Sage expande parceria para fornecimento de solução ERP

A multinacional Sage – líder mundial em software de gestão para pequenas e médias empresas – está investindo na expansão da sua atuação no mercado brasileiro de ERP.A empresa acaba de fechar uma parceria estratégica com a InfoAxis,especializada em soluções de gestão de desenvolvimento de produto PLM e IoT,a “Internet das Coisas”.Por meio da iniciativa,a InfoAxis passará a fornecer o Sage X3,solução de gestão empresarial voltada para pequenas e médias empresas,nas regiões sudeste e sul do país. “A entrada do Sage X3 no nosso portfólio vai permitir a oferta aos nossos clientes de toda a gama de soluções para a gestão de desenvolvimento e fabricação dos produtos e serviços”,afirma Edward Pereira Júnior,presidente da companhia.Segundo ele,as empresas com necessidade de iniciar a implantação da indústria 4.0,com as soluções de IoT serão as principais beneficiadas com a parceria. “Vamos contar com a tecnologia completa de gestão para atender as novas demandas dos clientes,que buscam por produtos e serviços mais customizados,flexíveis e com maior qualidade”,explica.O Vice-presidente de Enterprise da Sage para a América Latina,Rui Nogueira,explica que o Sage X3 tem um diferencial de mercado que é apoiar as indústrias que buscam maior eficiência,conveniência e menores custos em seus processos acompanhando a conectividade e as novas tecnologias que envolvem a indústria 4.0. “A nossa solução apoia a transformação digital da gestão da manufatura,melhorando os processos de automação,decisórios e ampliando as vantagens competitivas,além da eficiência das organizações”,finaliza.

TI do Paraná precisa de mais “mão na massa”e menos política

Há alguns anos,acompanho de perto o desenvolvimento do setor de tecnologia do Paraná. A TI estadual conta com empresas que desenvolvem soluções de primeira linha para atender aos mais variados segmentos da economia. Quer um bom ERP,um bom CRM,alguma solução eficiente em analytics,software para o setor financeiro,varejo,indústria? Basta procurar no próprio estado,que você encontra gente competente para fornecer. Isso é fruto de esforços,por exemplo,para se alcançar certificações internacionais de qualidade de software como CMMi e ainda ter o maior número de empresas com a certificação nacional mps.br. O Paraná sempre se destacou em nível nacional quando seus empresários fizeram o que sabem de melhor:cuidar da gestão,melhorar o desempenho,inovar no desenvolvimento de software,liderar em hardware com grandes companhias como Bermatech e Positivo Informática. E é disso que o mercado paranaense mais precisa,agora,para deixar a crise nacional para trás e seguir crescendo acima da média. Para isso,o estado precisa de lideranças empresariais focadas em geração de negócios,muito networking,cooperação e geração de oportunidades para novos negócios. O fortalecimento de Arranjos Produtivos Locais e Centrais de Negócios em regiões com Curitiba,Maringá,Londrina,Oeste,Sudoeste e Campos Gerais é vital. A representação política é importante,mas,historicamente,não alavancou o setor. Vejamos o exemplo de Curitiba:lutou para ter programas como Tecnoparque e ISS Tecnológico. Perdeu tudo com a administração municipal passada e depende,agora,do que o novo prefeito vai poder costurar sem que a arrecadação municipal,em baixa,não seja afetada. O Vale do Pinhão surge como esperança para a criação de um grande centro de inovação. Mas vai depender da adesão do empresariado. Em nível estadual,criou-se uma importante Governança de TIC para fazer do Paraná um líder na América Latina em tecnologia. Mas esse tipo de iniciativa,gerou ou vai gerar algum negócio ou vantagem competitiva para as empresas locais? Dificilmente. A classe política está muito em baixa. Está mais preocupada,atualmente,em garantir a própria sobrevivência. Não há verbas para grandes ações de incentivo e as compras públicas locais de tecnologia não costumam mostrar muita variedade entre seus fornecedores. O futuro da TI do Paraná deve alcançar sucesso muito mais pelo esforço de seus empresários do que por um simples "beija-mão" em políticos. Gilberto Camposeditor do Curitiba IT

Com sistema de mobilidade,R. Franco Engenharia ganha eficiência,produtividade e controle integrado de informações

Uma das principais construtoras do Paraná,a R. Franco Engenharia completa duas décadas de atuação em 2017 e investe em melhorias para otimização dos processos internos. Especializada em construção e reformas de obras industriais e comerciais,a empresa adotou o Mobuss Construção,sistema de mobilidade para o segmento,desenvolvido pela Teclógica.Com acesso via dispositivo móvel,a solução permite o registro das atividades no próprio canteiro,sem a necessidade com conexão web. Cinco dos oito módulos disponíveis no sistema estão em uso na R. Franco:Apontamento,Qualidade,Segurança,Documentos e Registros. Segundo Sandro Andrey Ramos da Silva,coordenador de planejamento e suprimentos da companhia,as vantagens do investimento,que representa menos de 1% do custo total da obra,já são visíveis. “O Mobuss Construção nos possibilitou um controle mais efetivo,e reduziu a zero o uso de papel nas obras. Ganhamos ainda na organização dos dados e na consequente padronização dos processos para um controle eficaz. Tudo isso resultou na qualidade do produto final,que pode ser entregue com redução de tempo na execução de algumas tarefas”,diz. O gestor explica que através do módulo de Apontamento,a R. Franco passou a identificar serviços,etapas ou composições que não foram consideradas inicialmente para o projeto. “O registro e evidenciação das horas gastas em atividades não previstas foi um ponto bastante útil. Desta forma foi possível trabalhar com planos de ações em cada obra a fim de minimizar este tempo perdido”,avalia. Outro ponto destacado pela empresa foi a possibilidade de transmissão instantânea de dados e relatórios colhidos em campo para a central. Já na área de qualidade,Sandro pontua que o acompanhamento de inspeções e seus resultados passaram a ser seguidos pela central. “Assim há a possibilidade de gerenciamento de não conformidades detectadas durante o projeto. A gestão a distância que o Mobuss Construção trouxe foi um ponto crucial,já que nossas obras se encontram em regiões e cidades diversas”,comenta.Mais controle para a segurança das equipesGestão de EPI’s,treinamentos dos profissionais e relatórios das atividades passaram a ser realizadas via tablet,com o módulo de Segurança do Mobuss Construção. Agora,a R. Franco conta com controle de validade destes documentos e pode acessá-los rapidamente. “Assim,estamos mais atentos às validades,emitimos relatórios facilmente e a documentação trabalhista totalmente controlada nos permite,por exemplo,realizar a transferência de um colaborador para outra obra. Isso auxilia também na questão de custos e agilidade na execução de tarefas,já que um profissional precisa estar devidamente legalizado para poder executar suas funções e entregar o trabalho necessário”,explica o coordenador da construtora.Por fim,Sandro conta que a gestão dos documentos e dos registros relacionados às obras da R. Franco passou por uma redução de falhas em relação ao arquivamento. “O sistema utilizado anteriormente neste processo tinha baixo grau de confiabilidade e com os módulos de Documentos e de Registros do Mobuss Construção conseguimos padronizar os processos e reduzir o tempo das operações. Hoje contamos com um local centralizado para a busca e atualização de documentos,maior controle sobre revisões em andamento,redução de circulação e cópias obsoletas. Tudo isso resulta em maior agilidade na rotina da empresa”,finaliza.Atualmente,90% dos documentos das obras da R. Franco já são controlados através do Mobuss Construção. A construtora conta com as certificações ISO 9.001,ISO 14.001 e OHSAS 18.001 e foi responsável pela execução de projetos de grandes empresas em diferentes locais do país,como Petrobrás,Vale,Walmart,O Boticário e Votorantim.

