dessas diretrizes pode acabar com o negócio. O contrato de vesting é um mecanismo que vem sendo amplamente utilizado nos últimos anos",ressalta.O professor da FGV lembra também que a proteção da marca é importante. "Além disso,outras proteções industriais também precisam ser garantidas,como patentes,desenho industrial,modelos de negócio e direitos autorais",lembra.

1° Seminário Paranaense de Logística Reversa tem apoio do InPAR

Como está a implementação da logística reversa nas empresas paranaenses? Quais os principais desafios e oportunidades? O 1° Seminário Paranaense de Logística Reversa,que será realizado no próximo dia 18 de outubro (quarta-feira) pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep),com o apoio do Instituto Paranaense de Reciclagem (InPAR),abordará essas questões. Inclusive,na oportunidade,o InPAR trará as experiências em logística reversa de embalagens pós-consumo,juntamente com o Instituto de Logística Reversa (ILOG).A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMA/PR) e o Sindicato das Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Estado Paraná (SINQFAR) também apoiam o encontro que é gratuito e trará como palestra magna “A logística reversa no estado do Paraná:histórico e status atual”,conduzida pelo Coordenador de Resíduos Sólidos da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná,Vinício Bruni.O coordenador técnico do Comitê Técnico do InPAR,Paulo Henrique Quintiliano Moura,afirma que será um dia todo de evento,com painéis que discutirão os avanços do estado em logística reversa nos mais variados setores. “Traremos aspectos econômicos,legais,ambientais e sociais da logística reversa,que serão apresentados pelo Senai,Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR),Ministério Público do Paraná e Movimento Nacional dos Catadores de Resíduos,além dos cases de sucesso na destinação dos resíduos. É importante frisar a participação de institutos e associações nacionais,que atuam no setor ambiental,como:Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (Almaco),Associação Brasileira das Empresas de Filtros e Automotivos e Industriais (Abrafiltros),Tetra Pak,entre outras”,conta.Instituída pela Lei 12.305/2010 e regulamentada pelo Decreto 7.404/2010,a Política Nacional de Resíduos Sólidos define que fabricantes,importadores,distribuidores de embalagens,comerciantes,consumidores,assim como o poder público,possuem responsabilidade compartilhada pelos resíduos resultantes do pós-consumo dos produtos.O presidente do InPAR,Rommel Barion,reforça o papel logística reversa como um instrumento que,por meio de ações,viabiliza a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial para o reaproveitamento no ciclo produtivo ou em outros ciclos.O evento é voltado para profissionais da indústria,empresários,consultores e estudantes. Para inscrições acesse:https://goo.gl/2SwqQL. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail:paulo.moura@fiepr.org.br ou pelo telefone (41) 3271-9188. Data:18 de outubro (quarta-feira)Horário:das 8h30 às 18h30Local:Campus da Indústria – Fiep (Auditório Mário De Mari) | Avenida Comendador Franco,1341 – Curitiba (PR)Inscrições:https://goo.gl/2SwqQL. Mais informações:paulo.moura@fiepr.org.br ou pelo telefone (41) 3271-9188Confira a programação no site da Fiep:https://goo.gl/59vEZG

Confira algumas dicas de especialistas para a Black Friday

A Black Friday,acontecerá este ano no dia 24 de novembro e as perspectivas são muito positivas para o varejo online. De acordo com um levantamento feito pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm),estima-se que o e-commerce terá crescimento de 12% este ano,em comparação com 2016,e faturamento de R$ 59,9 bilhões e por isso há um aumento no fluxo de visitantes nas lojas virtuais.Para Alfredo Soares,CEO da Xtech Commerce,plataforma de e-commerce e marketing para PME's e startups,as plataformas de e-commerce precisam ter estabilidade,ótima performance e com alta velocidade no carregamento das páginas.Segundo Tom Canabarro,co-fundador da Konduto,empresa que oferece uma solução antifraude inovadora para lojas virtuais,é necessário ter cuidado com a segurança durante as compras,pois com o aumento das vendas,as lojas virtuais estão mais propensas a sofrer ações dos criminosos virtuais ao realizar compras com cartões de crédito clonados.Outro ponto importante são os comentários postados nas lojas virtuais. "Com o uso deles,os e-commerces conseguem melhorar as suas vendas,já que a maioria dos consumidores procuram consultar as opiniões dos outros clientes antes de finalizar a compra",ressalta Tatiana Pezoa,CEO da Trustvox,primeira e única certificadora de reviews no Brasil,que atua com o propósito de tornar a sinceridade padrão de mercado no e-commerce.Como estratégia de marketing podemos destacar também os vídeos online,pois eles estão ganhando cada vez mais espaço. "Por este motivo,investir neles pode ser uma ótima forma de ampliar suas vendas,fidelizar seu público,comunicar-se com colaboradores e clientes de uma forma mais clara,rápida,eficaz e ainda continuar faturando",ressalta Pedro Filizzola,CMO da Samba Tech,pioneira na distribuição de vídeos online na América Latina. Além disso,os e-commerces podem usufruir de anúncios diferenciados.De acordo com o Victor Canô,CEO da Cazamba,empresa de tecnologia em mídia,referência em inovação no engajamento de marcas com seus consumidores por meio de anúncios digitais em formatos diferenciados,de forma dinâmica,personalizada e com acompanhamento em tempo real de resultados,a utilização desses anúncios digitais em formatos diferenciados tem sido uma ótima ferramenta para atrair a atenção dos consumidores e aumentar as vendas.Além disso,para ser mais assertivo em datas comemorativas do varejo online é necessário apostar no On Demand Commerce. "Similar ao drop shopping,o e-commerce sob demanda possibilita com que as pessoas vendam produtos personalizados exclusivos mesmo sem ter o produto em estoque,com um diferencial de vender produtos criados por você mesmo para evitar que haja problema com fornecedor,logística ou baixa qualidade dos produtos",comenta Vinícius Andrade,é CEO e co-fundador da Vesteer,maior plataforma de criação,venda e distribuição de produtos personalizados em todo o Brasil.Por fim,devido a grande movimentação no varejo eletrônico,existem ferramentas que facilitam a operação de compra. "As empresas buscam cada vez mais ferramentas que facilitem a operação de compra e proporcionem uma experiência de compra confortável",finaliza Patrick Negri,CEO e co-fundador da iugu,plataforma de automação financeira.

