Softex gerenciará a execução do Programa TI Maior

A Secretaria de Política de Informática (Sepin) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), divulgou hoje o resultado parcial do Concurso para Seleção de Projetos Técnicos para Atuação no Programa Estratégico de Software e Serviços de Tecnologia da Informação (TI Maior).

Iniciado em março deste ano, seu objetivo foi selecionar uma organização da sociedade civil de interesse pública (Oscip) técnica e legalmente habilitada para prover conhecimentos e práticas de gestão que garantam a execução e a obtenção dos resultados esperados para o Programa Estratégico de Software e Serviços de Tecnologia da Informação (TI Maior).

A Softex foi selecionada entre as três propostas enviadas pelo Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse do Governo Federal (Siconv), sendo a única a atender os critérios de elegibilidade estabelecidos no Edital 1/2014.

“Estamos orgulhosos de ter a expertise, a capacidade e a relevância do papel da Softex no segmento brasileiro de TI reconhecidas. Trata-se de uma missão da maior importância e que está em total sinergia com os objetivos da entidade de contribuir para o fortalecimento da indústria nacional de software e serviços de TI, atuando no sentido de ampliar a presença brasileira neste segmento junto aos principais mercados internacionais”, analisa seu presidente, Ruben Delgado.

O presidente da Softex destaca que a “missão da entidade será executar as iniciativas previstas de forma a contribuir para posicionar o Brasil como um dos protagonistas mundiais do setor de tecnologia da informação e comunicação (TIC), tornando o país menos dependente de tecnologias internacionais”.

Pelo escopo do trabalho, a Softex deverá colaborar de forma a potencializar programas e projetos que desenvolvam os ecossistemas do TI Maior; apoiar e promover a inovação, a ampliação da competitividade e do empreendedorismo no setor; ampliar a produção de aplicativos, de conteúdos digitais e de economia criativa; e promover a realização de estudos de inteligência entendimento das dinâmicas tecnológicas e de mercado da cadeia de software e serviços de TI para apoiar o processo de tomada de decisões.

Também caberá à entidade toda a execução de operações do Programa Start-up Brasil, incluindo a seleção de projetos, definição de critérios de seleção, acompanhamento do desenvolvimento das start-ups, visitas técnicas às aceleradoras, proposição de soluções para eventuais obstáculos na aceleração e encaminhamento de sugestões para aperfeiçoamento do programa.

Por Karen Kornilovicz

Tags , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.