Casa Di Conti contrata o mais recente ERP SAP com a curitibana Pelissari

A Casa Di Conti,fábrica de bebidas,responsável pela fabricação das famosas cervejas 1500,Burguesa e outras bebidas,expande neste momento a capacidade da sua TI em busca de um maior controle de processos de negócio e apoio,como:desenvolvimento de produtos,vendas,importação e exportação,logística,suprimentos,produção,controladoria e custos.O recente investimento no novo ERP deverá suportar o crescimento da Casa Di Conti daqui para a frente,primeiro suprindo as necessidades básicas iniciais que o modo Standard oferece e posteriormente aproveitando todas as hiperconexões,integrações e funcionalidades que podem ser feitas a partir do S/4 HANA.Para Gilberto Cardoso,gerente de TI da Casa Di Conti “Desde o início da negociação eu sempre acreditei na parceria Conti e Pelissari,e trabalhamos em conjunto para que isso tornasse realidade,tenho certeza de que ambos cumpriram muito bem seu papel. Ficou muito claro o envolvimento e a dedicação que a Pelissari teve no processo para que isso acontecesse. Já iniciamos essa parceria,que tenho certeza vai permanecer,com chave de OURO. Tanto Casa Di Conti como Pelissari,tem algo em comum,ambas valorizam o ser humano,independentemente do setor que atuam e isso com certeza que fez diferença. ”Sendo considerado o ERP pós-moderno mais completo que existe e o único ERP SAP a estar vigente a partir de 2025,o S/4 HANA já prevê uma porta de entrada para uma nova era industrial como afirma Rudi Pelissari,CEO da empresa:“Acreditamos que o S/4 HANA é a plataforma certa para a indústria 4.0 e estamos preparando nossos clientes para esta realidade,estamos cumprindo nosso papel que é o de trazer mais produtividade para as empresas e na sequencia podermos torna-las mais competitivas e por fim transformar seus negócios”.

Greca no Parque de Software de Curitiba:Vale do Pinhão nasceu aqui

O prefeito de Curitiba Rafael Greca afirmou que o Vale do Pinhão,projeto de incentivo à inovação de Curitiba,é fruto do Parque de Software,inaugurado por ele há mais de 20 anos. Acompanhe vídeo do Valor Agregado.

Ramo Sistemas investe em Curitiba e outras 7 novas Unidades de Negócios

A Ramo Sistemas,empresa nacional focada em soluções para pequenos e médios negócios e parceira exclusiva da SAP na venda do ERP SAP Business One,está investimento em aumento de capilaridade. Com esse objetivo,a companhia está aplicando R$ 1 milhão na abertura de mais oito Unidades de Negócios distribuídas pelas regiões Sul,Sudeste,Norte e Nordeste do Brasil.Os novos escritórios vão funcionar nas cidades Campinas e Ribeirão Preto (SP);Curitiba (PR);Porto Alegre e Caxias do Sul (RS);Ipatinga (MG);Recife (PE);e Manaus (AM). A expansão faz parte de sua estratégia de crescimento traçada para 2017,com estimativas de aumento do faturamento entre 16% e 17% sobre os resultados de 2016. Agora a companhia soma 8 Unidades de Negócios,duas filiais no Rio de Janeiro e uma em Belo Horizonte,sua sede em São Paulo,além de mais 170 parceiros em todo o Brasil.Décio Krakauer,presidente da Ramo Sistemas,informa que as oito Unidades de Negócios foram definidas com base de parceiros com alto rendimento e competência no mercado brasileiro de ERP. Mas que esse modelo poderá mudar no futuro,talvez a partir de 2018. "Poderemos pensar na possibilidade de transformá-las em franquias. No momento são Unidades de Negócios,cujas empresas são de nossos mais expressivos EBMs (Extended Business Members),revendas autorizadas Ramo-SAP",explica.O executivo esclarece que essas Unidades de Negócios não são sócias da Ramo Sistemas. "Estamos aumentando a parceria para apoiar o crescimento e sustentabilidade dos nossos negócios,canal de vendas e clientes",ressalta Krakauer. Ele justifica que os novos representantes são parceiros estruturados,com clientes,conhecimento profundo de SAP Business One,do mercado e com condições de oferecer os melhores serviços em suas regiões.A Ramo Sistemas planeja ainda para 2017 abertura de mais 3 ou 5 novas Unidades de Negócios para sustentar suas metas de crescimento para este ano. Atualmente a companhia opera com uma rede de 170 parceiros. Esses canais estão distribuídos em 50 cidades no Brasil,atendendo as principais regiões,suportando clientes de 12 verticais do mercado. São os setores Alimentício,Agrobusiness,Distribuição de Medicamentos,Laticínios,Distribuição e Logística,Clubes Esportivos,Varejo e Oil & Gas.As vendas diretas estão concentradas em São Paulo e indiretas são realizadas por meio de parceiros em outras regiões do Brasil,respeitando a experiência do canal em cada segmento da economia.A Ramo Sistemas é o principal parceiro de SAP Business One no Brasil,com o maior faturamento,volume de vendas,clientes e consultores. Em 2015,a empresa foi reconhecida pela SAP como a melhor em performance de vendas e em 2017 foi premiada como maior venda de SAP Business One.