Conheça as ferramentas de fraudes mais utilizadas pelos criminosos

No e-commerce,uma importante lacuna é a escassez no número de informações sobre as fraudes online. De acordo com um estudo realizado recentemente pela Konduto,empresa que oferece uma solução antifraude inovadora para lojas virtuais,a cada 28 pedidos que chegam nas lojas virtuais,ao menos um é feito por criminosos utilizando cartões de crédito clonados.Para ajudar o mercado a combater as compras criminosas,a Konduto preparou um infográfico revelando quais são as principais ferramentas de fraude aplicadas por estelionatários no e-commerce.1. Tor Browser:essa ferramenta se refere a um navegador de internet que proporciona o anonimato ao usuário,ocultando o IP original de quem está navegando. O browser adiciona diversas camadas de dados codificados à navegação,dificultando a interceptação do conteúdo de uma troca de mensagens entre computadores.Mesmo sendo uma ferramenta muito comum entre os hackers,ela não está diretamente relacionada à realização de compras fraudulentas. De acordo com a Konduto,em 2016,menos de 0,1% das tentativas de fraude no e-commerce brasileiro partiu desse tipo de navegador – contra quase 80% transações ilegais oriundas do Google Chrome.O Tor,porém,é bastante utilizado para o acesso à deep web,uma zona da internet que não é indexada pelos sites de busca. Por lá,indivíduos mal intencionados compartilham conteúdos sem censura e praticam compra e venda de itens como armas,drogas,dinheiro falso,softwares malicioso,bases de dados cadastrais e números de cartões de crédito para a utilização de compras fraudulentas.2. Geradores de CPF:é um sistema que gera combinações aleatórias de CPF de acordo com a verificação do algoritmo da Receita Federal. Os geradores criam sequências de onze algarismos,sendo os oito primeiros aleatórios. De acordo com a lógica por trás do Cadastro de Pessoas Físicas;o nono dígito está relacionado a uma das dez regiões fiscais do Brasil. Já o décimo e o 11º são verificadores e dependem dos nove iniciais.Criminosos se utilizam desta ferramenta porque porque muitos lojistas on-line acreditam que a validação de dados cadastrais é uma ferramenta eficiente para evitar transações fraudulentas:se nome completo e CPF do cliente batem junto à Receita Federal,a transação é legítima. Com os geradores de CPF,os inúmeros vazamentos de dados e a "banalização" das informações cadastrais,porém,este método há tempos já não é suficiente para garantir a segurança em uma transação pela internet.Além da validação dos dados cadastrais,é importante combinar esta técnica a outros métodos de detecção de fraudes.3. Gerador de cartão de crédito: da mesma forma que o item acima,os geradores de cartão de crédito são sistemas computacionais relativamente simples,que criam aleatoriamente e,em frações de segundos,uma sequência numérica que poderia perfeitamente estar vinculada a um portador. Desta forma,criminosos conseguem obter informações válidas sem depender do vazamento de dados. A maioria dos cartões de crédito brasileiros possui 16 dígitos,divididos em três blocos:BIN (Bank Indentification Number que significa "Número de Identificação Bancária) número do cliente e dígito verificador. Além disso,é necessário "acertar" o código verificador de três algarismos (CVV) e a data de validade. No entanto,criminosos podem se utilizar de ataques de força bruta contra e-commerces vulneráveis e,a partir de um extenso processo de tentativa e erro,descobrir quais combinações geradas aleatórias podem pertencer a um cartão de crédito válido.4. FraudFox: sistema capaz de "enganar" o monitoramento de fingerprint - "impressão digital" única do aparelho utilizado para uma compra on-line. Esta tecnologia coleta informações como sistema operacional,browser,idioma do navegador,geolocalização,resolução de tela e até mesmo quais fontes estão instaladas na máquina – dentre outras variáveis.O FraudFox permite que um criminoso "mascare" o computador utilizado para a realização da transação fraudulenta e realize uma compra em um e-commerce simulando utilizar um desktop com Windows 10. Logo após essa ação,o fraudador se reconecta à internet do mesmo computador,mas "disfarçado" de um iPhone 6. Um sistema antifraude baseado na checagem de dados cadastrais e do fingerprint sucumbiria a este golpe,mas se for feito o monitoramento do comportamento de navegação do cliente durante todo o processo de compra é possível combater o uso dessa ferramenta;5. VPNs:é uma rede privada de computadores que se conectam sem a necessidade de cabos (por isso a denominação Virtual Private Network),e permite o acesso remoto a conteúdos salvos em outras máquinas. Ela "centraliza" a comunicação destes computadores com a internet antes de redirecioná-los a qualquer outra página da rede. Isso permite uma conexão anônima,utilizando qualquer navegador e não apenas o Tor.Em contrapartida,quando nos conectamos à internet da maneira "convencional",nossos computadores recebem um endereço de IP e todas as nossas ações online podem ser visualizadas pelos servidores que estão "no meio do caminho". Já a partir da VPN,nossos dispositivos se conectam a uma rede privada e esta,por sua vez,realiza toda a comunicação com o restante da rede mundial de computadores. Desta forma,a VPN proporciona uma comunicação dentro de uma espécie de túnel de segurança,blindada de interceptação e rastreamento. Por isso,hackers e fraudadores utilizam essa ferramenta para realizar navegações protegidas.

