Mais impostos, menos competitividade

A Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) reitera seu posicionamento de que o projeto de lei 557/2017, aprovado pela Assembleia Legislativa na semana que passou, vai representar aumento de impostos para inúmeras empresas paranaenses. No entendimento da Fiep, a proposta, que foi elaborada pelo governo do Estado, vai aumentar custos e comprometer a competitividade do setor industrial, além de penalizar os consumidores.

Tramitando em regime de urgência na Assembleia, o projeto alterou, entre outros pontos, o número de faixas de faturamento para definição da tributação do ICMS para micro e pequenas empresas. A alegação do governo é que se tratava apenas de uma adequação ao que está previsto na legislação que rege o Simples Nacional, sem que houvesse aumento de impostos.

Aumento da carga

Análise técnica realizada pelo Núcleo Tributário da Fiep constatou, no entanto, que muitas empresas têm, sim, grande probabilidade de pagar mais ICMS a partir de 1º de janeiro de 2018, quando entra em vigor a nova tabela de cálculo. O estudo mostra que as companhias com faturamento anual até R$ 360 mil, que são cerca de 65% das 120 mil micro e pequenas empresas do Paraná, estarão isentas de pagamento do tributo. Mas lembra que, hoje, elas já são isentas, não havendo alteração alguma. No caso das que faturam a partir desse valor e até R$ 720 mil – que representam 16% do total – a variação será pequena.

Porém, o levantamento aponta que, para as 19% restantes, haverá aumento generalizado de ICMS, ficando mais alto de acordo com o faturamento. Nessa faixa se encaixam justamente as empresas que mais faturam, chegando até a R$ 3,6 milhões ao ano. Como são elas que, atualmente, já respondem pelo maior volume de ICMS pago por empresas desse porte, a análise da Fiep aponta para um aumento na arrecadação do governo com a medida. Opiniões similares foram emitidas por entidades como Faciap, OAB Paraná e o Movimento Pró-Paraná, entre outras.

Falta de transparência

É preciso ressaltar que o levantamento mostra uma estimativa – feita com os dados disponíveis – do que deve ocorrer a partir do próximo ano. Para uma análise completa, em que pudesse ser verificado o verdadeiro impacto da medida, seria necessária a abertura da base de dados da Secretaria de Estado da Fazenda no que se refere às micro e pequenas empresas. Isso, no entanto, não foi feito em momento algum pela secretaria.

A Fiep lamenta que, mesmo diante da falta de transparência durante a tramitação do projeto, o Legislativo tenha aceitado discutir em regime de urgência um assunto de tamanha importância para a economia do Estado. É preciso que os deputados que votaram favoráveis a essa medida assumam sua responsabilidade pelo aumento de impostos – uma verdade que, inclusive, já foi admitida pelo próprio secretário da Fazenda.

Como legítima defensora dos interesses da indústria paranaense, a Fiep mostra extrema preocupação com os efeitos nocivos que a aprovação do projeto de lei 557/2017 pode trazer para o Paraná. É preciso lembrar que todas as empresas, especialmente as pequenas, ainda lutam para se recuperar da crise que assolou o país nos últimos anos. Qualquer novo aumento de impostos afeta a competitividade das companhias e dificilmente poderá ser absorvido por elas, tendo que ser repassado aos consumidores e prejudicando toda a população.

Fonte: Fiep

Gostou? Quer compartilhar?

Celepar sedia Maratona de Ciência de Dados em Curitiba

BLUEHACK_SESA_AGENCIADOESTADO
Durante dois dias ininterruptos, a Celepar estará sediando o primeiro Bluehack Curitiba com foco em ciência de dados e também o primeiro com a utilização de dados públicos. Será neste próximo final de semana, 2 e 3 de dezembro, em Curitiba.

A maratona intelectual que conta com a participação da Secretaria de Estado da Saúde (SESA) e da IBM, está voltada à obtenção de soluções e ideias que propiciem aprimoramento das políticas públicas da saúde no Estado.

Com base em dados oficiais que serão disponibilizados pela SESA, os participantes terão pela frente desafios específicos. Serão disponibilizados cinco tópicos para análise: de mortalidade materno e infantil (população de zero a um ano); de risco de doenças infectocontagiosas; da base de internações; da base de consultas de especialidades médicas; e de dados de mortalidade (violenta, cardiovasculares e neoplasias).

De acordo com o diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação da Celepar, Danilo Scalet, um dos coordenadores do Bluehack, a expectativa é que surjam ideias positivas para serem colocadas em prática na área da saúde. “No passado não tínhamos conhecimento científico e tecnologia suficientes para tratar os dados. Hoje é possível verificar qual a verdade que está dentro desses dados e, a partir disso, saber o que fazer através dessas descobertas”, disse ele, ao mesmo tempo em que informou que a divulgação externa dos resultados somente ocorrerá após autorização da Secretaria da Saúde.

Segurança

Os dados disponibilizados pela SESA são de propriedade da secretaria e serão cedidos aos participantes para o uso exclusivo no Bluehack. Somente os inscritos que estiverem participando presencialmente da maratona terão acesso às informações.