Vale do Pinhão:Curitiba precisa de muito mais do que um nome engraçadinho para ser referência em tecnologia

[caption id="attachment_4400" align="aligncenter" width="1024" caption="Prefeito Rafael Greca,durante eleições,já falava a empresários sobre o Vale do Pinhão"][/caption]Nos últimos quatro anos,Curitiba viveu um "período de trevas" no incentivo ao setor de tecnologia. A prefeitura da cidade congelou programas importantes como o ISS Tecnológico e o Tecnoparque,cuidou mal da relação com o ICI,principal fornecedor de TI do município,abandonou o Parque de Software. A criação de uma secretaria para Tecnologia Informação não mostrou qualquer resultado positivo. A cidade pagou o preço:viu Florianópolis despontar como "capital tecnológica" e apresentou menos iniciativas inovadoras do que municípios do interior do Paraná. Agora,em uma elogiável demonstração de boa vontade,o novo prefeito Rafael Greca anuncia a criação do "Vale do Pinhão" para incentivar a economia criativa,as startups e o setor de TI. Mas a novidade,que lembra o tom poético do criador precisa mostrar que pode ser mais que rima. Curitiba precisa,mesmo,é de uma grande solução. O problema é que esse Vale do Pinhão parece com iniciativas que já não funcionaram em um passado recente,a começar pelo nome:a gestão anterior apoiou a tal da Capivalley,que também tinha um nome engraçadinho,mas não vingou. Afastadas as capivaras inspiradoras das mídias sociais da gestão anterior,cria-se outra marca que se identifica com a população local,mas que pode acabar não convencendo o mercado lá fora. Afinal,aposta em tecnologia é para vender para o mundo. Essa é a força do Vale do Silício.Além do novo nome,outra aposta de Greca é a ocupação de um espaço decadente no bairro Rebouças. A ideia é integrar o setor produtivo à academia,com universidades instaladas ao redor. Mas a área nunca atraiu a atenção do empresariado do setor. Já se apostou nessa região quando Beto Richa foi prefeito e o incentivo do Tecnoparque,por exemplo,acabou sendo estendido para toda a cidade,na gestão de Luciano Ducci,porque não havia espaço para todos nas áreas delimitadas e a demarcação interessava mais aos especuladores imobiliários do que aos empreendedores da TI local. Se Curitiba quer ser grande em tecnologia,precisa ir além do "mais do mesmo" e de soluções batidas,que voltam com rótulo diferente. Acredito que o primeiro passo seja a criação de uma Governança de TI municipal,tomando,como exemplo,o que se criou,recentemente,em nível estadual para a convergência de ideias e estratégias. Mas o mais importante é ouvir a voz de quem cria as soluções inovadoras. A união do setor produtivo com poder público e academia é muito boa,,mas o Facebook não foi criado pelo reitor de Harvard,a Microsoft não é obra de um governador e a Apple não surgiu de algum devaneio do prefeito de Cupertino. Empreendedorismo é coisa de empreendedores.

Qualityware e Prime Control promovem evento para apresentar soluções para aumentar produtividade em ambientes SAP

As empresas curitibanas Qualityware e Prime Control reuniram clientes e parceiros para apresentar soluções que aumentam qualidade e produtividade de projetos em ambiente SAP. O evento marca uma parceria entre tradicionais especialistas em qualidade de software e infraestrutura de TI e também contou com apresentação da integradora Tenti,do Rio de Janeiro.Veja como foi o SAP Solutions Day em reportagem em vídeo do Valor Agregado.