Sage expande parceria para fornecimento de solução ERP

A multinacional Sage – líder mundial em software de gestão para pequenas e médias empresas – está investindo na expansão da sua atuação no mercado brasileiro de ERP.A empresa acaba de fechar uma parceria estratégica com a InfoAxis,especializada em soluções de gestão de desenvolvimento de produto PLM e IoT,a “Internet das Coisas”.Por meio da iniciativa,a InfoAxis passará a fornecer o Sage X3,solução de gestão empresarial voltada para pequenas e médias empresas,nas regiões sudeste e sul do país. “A entrada do Sage X3 no nosso portfólio vai permitir a oferta aos nossos clientes de toda a gama de soluções para a gestão de desenvolvimento e fabricação dos produtos e serviços”,afirma Edward Pereira Júnior,presidente da companhia.Segundo ele,as empresas com necessidade de iniciar a implantação da indústria 4.0,com as soluções de IoT serão as principais beneficiadas com a parceria. “Vamos contar com a tecnologia completa de gestão para atender as novas demandas dos clientes,que buscam por produtos e serviços mais customizados,flexíveis e com maior qualidade”,explica.O Vice-presidente de Enterprise da Sage para a América Latina,Rui Nogueira,explica que o Sage X3 tem um diferencial de mercado que é apoiar as indústrias que buscam maior eficiência,conveniência e menores custos em seus processos acompanhando a conectividade e as novas tecnologias que envolvem a indústria 4.0. “A nossa solução apoia a transformação digital da gestão da manufatura,melhorando os processos de automação,decisórios e ampliando as vantagens competitivas,além da eficiência das organizações”,finaliza.

Regras de ouro para guardar dinheiro

Você tem dificuldade de guardar e investir seu dinheiro? Conheça os hábitos que podem estar por trás disso e veja dicas para conseguir ganhar mais Não que investir seu dinheiro seja difícil,mas não basta apenas se organizar financeiramente e guardar um pouco todo mês para ver sua grana render. “Organizar as finanças e poupar é o primeiro passo. Mas também é preciso acompanhar seus investimentos”,diz a economista-chefe do SPC,Marcela Kawauti. Na prática,isso significa ficar de olho nas mudanças para entender os investimentos,suas taxas e rentabilidade,para ter certeza de que está investindo no lugar certo. Além disso,deve-se ter claro o objetivo dessa economia. Pensando em facilitar esse entendimento,o SPC Brasil listou seis regras de ouro ao investir seu dinheiro. Entenda cada uma delas. Reorganize seu orçamento A primeira atitude é saber o quanto você pode guardar todo mês. Para isso,levante seus gastos e despesas e veja o quanto sobra. Nosso Simulador Diagnóstico Financeiro ajuda nesta tarefa. É preciso se organizar financeiramente para conseguir juntar uma reserva,o que inclui rever certos hábitos e repensar prioridades. Feito isso,reserve o que pode ser direcionado para o investimento e programe a retirada automática do valor da sua conta,preferencialmente assim que receber o dinheiro. Entenda seu objetivo Os investimentos devem ter três objetivos:imprevistos,sonhos e aposentadoria. É importante fazer essa distinção porque o objetivo do seu investimento influencia no tipo de investimento que fará. Por exemplo,um dinheiro guardado para imprevistos deve poder ser acessado facilmente. Um montante destinado à aposentadoria,por outro lado,é algo de longo prazo,que será retirado em mais de dez anos. Procure opções adequadas a cada um deles. Nivele sua disposição ao risco Ao escolher sua aplicação,é importante entender o quanto está disposto a correr riscos. Pensando nisso,criou-se na economia uma divisão em três perfis:conservador,moderado,arrojado. Não existe um perfil melhor do que outro,eles existem apenas para que o poupador entenda se o risco da aplicação é adequado a sua situação financeira e personalidade. Um perfil arrojado,como o próprio nome já diz,prefere arriscar em um investimento de maior rentabilidade,porém volátil,ou seja,cujo valor pode variar bastante,para mais ou para menos. O conservador,por sua vez,mantém seu investimento em algo que embora não renda tanto,possui retorno mais seguro e garantido. Há ainda o perfil moderado que,embora priorize a segurança de seus investimentos,mantém também espaço para arriscar um pouco mais. Diversifique e acompanhe sua carteira “Costumamos aconselhar as pessoas a nunca colocar todos os seus ovos em uma única cesta. Isso significa colocar seu dinheiro em mais de um tipo de investimento para aproveitar as vantagens de cada um deles. Essa composição de diferentes tipos de investimentos é o que os economistas chamam de carteira”,explica Marcela. Assim,periodicamente,acompanhe,reavalie e,se necessário,realoque a sua reserva em diferentes investimentos. Fique de olho em como andam as taxas de juros de seus investimentos e sua rentabilidade,fazendo mudanças se necessário. Além disso,caso resolva mudar o tipo de investimento,não se esqueça de levar em conta eventuais taxas e pagamento de impostos. Esteja atento Busque informação e novidades em relação aos investimentos disponíveis. Para isso é fundamental acompanhar o cenário político e econômico do país. “Alguns investimentos se tornam mais ou menos vantajosos de acordo com a conjuntura e mudanças nas variáveis econômicas”,diz a economista. Para saber analisar tais mudanças,no entanto,é preciso primeiro entender sobre seu investimento. Disponha-se a aprender sobre o investimento para o qual está transferindo o seu dinheiro. Sites específicos de finanças pessoais,como o Meu Bolso Feliz,o InfoMoney e o Dinheirama são um bom começo. “Além disso,busque informações sobre o investimento no próprio site do banco e da corretora”,aconselha Marcela. E,se tiver dúvidas adicionais,não tenha cerimônia em perguntar ao seu gerente ou ao funcionário da corretora. Respeite o tempo Use o tempo e os juros compostos a seu favor! Em um mês rende pouco,mas no longo prazo,rende bastante. Por isso é tão importante ter determinação,paciência e disciplina,para poupar e fazer os depósitos mensalmente. Com o tempo,a quantia vai crescer e se tornará significativa. Mais um motivo também para criar o hábito de poupar desde cedo. Confira mais detalhes no infográfico:Está é minha imagem!SPC Regras de Ouro INTERNET Confira mais dicas em: meubolsofeliz.com.br

ACP manifesta preocupação com impactos do PL 557,que trata de ICMS

Em carta endereçada aos deputados estaduais,a Associação Comercial do Paraná (ACP) manifestou-se sobre os impactos do Projeto de Lei 557 do governo do Estado que altera as alíquotas do ICMS de micro e pequenas empresas e que pode majorar significativamente o recolhimento do imposto. A ACP pede uma análise mais detalhada do projeto e a garantia de que não haja mais aumento de tributos. Leia a carta na íntegra:"Senhores deputados,A Associação Comercial do Paraná (ACP),no cumprimento de sua missão institucional,tem acompanhado,com bastante preocupação,o trâmite do Projeto de Lei 557,encaminhado pelo Governo do Estado a essa Assembléia Legislativa. E constata que esse projeto,que é extremamente complexo,está tendo um andamento acelerado,incompatível com sua relevância e com os reflexos negativos que poderá trazer,caso transformado em lei,para as empresas paranaenses e,consequentemente,para a sociedade como um todo. Das muitas questões de que esse texto trata,chama a atenção,em seu art. 30,a mudança da tabela do ICMS para as empresas enquadradas no Simples Nacional. Embora se alegue buscar,com isso,apenas uma adequação da lei paranaense às alterações introduzidas em âmbito nacional pela Lei Complementar 155/16,há sérias dúvidas quanto ao seu impacto sobre essas empresas. Nesse sentido,por exemplo,as entidades de representação da classe contábil,caso do Conselho Regional de Contabilidade e do Sindicato das Empresas Contábeis do Estado do Paraná,apontam para um efetivo aumento da carga tributária em todas as faixas de incidência da nova tabela. Diante disso,é fundamental que,em primeiro lugar,seja reduzido o ritmo de apreciação do projeto por essa Assembléia,de modo que suas muitas disposições possam ser analisadas e discutidas com mais vagar,e,especialmente,para que seus efeitos sejam adequadamente dimensionados. E,em segundo,que,a se confirmar o impacto negativo da nova tabela,sejam feitas as adequações necessárias a neutralizá-lo,garantindo que não haverá nenhum aumento de ICMS para as micro e pequenas empresas paranaenses. Por fim,a ACP coloca-se à disposição para dialogar sobre o tema".

Roadsec Curitiba:especialista da CIPHER debate sobre possíveis falhas de segurança encontradas em dispositivos móveis

A CIPHER,empresa global especializada em serviços gerenciados,profissionais,consultoria e soluções de cibersegurança,participa da edição do RoadSec,que acontece em Curitiba (PR). O consultor de Segurança da Informação no Laboratório de Inteligência da CIPHER,Diego Barboza,ministra a palestra "Introdução ao Pentest Mobile". O RoadSec é um dos principais eventos da Segurança da Informação voltada à comunidade de hackers. A palestra acontece às 16h20,na PUC Curitiba.A ideia da palestra é mostrar que com a popularização do uso de aplicações móveis,por pessoas e empresas,criou-se a necessidade de migração de dados,aplicações e,por consequência,informações sensíveis de negócio para o ambiente móvel de smartphones e tablets. Como qualquer dispositivo eletrônico conectado,estes gadgets podem ser comprometidos caso as aplicações não contem com desenvolvimento seguro,que a blinde contra extração de dados e execução de código remota. Durante a palestra,Diego fará uma introdução às técnicas de testes de intrusão para aplicações móveis e dispositivos,demonstrando quais são as falhas normalmente encontradas nos ambientes móveis e como elas podem ser exploradas.Sobre o evento - O Roadsec é um roadshow que leva atividades e conteúdo sobre hacking,segurança da informação e tecnologia por todo o país. Com quatro anos de estrada e mais de 40 edições,já recebeu mais de 25.000 participantes de todas as regiões do Brasil. Em 2017,o evento começou em fevereiro e vai passar por 18 capitais até novembro,quando acontece a edição de encerramento em São Paulo.RoadSec CuritibaData:07 de outubro de 2017Palestra:"Introdução ao Pentest Mobile"Horário:16h20Local:PUC CuritibaEnd.:Rua Imaculada Conceição,1155 - Prado VelhoInformações:http://roadsec.com.br/curitiba2017/