CMMI Institute anuncia nova certificação profissional

CMMI® Institute anuncia uma nova certificação para profissionais que buscam avançar sua experiência na melhoria de desempenho. Milhares de organizações ao redor do mundo como GE Aviation,Hewlett Packard,Honeywell,IBM,Infosys,Raytheon,Samsung e Força Aérea dos EUA têm utilizado a CMMI para formar capacitação em seus processos,pessoas e tecnologia a fim de fornecer resultados. Ao reconhecer que os principais empregadores buscam candidatos que possuem conhecimento avançado,experiência e capacidades necessárias para conduzir o desempenho organizacional e rentabilidade,o programa Certified CMMI Professional confere às pessoas um modo de manter sua competitividade.Com base na estrutura de melhoria da capacidade adotada a nível global,a Capability Maturity Model Integration (CMMI)®,o programa Certified CMMI Professional® fornece aos profissionais a diretriz para elevar e manter habilidades dentro de áreas alvo estratégicas consideradas mais críticas a fim de avançar as capacidades chave de sua organização.Conforme a Pesquisa Salarial Dice.com 2015,"habilidades e experiência de CMMI comandam um aumento salarial de 7,6% ao longo do último ano." Este é um aumento para um salário médio de US$ 124.265. De fato,milhares de ofertas de trabalho ao redor do mundo exigem atualmente candidatos com credenciais de CMMI. O programa de certificação Certified CMMI Professional agrega valor instantâneo às organizações ao proporcionar aos profissionais o treinamento prático e exames baseados em cenários. O programa de certificação avança e valida a habilidade dos profissionais de:- Fornecer roteiros organizacionais para dar suporte à elevação de desempenho- Treinar membros da equipe sobre como melhorar o desempenho- Conduzir os esforços de mudança organizacional em curso- Estabelecer uma cultura de contínuo aperfeiçoamentoCandidatos ideais para esta certificação são aqueles que buscam dar suporte às suas organizações ao formar uma cultura de contínuo aperfeiçoamento,comparando suas operações com as melhores práticas industriais e depois identificando e remediando deficiências de desempenho. A certificação está disponível aos profissionais que tenham um mínimo de três anos de experiência em desenvolvimento de produtos ou sistemas,prestação de serviços ou aquisição de produtos / serviços."Estamos muito satisfeitos em introduzir esta certificação profissional para profissionais que visam a agilizar operações dentro de suas organizações e avançar sua capacidade de ascensão," disse Kirk Botula,Diretor Executivo do CMMIInstitute. "Nossa meta é ajudar profissionais a obter a mais alta qualidade e entrega mais confiável de seus projetos e programas,enquanto mantém seu profissionalismo no mercado competitivo atual."Empresas que implementam a CMMI irão se beneficiar do investimento em treinamento e certificação para suas equipes de CMMI,de modo que possam entender melhor o valor comercial de cada requisito de CMMI e como isto afeta a qualidade e desempenho de projetos. "Toda a equipe superou os desafios e criou novas ferramentas e padrões,desenvolvendo um novo e moderno processo para o desenvolvimento de softwares," disse Carlos Henrique Novaga Alves,gerente geral de soluções industriais em TI na Chemtech (uma empresa da Siemens). "Isto proporcionou uma oportunidade única para a equipe repensar como nosso processo é executado — desde levantamento de requisitos até aumento da produtividade. A implantação de CMMI também foi um modo de alavancar o conhecimento do processo entre todos os colaboradores,treinando toda a empresa sobre o novo processo e ferramentas enquanto cria um novo padrão de trabalho."Profissionais que buscam levar suas carreiras ao próximo nivel devem aplicar agora o programa Certified CMMI Professional.

ICI implanta novo sistema para gestão de fornecedores

[caption id="attachment_4193" align="aligncenter" width="600" caption="Sistema executa todas as etapas dos processos de compras do ICI"][/caption]O ICI implantou neste mês de agosto o Fornecedor+,novo sistema para gestão de seus fornecedores. Por meio da ferramenta,o ICI executa todo o seu processo de compras e aquisições:desde o pedido de compra,até as cotações e monitoramento de entregas. Disponível em plataforma web,a solução é responsiva,o que significa que ela se adapta a qualquer dispositivo,como computadores de mesa,tablets e smartphones.Segundo o gerente Administrativo do ICI,Sergio Luiz de Miranda,o Fornecedor+ traz mais facilidade e transparência aos usuários. “A disponibilização dessa ferramenta demonstra também a abertura de mercado do Instituto,que adquire desde clipes a servidores de alta capacidade”,complementa o gerente.Hoje,o ICI conta com cerca de 2 mil fornecedores cadastrados no sistema. Em sua nova versão,o Fornecedor+ agrega funcionalidades que antes aconteciam em plataformas distintas. “Todo o processo de compra se dá em um único sistema”,diz a coordenadora de Compras do ICI,Gisele Prestes dos Santos. “Nós temos condições de monitorar os fornecedores,e estes têm controle sobre o atendimento prestado.”Para Patricia Melo,vendedora da Fabesul,o novo sistema ficou “muito bom”. “É fácil de usar e agora podemos acompanhar todo o processo de compra”. A Fabesul fornece materiais de expediente ao ICI há cerca de 10 anos.O sistema Fornecedor+ foi desenvolvido pelo ICI seguindo as melhores práticas de mercado. De acordo com o coordenador do projeto,Julio Cesar de Brito,a ferramenta web foi homologada nas versões mais recentes dos principais navegadores:Internet Explorer,Mozilla Firefox e Chrome. Além de unificar todo o processo de compras,a solução ainda tem integração com o sistema financeiro utilizado pelo Instituto. “Isso evita replicação de dados,trazendo mais segurança às operações”,diz o coordenador.

Solo Network participa da Conferência Mundial de Parceiros Microsoft

De 10 a 14 de julho aconteceu em Toronto,no Canadá a Conferência Mundial de Parceiros Microsoft 2016. O evento contou com a participação de mais de 16.000 mil parceiros da organização do mundo todo,entre eles a Solo Network,representada pelos diretores – Audreyn Justus,Paulo Vendramini e João Paulo Costa Pereira.A edição deste ano trouxe novidades,como o stand Brasil,que teve como objetivo fomentar o relacionamento com parceiros e gerar oportunidades de negócios. Além disso,os participantes tiveram uma agenda intensa de reuniões e sessões com os principais executivos da Microsoft.No dia 11,o CEO da multinacional,Satya Nadella,liderou uma conversa sobre nuvem e transformação dentro das empresas. “É incrível ver nossos parceiros abraçando a transformação digital por meio da nuvem Microsoft,aproveitando a escalabilidade e flexibilidade combinada com o poder da inteligência e segurança”,afirmou. Nadella apresentou ainda casos de sucesso de grandes empresas que estão aproveitando o poder da tecnologia para transformar a maneira de fazer negócios,como a General Electric (GE),Ecolab e Japan Airlines,que venceram no mercado utilizando produtos e soluções Microsoft,como o Microsoft Azure,Internet das Coisas,Power BI,Microsoft Dynamics 365 e HoloLens.Os últimos dois dias da conferência foram pautados pelos anúncios das novidades desenvolvidas pela Microsoft. Como acontece anualmente,o encontro se encerrou com um grande show,desta vez com a presença da cantora pop Gwen Stefani.A Solo Network é uma das maiores revendas de valor agregado do Brasil,possuindo grande experiência em consultoria,fornecimento,implementação e gerenciamento de produtos de fabricantes como Adobe,Autodesk,HP,Kaspersky e Microsoft. Atuando como provedor de soluções de TI integradas,tem como objetivo prestar serviços de qualidade superior,através das melhores soluções e práticas de TI.