Dia do Empreendedor:5 dicas para quem deseja abrir um negócio

No dia 05 de outubro é comemorado o Dia do Empreendedor no Brasil e,de acordo com o Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas,de janeiro a junho de 2017 surgiram 902.290 novas empresas de MEIs,do total de 1.142.641 companhias criadas no País no período,o que representa 10,5% a mais do que o registrado no mesmo primeiro semestre de 2016.Portanto,empreender se tornou o sonho de muitos brasileiros,porém nesse processo os desafios e as dificuldades são inúmeros e é preciso ter muita resiliência para alcançar o sucesso. Com isso,a We Do Logos,maior comunidade de designers da América Latina,listou algumas informações importantes para o empreendedor ser bem-sucedido em seus negócios.1. Saiba delegar as tarefasO empreendedor deve se dedicar aos assuntos estratégicos para a empresa. Por isso,delegue tarefas operacionais,como atender telefone e organizar o estoque. Descentralize funções importantes,que possam ser realizadas por outras pessoas e saiba como reter esses talentos. Oferecer um ambiente confortável,segurança e horários flexíveis,por exemplo,são fatores que auxiliam muito a manter a equipe motivada. “Outro ponto fundamental é treinar os colaboradores pessoalmente,explicando o modo de execução de cada tarefa,definindo processos e estabelecendo padrões de qualidade”,explica Gustavo Mota,CEO da We Do Logos.2. Tenha sensibilidade para resolver conflitosSeja sempre imparcial e procure a maneira mais justa para resolver um problema entre seus colaboradores. “Quando uma desavença surgir,escute os dois lados,entenda as razões e os pontos de vista de cada um e tenha uma postura racional para que o clima da equipe não seja prejudicado”,recomenda Mota.3. Assuma os próprios erros e compartilhe realizaçõesNão há nenhum problema em errar,o que não pode acontecer é não assumir as falhas. Exponha os erros e esteja aberto a discutir soluções,isso evitará boatos que podem gerar desconfianças e distrações. Do mesmo jeito que é importante se desculpar pelas falhas,celebrar os acertos é fundamental. Por isso,compartilhe e comemore as conquistas com a equipe. A vantagem dessa atitude é que ela enche o ambiente de boas energias,o que aumenta a produtividade.4. Incentive a comunicaçãoO bom gestor está sempre atento ao bem-estar da equipe e é sempre uma pessoa disposta a ouvir. Valorize o canal de comunicação com a equipe e esteja sempre disposto a dialogar e valorizar as opiniões dos colaboradores,pois elas podem trazer ideias que vão ajudar você a melhorar vários aspectos no bom funcionamento da empresa.5. Dê feedbacks produtivosOs colaboradores precisam saber quão são produtivo são e o que precisam fazer para se desenvolverem profissionalmente. Seja criterioso e justo na hora de passar o feedback para a equipe. “Ser sincero é um ponto importante,mas tenha sempre em mente que algumas críticas,quando não feitas em um discurso construtivo,podem desanimar o seu funcionário. Procure sempre agregar incentivos às críticas e adote uma postura parceira ao sinalizar os pontos a melhorar”,finaliza Mota.

ACOM Sistemas cria programa de premiação para incentivar colaboradores

Para garantir o sucesso de projetos e a satisfação ainda maior de clientes e da própria equipe,a ACOM Sistemas criou,neste ano,um programa que distribui parte do valor de novos contratos para a equipe da empresa,de acordo com o sucesso na conclusão desses novos projetos.O Programa de Premiação Motivacional – PPM reserva 10% da renda obtida com novas contratações para distribuir,trimestralmente,uma quantia em dinheiro para os colaboradores por entregas bem-sucedidas. A previsão é de que esse incentivo possa resultar ao equivalente a mais de um salário extra anual para cada participante do programa.A empresa formou um comitê para gerir o programa e estabeleceu critérios para participação e premiação,que levam em conta assiduidade,avaliações individuais de desempenho,sucesso na entrega dos projetos e feedback de satisfação dos clientes.Na primeira entrega de premiação do ano,foram anunciados os resultados obtidos com a novidade implantada e todos participaram de um evento comemorativo dos 14 anos da empresa com palestra da Coach Paula Boarin,com o tema Talento – Missão – Visão e Propósitos,para ampliar a consciência da equipe sobre propósitos pessoais e profissionais.Sobre o evento,a coach Paula comenta:"É muito bacana quando somos chamados para desenvolver um conteúdo para eventos onde a empresa demonstra real interesse no desenvolvimento do colaborador. Isso a ACOM Sistemas faz muito bem! A proposta foi 100% desenvolvida para esse momento de celebração e conquista. E a ideia foi trazer um conteúdo que fosse útil integralmente para os colaboradores. A recepção foi ótima e a participação do grupo fez a diferença. "“Dinheiro a mais sempre é bom”,acrescenta o Desenvolvedor Eduardo Petti Costa,que elogia o fato de a direção da empresa mostrar atenção especial com a equipe. Mas ele também destaca o compromisso a cada novo projeto:“sinto que,agora,sou responsável pelos meus ganhos extras e dos outros colaboradores ”.É o que também percebe o Analista de Implantação Humberto Largura Neto,que trabalha na ponta final dos projetos. “Procuro ser ainda mais proativo. O compromisso com o resultado é maior e isso motiva a equipe”,completa.Flávia Alves,da área administrativa e financeira,acompanha o PPM no controle dos projetos e já nota uma nova visão:“todos se interessam pelo trabalho dos outros porque sabem que o resultado vem de um grupo que precisa estar unido e comprometido”.Carlos Drechmer,Diretor Executivo da ACOM Sistemas,explica que já se percebe uma grande mudança de cultura. “O programa foi criado para aumentar o engajamento do time com foco prioritário no sucesso do contratante. Com o êxito dos projetos,tudo fica bom para a empresa,para os colaboradores e,principalmente,para os nossos clientes”,enfatiza.