Visionnaire comemora 20 anos “experiente como sempre e jovem como nunca”

[caption id="attachment_4134" align="aligncenter" width="640" caption="Os sócios Manoel Camilo Penna,Sergio Mainetti Jr e Célio Faria"][/caption]Reconhecida pela expertise em software para tecnologia bancária,pela visão de futuro ao movimentar o mercado de tecnologia com grandes eventos,ainda nos anos 90,e com fôlego para apostar em um núcleo de criação de startups,a Visionnaire Informática comemora 20 anos de fundação.Em 1996,quatro jovens,que voltavam de grandes experiências acadêmicas,se uniram para fundar uma empresa visionária de tecnologia. Flávio Bortolozzi,Manoel Camillo Penna,Vinicius Malucelli e Sergio Mainetti Jr tinham,como ponto comum de contato,a PUCPR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná). Os quatro haviam voltado de programas de Mestrado e Doutorado no Brasil e no exterior:Flávio e Manoel com Doutorado na França,Vinicius com Mestrado no Rio e Sergio com Mestrado nos EUA.O grupo alcançou grandes resultados logo de início. A Visionnaire foi uma das primeiras empresas do Brasil a desenvolver software para a internet. Também foi uma das primeiras empresas a desenvolver software em tecnologias modernas para a época (linguagem Java,Orientação a Objetos,Objetos Distribuídos). Era representante oficial da OMG (Object Management Group) e criou o que foi,na época,o principal evento de desenvolvimento de software corporativo do Brasil - o "Objetos Distribuídos",que durou nove anos.Manoel Camilo Penna conta que a Visionnaire foi uma startup dos anos 90. “As empresas estavam saindo do que se chamava de plataforma alta,que eram os mainframes. A grande novidade era trazer para as plataformas baixas,para os computadores pessoais. Pudemos amadurecer processos e enxergar como a tecnologia evoluiu para conseguirmos antecipar tendências. A Visionnaire busca conectar experiências:a do cliente com o nosso conhecimento em desenvolvimento de software”,completa.Experiente como sempre,jovem como nuncaEm vinte anos de história,a Visionnaire se estabeleceu como uma empresa de Tecnologia da Informação capaz de atender grandes demandas do setor bancário e fornece soluções,por exemplo,para os terminais de atendimento da Tecban,responsável pela Rede Banco24Horas.O futuro da empresa está no trabalho focado na consumerização da informática,com a integração de todas as novas tecnologias em sistemas de software únicos com foco,também,no consumidor final. A Visionnaire criou,recentemente,um núcleo para desenvolvimento de startups. Já tem cases de sucesso como o projeto CaridadX,uma plataforma de crowdfunding voltada para a caridade.Assim como se consolidou no mercado,com o tempo,a Visionnaire enfrentou os altos e baixos da economia nacional,teve a saída dos sócios Vinícius e Flávio e ganhou mais um sócio. Célio Faria conta que faz parte de um pouco mais da metade dos vinte anos de história da empresa. Ele destaca o fato de a evolução da tecnologia ter facilitado a vida das pessoas:“Estamos trazendo,sempre,melhorias para nossos clientes. Conseguimos sentir o valor agregado que se entrega com a satisfação de quem trabalha e é atendido nos projetos desenvolvidos.O futuro da empresa está no trabalho focado na consumerização da informática,com a integração de todas as novas tecnologias em sistemas de software únicos com foco,também,no consumidor final.Sergio Mainetti Jr afirma que a Visionnaire tem a experiência de uma empresa madura e o espírito de um jovem de 20 anos. “Não é por acaso que o termo visionário está no nosso nome. Trabalhamos com os mesmos conceitos atuais do Vale do Silício,com programação moderna,aplicativos móveis,realidade virtual,inteligência artificial. A gente tem o espírito de uma startup. Há vinte anos,esse nome nem era tão comum. A Visionnare se comporta com uma startup,mas com a experiência de uma empresa de vinte anos no mercado corporativo,trabalhando com tecnologias complexas”,conclui.

Sage lança nova plataforma para fornecedores independentes de software

A Sage,multinacional líder de mercado para sistemas de pagamento,contabilidade e folha de pagamento,lança hoje o “Sage Marketplace”,uma nova plataforma global de distribuição para que fornecedores independentes de software (ISVs,na sigla em inglês) possam apresentar seus suplementos às soluções já oferecidas pela Sage.O “Sage Marketplace” é um site global único que reúne os aplicativos desenvolvidos como complementos aos produtos da marca Sage,incluindo o Sage One e o Sage Live. As soluções serão disponibilizadas a todos os clientes da Sage,que poderão adquirir os suplementos em contato direto ao fornecedor independente.A novidade sucede o lançamento do Programa Global de Parcerias da Sage (GPP,na sigla em inglês),um modelo reinventado que proporciona benefícios e incentivos de nível internacional para parceiros,contribuindo para a conquista de novos clientes e ao desenvolvimento dos negócios,por meio do crescente portfólio global,que inclui os produtos Sage One,Sage Live,Sage Impact e Sage X3. Disponível a partir de hoje,o GPP introduziu um modelo simplificado de engajamento para todos os parceiros,incluindo integradores de sistemas,revendedores (incluindo revendedores de valor agregado),ISVs e desenvolvedores.“Este é apenas o início para o ‘Sage Marketplace’. Muitos fornecedores independentes estão se juntando à Sage no desenvolvimento de extensões ao nosso portfólio online,agregando valor aos clientes em soluções globais,como o Sage One e o Sage Live,com a criação de suplementos que enriquecem o produto para além da sua função principal. É uma excelente oportunidade para que fornecedores independentes passem a integrar a nossa comunidade em crescimento,ampliando seus negócios com a Sage”,diz Michael De Jongh,vice-presidente Global de ISV e Programa de Desenvolvimento.Já estão disponíveis no Sage Marketplace suplementos que vão desde suporte para fluxo de caixa até extensões para e-commerce. Para mais informações,visite www.sage.com/marketplace.