Como escolher o sucessor na gestão da empresa familiar?

As empresas familiares são uma importante parcela no mercado financeiro brasileiro. Estudos recentes apontam que esse nicho no Brasil cresceu mais do que a média mundial. É o que revela levantamento da PricewaterhouseCoopers (PwC),publicado no final de 2015. Na época,79% das empresas familiares brasileiras cresceram no período de 12 meses avaliado e 76% delas esperavam franco crescimento nos cinco anos seguintes. A médica global desses aspectos de estudo era de 65% e 85%,respectivamente. Apesar dos altos índices verificados no estudo,um tópico pode ser motivo de preocupação:apenas 11% das empresas familiares possuem um processo sucessório bem estruturado.De acordo com Eduardo Valério,diretor-presidente da GoNext Family Business,especializada em gestão de negócios e implantação da governança corporativa na empresa familiar,o processo de sucessão é essencial para a boa desenvoltura dos negócios. E a escolha do sucessor é uma das fases mais importantes dessa transição. "Para que o processo sucessório aconteça de maneira exitosa,recomendamos que sejam adotados os seguintes instrumentos e respectivos órgãos:preparação das famílias envolvidas por meio do acordo de família e sócios,prevendo as regras do processo sucessório;preparação do sucedido para que este seja agente e patrocinador do processo;envolvimento do Conselho de Administração como órgão mediador e aferidor;além do desenho do formato de avaliação do desempenho do sucessor",orienta Valério.Mas como escolher um gestor quando há vários herdeiros disputando o mesmo cargo? O especialista acredita que as competências para o bom desempenho da função na empresa deverão obedecer às descrições formuladas em acordo e a determinação sobre quem deve ser o novo gestor advém das características exigidas pelo cargo. Além disso,segundo Valério,a formulação de um planejamento estratégico pode ser determinante para elencar quais as competências demandadas para chefiar a maioria das funções da empresa. "Em nossos projetos identificamos várias situações muito específicas,já que cada empresa/família tem a sua própria dinâmica. Contudo,podemos afirmar que,dentre os mais de 100 projetos atendidos pela GoNext,a maioria das empresas teve seu sucessor oriundo dos herdeiros (cerca de 65%) . Nos demais casos foram outros familiares não herdeiros (cerca de 15%) e no restante,a função foi exercida por profissional não pertencente à família",afirma Valério.Quando a opção para a sucessão é feita visando um executivo de mercado não pertencente à família para assumir a função,dentro das atribuições também é alocado o projeto da sucessão,segundo Valério. "Muitas vezes há um 'gap' entre as gerações quando os herdeiros ainda são muito jovens para o processo sucessório. Dessa maneira,a opção é o ingresso de um profissional externo,o que também pode contribuir muito no processo de sucessão,dando aos herdeiros o tempo necessário para avaliarem suas competências e metas profissionais,sem comprometer o rendimento da empresa nesse período",comenta o especialista.

Como o processo de inovação da sua empresa deveria ser?