ICI conquista certificação MPS.BR Software

[caption id="attachment_3866" align="alignleft" width="570" caption="Representantes do ICI e da instituição avaliadora do programa MPS.BR"][/caption]O ICI conquistou no mês de dezembro a certificação Nível G – Parcialmente Gerenciado do programa Melhoria de Processo do Software Brasileiro (MPS.BR) na unidade organizacional Projetos de Desenvolvimento de Software. A avaliação feita pela Incremental Tecnologia em Informática foi auditada pela Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex),que coordena o programa com apoio do Ministério da Ciência,Tecnologia e Inovação (MCTI).Para o diretor técnico do ICI,Fabricio Zanini,a certificação na categoria Software foi um objetivo do ano de 2015 e sua conquista significa grande avanço para o Instituto. O diretor conta que houve toda uma mobilização interna para isso:“Reestruturamos nossas áreas de desenvolvimento e projetos,implantamos um processo unificado de desenvolvimento de software,adquirimos novas ferramentas e investimos na capacitação das equipes envolvidas”,detalha. “Com esta conquista,fortalecemos nosso sistema da qualidade e proporcionamos um grande avanço para as soluções do ICI. Toda equipe está de parabéns pelo comprometimento e excelente trabalho.”Segundo o avaliador líder,Marcello Thiry Comicholi da Costa,da Incremental,a avaliação do ICI foi excelente:“A equipe está alinhada com o que está descrito na documentação avaliada. As pessoas executam o trabalho sem dúvidas,sabem o que estão fazendo,e tudo isso alinhado ao modelo. Percebemos que houve um grande esforço colaborativo e tudo está funcionando muito bem.” Thiry comenta ainda que “o ICI trabalha não só para obter a certificação em si,mas preocupado com qualidade e melhoria”. O avaliador destaca que,com isso,o Instituto tem ganhos como redução de erro,retrabalho,custos,aumento de produtividade e visibilidade. E complementa:“O Instituto está num caminho muito bom para avaliar nos próximos níveis.”A equipe de avaliação foi formada pelo avaliador líder e pelas avaliadoras Alessandra Casses Zoucas e Ana Márcia Debiasi Duarte. Representaram o ICI na avaliação o gerente de Serviços,Luiz Fernando Lucas,e a colaboradora Ceila Guebur da Rosa,da equipe da Qualidade. O projeto envolveu também colaboradores das gerências de Projetos e Sistemas do Instituto.MPS.BRO programa mobilizador MPS.BR é uma iniciativa brasileira lançada em dezembro de 2003,coordenada pela Softex,que visa a melhoria de processos,em todas as regiões do país,em um intervalo de tempo justo,a um custo acessível. O MPS.BR conta com investimentos das empresas e apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação (MCTI),da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP),do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e do Sebrae.O Programa MPS.BR tem duas metas. A primeira meta é técnica,visando a criação e aprimoramento do Modelo MPS,composto dos Modelos de Referência de Software,Serviços,Gestão de Pessoas e do Método de Avaliação,que seguem modelos e normas internacionais.A segunda meta é de disseminação do Modelo MPS no mercado,com sua implementação tanto em micro,pequenas e médias empresas,como em grandes empresas públicas e privadas. Fonte:Softex

Curitiba recebe workshop anual do MPS.BR (WAMPS 2015)

Começa na próxima terça-feira,1° de dezembro,em Curitiba,a 11ª edição do Workshop Anual do MPS (WAMPS 2015),promovido pela Softex.Durante três dias,o encontro reunirá representantes da Indústria,Governo,Academia,Equipe Técnica do Modelo (ETM),Fórum de Credenciamento e Controle (FCC) e países latino-americanos para uma análise de como métodos,técnicas e ferramentas de vanguarda podem ser empregadas na implementação das boas práticas sugeridas pelo Programa MPS.BR por meio dos Modelos de Referência para Software (MR-MPS-SW),Serviços (MR-MPS-SV) e de Gestão de Pessoas (MR-MPS-RH). “O WAMPS é um evento consolidado e um fórum importantíssimo para que diferentes colaboradores e usuários compartilhem suas experiências e recebam informações atualizadas sobre temas relacionados à melhoria de processos de software e de serviços no Brasil e no mundo”,explica Nelson Franco,gerente da Área Qualidade da Softex.Com 48 avaliações MPS,o Paraná lidera o ranking nacional,que atingiu em novembro 277 avaliações válidas publicadas em todo o país. O estado superou São Paulo (45) e Rio Grande do Sul (34) que ocupam a segunda e a terceira posições,respectivamente.Além de uma série de palestras e painéis,diversas atividades estão programadas para o WAMPS 2015,cobrindo desde minicursos até sessões de artigos técnicos divididos entre trabalhos técnicos,relatos de experiência e ferramentas.No primeiro dia do encontro,destaque para os painéis “Engenharia de Software:tendências e aplicações na indústria” com as participações dos especialistas Arndt von Staa (PUC-Rio),Guilherme Travassos (COPPE/UFRJ),José Carlos Maldonado (USP-São Carlos) e Julio Leite (PUC-Rio),e “Minha experiência competitiva após o MPS-BR” com as presenças de Gustavo Casarotto,diretor de produto e inovação da Metadados;Paula Chaves,coordenadora da Qualidade - Escritório de Projetos,Garantia da Qualidade e Testes da Axxiom;e Washington Souza,gerente de PMO & Governança da Stefanini.A programação do segundo dia do WAMPS 2015 é integrada por dois importantes temas:no painel “Produtividade,reuso e menos retrabalho”,apresentando a bem-sucedida experiência de empresas como Stefanini e Datacoper,e a palestra “Novos modelos de negócios e o impacto para a melhoria da qualidade do produto software e dos processos de desenvolvimento”. Nela,Virgínia Duarte,gerente da Área Inteligência da Softex,proporá uma reflexão sobre as novas tecnologias e tendências de negócios e o seu impacto nas questões relacionadas com a qualidade de produto e de processo de desenvolvimento de software.Os resultados da Pesquisa MPS Cidadão,que teve por objetivo analisar o impacto socioeconômico do MPS-SW no Brasil e as suas contribuições para o cidadão e para sociedade,serão apresentados no terceiro e último dia do WAMPS por Kival Weber,Consultor sênior em TIC,Qualidade e Inovação,e Mariano Macedo,Professor da UFPR.Encerrando a programação,Renato Braga,diretor do Tribunal de Contas da União (TCU),compartilhará seu conhecimento sobre a utilização de métodos ágeis nas contratações para desenvolvimento de software pela Administração Pública Federal (APF).O MPS.BR é uma iniciativa brasileira coordenada pela Softex e que envolve universidades,grupos de pesquisa e empresas. Seu objetivo é promover a melhoria da qualidade e da produtividade de soluções e serviços de software,da qualidade de Gestão de Pessoas,de acordo com os padrões de qualidade aceitos internacionalmente,mas a custos acessíveis às empresas nacionais,principalmente as de pequeno e médio porte. Mais de uma década após seu lançamento pela Softex,o programa MPS.BR projeta encerrar 2015 com mais de 715 avaliações MPS em empresas privadas e governamentais no Brasil e no exterior. Desse total,mais de 70% são micro,pequenas e médias organizações (mPME). As grandes corporações são responsáveis pelos 30% restantes.Integram atualmente a linha de frente do programa 18 Instituições Implementadoras Autorizadas e 13 Instituições Avaliadoras. Mais de 6.200 pessoas já participaram de cursos oficiais MPS.Para inscrições,informações adicionais e programação completa do WAMPS 2015 visite http://www.softex.br/mpsbr/_wamps2011/default.aspWAMPS 2015Data:1° a 3 de dezembro – Horário:das 9h00 às 18h00Local:Rua Caeté,150 - Prado Velho,Curitiba