Empresas e agências governamentais geralmente cometem o erro de olhar para a inovação como um “ajuntado” de atividades sem disciplina ou sem regulamentação.Na realidade,para que a inovação venha a contribuir com uma empresa ou com uma agência governamental,ela deve ser pensada como um processo,desde o começo de seu desenvolvimento.Quando empresas não possuem um pipeline formal de inovação,aprovações de projetos tendem a ser embasadas em quem tem a melhor demo ou slides,ou nos lobbies mais fortes.Não há,para quem propôs a ideia,o fardo de conversar com possíveis clientes,criar um mínimo produto viável,testar hipóteses e compreender as barreiras do desenvolvimento.Nesses casos,conta-se somente com pessoas bem-intencionadas e inteligentes,sentando num comitê para decidir que ideias valem serem colocadas em prática.Ao invés disso,empresas precisam é de um pipeline auto regulável,embasado em evidências.Ao invés de um comitê de ideias,elas precisam de um processo que opera com velocidade e urgência,e que ajuda pessoas inovadoras e outros stakeholders a levantar e priorizar problemas,ideias e tecnologias.Esse processo de priorização tem que começar antes mesmo de uma nova ideia chegar até a engenharia.Dessa maneira,as inovações que chegam até a engenharia já irão possuir evidências substanciais,e irão evitar desperdício de trabalho e de investimento.Validar necessidades de consumidores,processos,segurança legal,problemas de integração,etc.excelente processo de inovação dentro de uma companhia deveria ser assim:Inovação: durante um período,um grupo gera uma lista de problemas,ideias e tecnologias que podem valer a pena investir.Curadoria:durante alguns dias ou mesmo semanas,os inovadores saem de seus próprios escritórios e conversam com colegas e clientes.O objetivo é encontrar outros lugares na empresa onde um determinado problema poderia existir de uma forma ligeiramente diferente.Identificar projetos internos relacionados já existentes e encontrar soluções comercialmente disponíveis para problemas.Também procurar identificar questões legais,problemas de segurança e problemas de suporte.Esse processo auxilia a identificação de quem seriam os possíveis clientes de uma solução a ser desenvolvida,a equipe a ser envolvida no desenvolvimento,e até mesmo como um mínimo produto viável deve ser.Essa fase inclui a criação do mínimo produto viável inicial.Algumas ideias “morrem” quando o time reconhece que ela pode ser inviável financeira,legal ou tecnicamente,ou ao descobrir que alguém já fez um produto similar.Priorização: uma vez que uma lista de ideias de inovação foi refinada pela curadoria,é necessário priorizar essas ideias.Um dos modelos mais rápidos para isso é o Modelo de Três Horizontes,de McKinsey.Uma vez que os projetos estejam priorizados,a equipe deve então pegar o primeiro da lista e se perguntar:“esse projeto vale ser executado pelos próximos meses,com esforço integral de nosso tempo?”.Essa priorização não é feita por um comitê,e sim pela própria equipe de inovação.Exploração da solução e teste de hipóteses: as ideias que passarem pelo filtro da priorização entram em uma fase de incubação.Esse processo entrega evidências para decisões baseadas em dados,facilmente defensáveis. Para cada ideia,o time de inovação cria um canvas de modelo de negócio.Tudo nesse canvas não passa de hipótese,e a ideia é validar tudo.Incubação: Uma vez que os testes de hipóteses forem concluídos,muitos projetos ainda irão precisar de um período de incubação enquanto os times concluem o recolhimento de informações acerca da aplicação.Concluem a criação do MPV,e se acostumam a trabalhar juntos (em casos de equipes recém-formadas).A incubação requer uma atenção dedicada das lideranças da empresa,para que se garanta que o projeto não morra por falta de acesso a recursos ou se torne “órfão” (sem alguém para o guiar).Integração e inovaçãoNesse ponto,se a inovação for Horizonte 1 ou 2 (segundo o Modelo de Três Horizontes,de McKinsey),é hora de integrar ele na organização já existente de sua empresa (inovações Horizonte 3 geralmente são criadas para serem independentes).Tentar integrar projetos de inovação novos,sem orçamento e planejamento prévio é caótico e frustrante,com certeza gerará atrito.Uma realidade de mercado atual é de que as empresas estão enfrentando a grande ameaça da disrupção.Algumas inclusive começaram a perceber que sua vantagem tecnológica é diminuída ano após ano,e ficar parado logo vai se transformar em ficar para trás.Que tal fazer uma pausa e pensar em como o seu processo de inovação se parece,e como pode ser melhorado? Por Siro Canabarro,CMO da Gumga

Curitiba lidera ranking brasileiro de endividamento pelo terceiro ano consecutivo