Paraná assume liderança nacional em número de empresas com certificação MPS.BR

Das 277 avaliações válidas do programa MPS.BR (Melhoria de Processos do Software),48 são do Paraná,o que coloca o estado como líder nacional em número de empresas certificadas pela Softex – Agência para Promoção da Excelência do Software Brasileiro. Os números,atualizados nesta semana,mostram São Paulo na segunda colocação com 45 empresas certificadas e o Rio Grande do Sul,em terceiro,com 34.A liderança paranaense vem de um trabalho contínuo feito pelo setor de Tecnologia da Informação no estado,liderado pela Assespro-Paraná e o Sebrae e executado pelos agentes regionais da Softex.Outro fato importante é a distribuição de empresas certificadas em diversas cidades paranaenses,que compõem os seis Arranjos Produtivos Locais de TI do Paraná,com destaque para Curitiba e Londrina (dez certificações cada),Região Oeste com sete e Maringá com cinco MPS-BR e vice-líder nacional em certificações CMMI,de nível internacional.A associação Software by Maringá (SbM) é Agente Softex na região Noroeste do Paraná. O presidente da entidade,Edney Mossambani,diz que “o MPS.BR estimula as boas práticas da engenharia de software e as necessidades de negócio da indústria de software nacional”. O desempenho dos maringaenses já rendeu elogios do vice-presidente da Softex Fabian Petrait:“eu considero um diferencial ótimo a coesão e a união que existem entre as entidades da cidade. Isso traz resultados consideráveis,garante o desenvolvimento da indústria local,melhora o RH disponível e incentiva os jovens a seguir uma carreira em TI”.Rosmar Luz,do Senai de Londrina,afirma que “as implementações desse programa de qualidade melhoram os produtos e serviços ofertados pelas empresas tanto no desenvolvimento de software como no atendimento e relacionamento com clientes e fornecedores. E as empresas participantes conseguem um posicionamento melhor no mercado”.Curitiba trabalha para voltar a contar com um agente Softex na capital do Paraná. Dia 30 de novembro,os empresários do Arranjo Produtivo Local de Software e da Central de Negócios de TI vão realizar um evento para recepcionar dirigentes da Agência,que vão conhecer o potencial das empresas de base tecnológica da cidade e região metropolitana. O empresário Jandir Bianco Júnior explica que “várias entidades empresariais,instituições públicas e universidades já enviaram cartas de apoio confirmando a importância do setor de TI.” Jandir completa:“além do MPS.BR,outros programas oferecidos pela Softex para empresas já maduras e startups são muito importantes e Curitiba não pode correr o risco de um retrocesso por não contar com um agente local”.No início de dezembro,Curitiba também sedia o WAMPS 2015 – Workshop Anual do MPS,que permite a colaboradores e organizações compartilhar e dar visibilidade tanto a resultados de pesquisa quanto experiências práticas relacionados com a melhoria de processos de software e de serviços que possam se mostrar relevantes no contexto do Modelo MPS. O evento acontece na sede do Sebrae Paraná. Saiba mais em http://www.softex.br/mpsbr/wamps-2015/

ParanáTIC 2015 tem ação para empresa de TI que queira ganhar mercado internacional

A exportação de software vai muito além de um dólar alto. O consutlor Izoulet Cortes Filho fala sobre o que as empresas de TI precisam fazer para conquistar mercado internacional. Ele participa da organização da Trilha de Internacionalização do ParanáTIC. Clique aqui para ver o que vai ser apresentado no evento.

IT Softin aposta em inovação e aplicativos para atender concessionárais e proprietários de veículos

A empresa curitibana IT Softin lança dois aplicativos para ampliar mercado em um segmento que já domina nos úlitmos anos:o de concessionártias de veículos e máquinas. Em projetos ligados à inovação,desenvolveu uma versão mobile do Truck Tin,que gerencia equipes de vendas e o Psiu-Car,para melhorar o relacionamento entre clientes e concessionárias.Saiba mais na reportagem em vídeo do programa de tv Valor Agregado.

Governo do Paraná firma parcerias com entidades que fornecerão o software para a NFC-e

[caption id="attachment_3460" align="alignleft" width="570" caption="Foto:Orlando Kissner/AENPr"][/caption]O governador Beto Richa assinou nesta terça-feira (23),no Palácio Iguaçu,em Curitiba,termo de cooperação com a Associação Comercial do Paraná (ACP),com a Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná (Faciap) e com a Associação das Micro e Pequenas Empresas de Curitiba (Microtiba) para a disponibilização de software gratuito de emissão de Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e). A intenção é reduzir custos dos empresários e facilitar o acesso ao novo modelo que está sendo implantado no Estado. Assinaram o termo o governador Beto Richa,o secretário estadual da Fazenda,Mauro Ricardo Costa,e os presidentes da ACP,Antônio Miguel Espolador Neto;da Faciap,Guido Bresolin Junior,e da Microtiba,Armando Santos Lira. Richa destacou que a parceria com as entidades para a emissão da NFC-e faz parte de uma série de ações do governo para desburocratizar os processos junto ao setor produtivo. “É um importante avanço na desburocratização,agilidade,transparência e eficiência do poder público. A Nota Fiscal Eletrônica vai ajudar a combater a sonegação,a inadimplência e a concorrência desleal. É um processo em que todos saem ganhando”,ressaltou. O secretário Mauro Ricardo Costa explicou que a NFC-e facilita a vida tanto do consumidor como do empresário porque ambos receberão as notas pela internet,sem ter mais a necessidade de imprimir o documento. “Além dessa facilidade,a ferramenta permitirá um controle maior por parte do governo,evitando a sonegação fiscal e aumentando a arrecadação pública”,disse. DEMANDA – O uso da NFC-e vai resultar em aumento na demanda dos contribuintes em adquirir software de emissão do documento eletrônico. Para facilitar a adesão das empresas,a Secretaria da Fazenda publicou,em seu portal,um comunicado convidando instituições interessadas no desenvolvimento de aplicativo gratuito de emissão do documento. As entidades de representação de classe que se mostraram interessadas foram a ACP,em parceria com a empresa desenvolvedora Inventti;a Faciap,em parceria com a Koinonia Sofware,e a Microtiba,em parceria com a Safeweb. Os aplicativos serão disponibilizados para download no site da Fazenda aos contribuintes paranaenses interessados. ASSOCIADOS - A Associação Comercial do Paraná já disponibiliza o programa para seus associados desde 2010 e a Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica é emitida desde o ano passado. “Nosso software faz o gerenciamento não apenas da nota fiscal,mas também de estoques e da parte financeira das empresas”,explicou Antônio Miguel Espolador. “Isso facilita,principalmente,para as micro e pequenas empresas,que não têm estrutura e dinheiro para fazer este investimento”,disse ele. “O mais importante deste sistema é a legalidade situação. A tendência é que as empresas se legalizem e que diminua a informalidade,tornando a concorrência mais leal”,afirmou. REGISTRAR - O presidente da Faciap,Guido Bresolin Junior,lembrou que o sistema já é utilizado por outros estados. "O empresário vai poder registrar toda a sua movimentação,o que facilita para controlar o que foi vendido e até no momento de pagar os impostos”,disse ele. “Estamos bem confiantes com esta nova ferramenta,que pode ser utilizada tanto online como offline. Em casos de falta de energia ou de acesso a internet,por exemplo,o comerciante pode emitir a nota e transmitir no final do dia”,explicou o presidente da Microtiba,Armando Lira. PRESENÇAS – Participaram da solenidade o diretor-geral da Secretaria da Fazenda George Hermann Rodolfo Tormin;o Diretor da Coordenação da Receita do Estado (CRE),Gilberto Calixto;a presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Paraná (CCR-PR),Lucélia Lecheta;o deputado estadual Guto Silva,diretores e gerentes das ACP,Faciap e da Microtiba,além de dirigentes e diretores das empresas parceiras. POSTOS DE COMBUSTÍVEL SERÃO OS PRIMEIROS A SUBSTITUIR A obrigatoriedade do uso da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica seguirá um cronograma que terá início no dia 1º de julho próximo. Os postos de combustíveis são os primeiros que terão de substituir o cupom fiscal e a nota fiscal de venda ao consumidor pelo novo documento,que tem existência apenas digital e é emitido e armazenado eletronicamente. De acordo com o cronograma da Receita Estadual,a adesão de todas as empresas do Estado deve acontecer até janeiro de 2016. A partir de agosto,restaurantes,comércios varejistas de livros,jornais,óticas e lojas de armas e munições passarão a emitir o documento. Comércios de calçados,tecidos,gás,artesanatos e similares aderem ao sistema em setembro. Já em outubro,será a vez das padarias,joalherias,lojas de informática,eletrodomésticos e telefonia. A partir de novembro,passarão a emitir a NFC-e os comércios varejistas de vestuário,materiais de construção e similares. As lojas de departamentos,comércios de bebidas e padarias utilizarão o sistema a partir de dezembro. E,em janeiro,aderem à NFC-e os supermercados,farmácias,açougues,peixarias e mercearias. Independentemente do cronograma de obrigatoriedade,as empresas podem antecipar sua adesão à NFC-e. Para adotar o novo modelo o contribuinte precisa ter um certificado digital,padrão ICP-Brasil,possuir um sistema emissor de NFC-e (que poderá ser gratuito) e formalizar o respectivo pedido de uso do sistema na área restrita do Portal da SEFA (www.fazenda.pr.gov.br).Fonte: Governo do Paraná

ParanáTIC 2015:Assespro-Paraná adianta divulgação de evento que acontece em novembro na cidade de Foz do Iguaçu

Assim que confirmou Foz do Iguaçu como sede do ParanáTIC 2015,a Assespro-Paraná,que realiza o evento em parceria com o Sebrae,já iniciou o trabalho de divulgação do mais importante econtro de tecnologia da informação do estado. Neste ano ,o ParanáTIC vai contar com a participação de presidentes e diretores das regionais da Assespro Nacional e também vai servir para o lançamento do WCIT - Congresso Mundial de TI,que acontece em 2016 no Brasil.Veja mais detalhes da reportagem do programa de tv Valor Agregado.