Segundo estudo da FecomercioSP,em todas as três capitais da Região Sul,a proporção de famílias endividadas ficou acima da média das 27 capitais brasileiras (57%)Nos últimos três anos,a capital do Paraná registrou a maior proporção de famílias endividadas do Brasil,atingindo 87% em dezembro de 2016,nível bem superior à média nacional (57%). Ainda no último triênio,o segundo lugar do ranking nacional de endividamento também foi ocupado por uma capital da Região Sul,Florianópolis/SC,que encerrou 2016 com 86% das famílias endividadas.A outra capital da região,Porto Alegre/RS,também se manteve acima da média nacional de endividamento em 2016,com 71% das famílias endividadas. Diferente de Florianópolis,o porcentual de famílias nessa situação na capital gaúcha vem aumentando ao longo dos últimos três anos,registrando 53% (2014),68% (2015) e 71% (2016).Os dados compõem a sétima edição da Radiografia do Endividamento das Famílias Brasileiras,realizada pela Federação do Comércio de Bens,Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). O estudo avalia principais aspectos,dimensões e efeitos sobre as famílias da política de crédito no Brasil entre 2014 e 2016,período particularmente turbulento tanto no campo político quanto no econômico. A análise foi feita com base em informações do Banco Central do Brasil,do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e da Confederação Nacional do Comércio de Bens,Serviços e Turismo (CNC).No quesito "valor médio mensal de dívida por família",a capital paranaense também se sobressaiu,com o segundo maior valor entre as 27 capitais do País,de R$ 2.236 em dezembro de 2016;enquanto Porto Alegre/RS figurou na quarta posição (R$ 2.093). Já em Florianópolis/SC,o valor médio mensal de dívida atingiu R$ 1.817 em 2016,apenas R$ 40 acima da média das capitais (R$ 1.777).Em todas as capitais da Região Sul,o nível de comprometimento da renda com dívidas ficou muito próximo dos 30%,que foi a média nacional e o patamar considerado adequado pela Entidade para não sinalizar risco de elevação da inadimplência:Curitiba/PR (32%),Florianópolis/SC (32%) e Porto Alegre/RS (31%).Em relação à inadimplência,destacou-se a alta de 7 pontos porcentuais na proporção de famílias com contas em atraso,entre 2014 e 2016,na capital gaúcha,encerrando o ano em 27%,acima da média nacional (23%). Em Curitiba/PR e Florianópolis/SC,essa proporção atingiu 29% e 27%,respectivamente.Para a assessoria econômica da FecomercioSP,a conjunção de crise econômica e aumento das incertezas,além da maior seletividade do sistema financeiro e das altas taxas de juros,levaram as famílias a reduzir fortemente a tomada de crédito,comprometendo o seu consumo de bens duráveis,principalmente,e gerando uma das maiores recessões de vendas na história do comércio varejista. Nesses dois últimos anos,enquanto as operações de crédito no Brasil encolheram 12,2% em termos reais,as taxas médias de juros anuais cresceram 23,1 pontos. Ainda assim,por concentrar a segunda maior renda média do País e grande oferta de crédito,a Região Sul mantém alta taxa de endividamento.Ranking Região Sul (2016)1 - Número de famílias endividadas (porcentual)Curitiba/PR - 551.086 (87%)Florianópolis/SC - 148.037 (86%)Porto Alegre/RS - 386.192 (71%)Total das capitais - 8.868.963 (57%)2 - Parcela da renda mensal comprometida com dívidasCuritiba/PR - 32%Florianópolis/SC - 32%Porto Alegre/RS - 31%Média nacional - 30%3 - Valor médio mensal de dívida por famíliaCuritiba/PR - R$ 2.236Porto Alegre/RS - R$ 2.093Florianópolis/SC - R$ 1.817Média nacional - R$ 1.7774 - Porcentual de famílias com dívidas em atrasoCuritiba/PR - 29%Florianópolis/SC - 27%Porto Alegre/RS - 27%Média nacional - 23%5 - Variáveis de créditoNúmero de famíliasCuritiba/PR - 632.461Porto Alegre/RS - 546.540Florianópolis/SC - 171.236Total das capitais - 15.490.539Renda média (R$)Curitiba/PR - 7.026Porto Alegre/RS - 6.704Florianópolis/SC - 5.593Média das capitais - 5.859Massa de rendimentos (R$ mil)Curitiba/PR - 4.443.484Porto Alegre/RS - 3.664.250Florianópolis/SC - 957.725Total das capitais - 90.756.900Participação da massa de rendimentos no total Brasil (%)Curitiba/PR - 1,7%Porto Alegre/RS - 1,4%Florianópolis/SC - 0,4%Total das capitais - 35,3%

Soluções para uma economia mais competitiva em destaque no Amcham Business Day

O Amcham Business Day reuniu executivos de grandes,médias e pequenas empresas para debater as possibilidades econômicas do Brasil e do Paraná. No Fórum de + Competitividade Brasil,uma das principais atrações do evento,palestrantes com grande experiência na área comentaram o atual contexto político-econômico e os caminhos possíveis para projetar o país na economia global.A presidente da Boeing para a América Latina e ex-embaixadora dos Estados Unidos no Brasil,Donna Hrinak,destacou a educação e a diversidade como alicerces do crescimento. A executiva sustentou que um sistema educacional capaz de formar mão-de-obra qualificada para o mercado e a aceitação da diversidade,não só de gênero ou raça,mas de culturas e experiências proporciona ao mundo corporativo um ambiente mais plural e compreensivo em relação às necessidades dos clientes. Para Hrinak,o momento de instabilidade política ensina que a responsabilidade pelo desenvolvimento deve ser compartilhada entre cidadãos,empresas e governo,sendo necessário senso de urgência para que a mobilização aconteça.Analisando a atual crise de representatividade política que agravou a situação da economia nacional,o jornalista e cientista político William Waack defendeu uma mobilização do que chamou de “elite pensante” pela retomada do crescimento e por uma maior inserção do Brasil no mercado internacional. Segundo o jornalista,o descrédito no sistema político não pode afetar o engajamento nas questões políticas. Ao criticar a participação pouco expressiva do país em acordos internacionais,blocos comerciais e em políticas de aproximação com centros tecnológicos,Waack afirmou que “os empresários precisam pensar para o mundo”.A economia do Paraná foi o foco da palestra de encerramento do Fórum de + Competitividade Brasil. José Aroldo Gallssini,presidente da Coamo,ressaltou que o cooperativismo é uma das grandes forças da economia paranaense,explicando que o sucesso das cooperativas está diretamente ligado à participação efetiva dos cooperados na gestão. O presidente da cooperativa apontou boas práticas aplicáveis também às empresas,como o investimento na formação de pessoal qualificado e o empenho em evitar a perda desses profissionais.Com o tema “A Terceira Onda – Como a informação está mudando a competição”,o Business Day 2017 foi organizado pela Câmara Americana de Comércio (Amcham-Curitiba). O evento aconteceu na Unicuritiba e reuniu empresários de todo o Paraná,que ainda participaram de rodadas de negócios,workshops,palestras e ações de comércio exterior.