Os dados não identificam indivíduos, preservando o sigilo das informações. Além disso, todos os participantes deverão assinar o “Termo de uso dos dados”, que indicará a responsabilidade sobre a manipulação dos dados somente durante o Bluehack, salvo autorização por escrito da SESA para o prosseguimento da pesquisa.

Bluehack

O Bluehack é um grande desafio promovido pela IBM, em parceria com a Celepar e a Secretaria da Saúde. Trata-se de uma maratona tecnológica que irá reunir cientistas de dados, profissionais vinculados à saúde, programadores, desenvolvedores, designers e outros profissionais ligados ao desenvolvimento de soluções tecnológicas, como aplicativos web/mobile e hardware/ IOT, em um ambiente de criatividade e empreendedorismo.

A Celepar responde pela infraestrutura e a organização local do evento, a Secretaria da Saúde pelos dados oficiais do Estado e a IBM pela estrutura computacional, o método, o conjunto de softwares em nuvem para o tratamento dos dados, além de colocar à disposição a sua rede mundial de divulgação.

Nesta edição de Curitiba, o evento conta com o patrocínio da Celepar, Unimed e Positivo Tecnologia/Windows Pro.

Quem pode participar

O público alvo são cientistas de dados, estatísticos, estudantes de medicina, biomedicina, biotecnologia e tecnologia, desenvolvedores e profissionais ligados ao desenvolvimento de soluções tecnológicas na área da saúde.

Como participar

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até às 23h59 do dia 1 de dezembro pelo site www.blueopen.org/curitiba. Acesse o regulamento, saiba dos detalhes do Bluehack e participe.

Quando

Dias 2 e 3 de dezembro de 2017

Horário

Início às 09h00 do dia 2, sábado, até às 18h00 do dia 3, domingo.

Local

Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (Celepar), Rua Nilo Peçanha, 732, Curitiba.

Gostou? Quer compartilhar?

Great Place to Work: conheça o time de empresas de TI do Paraná entre as melhores para trabalhar no Brasil

O Instituto Great Place to Work divulgou, durante o IT EXPO FORUM 2017, a lista com as melhores empresas de TI para trabalhar no Brasil. O Paraná alcança posição de destaque ao figurar com cerca de 10% das empresas premiadas. A 12ª edição do ranking de TI conta com 15 grandes, 75 médias e 20 pequenas empresas do setor. Dell EMC liderou entre as grandes, SAP Labas América Latina, entre as médias e Sydle entre as pequenas.

Os destaques são as maringaenses Tecnospeed, segunda colocada entre as pequenas empresas, e DB1, melhor paranaense entre as médias com a 11ªa colocação. Também de Maringá, aparecem SG Sistemas em 34º e Elotech em 51º lugar entre as médias. Ainda nessa categoria, aparecem GolSat, de Londrina, em 14º, Viasoft, de Pato Branco, em 47º, a curitibana Cinq Technologies, em 53º, Datacoper, de Cascavel, em 55º e a londrinense Advise em 75º lugar. Entre as pequenas, a SetaDigital, de Cascavel ocupa a 13ª colocação.

Gostou? Quer compartilhar?

Comércio paranaense vai usar base de dados do Estado para consulta

Governador Beto Richa, assina contrato entre Celepar e ACP - Associação Comercial do Paraná, para prestação de serviço de identificação biográfica , com o diretor presidente da Celepar, Jacson Carvalho Leite e o presidente da ACP, Gláucio José Geara. Curitiba, 26/10/2017 Foto: Ricardo Almeida / ANPr

Governador Beto Richa, assina contrato entre Celepar e ACP – Associação Comercial do Paraná, para prestação de serviço de identificação biográfica , com o diretor presidente da Celepar, Jacson Carvalho Leite e o presidente da ACP, Gláucio José Geara.
Curitiba, 26/10/2017
Foto: Ricardo Almeida / ANPr

O Governo do Estado, por meio da Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (Celepar), formalizou um termo de cooperação técnica que disponibiliza à Associação Comercial do Paraná (ACP) a base de dados do Estado. O sistema, além de ajudar a prevenir e diminuir as fraudes nas transações comerciais, facilita a vida do cidadão.

O contrato para a prestação do serviço de consulta biográfica foi assinado nesta quinta-feira (26), no Palácio Iguaçu, pelo governador Beto Richa e pelos presidentes da Celepar, Jacson Leite, e da ACP, Gláucio Geara. “É uma parceria inédita. O Paraná mais uma vez sai na frente com este serviço que deve se espalhar pelo Brasil”, afirmou Richa.

O sistema vai dar ao comerciante a possibilidade de, por meio de computador ou dispositivo móvel com acesso à internet, confrontar um documento apresentado pelo consumidor com as informações disponíveis nas bases oficiais do Governo do Estado – como Instituto de Identificação do Paraná e Detran-PR.

A solução, inédita no País, reduz significativamente a possibilidade de fraudes durante as transações comerciais, uma vez que a identificação do consumidor será precisa. Ao mesmo tempo a vida do cidadão será simplificada pela eliminação da necessidade de apresentar vários documentos para abrir um crediário, por exemplo. “É mais uma medida do nosso governo para proteger os comerciantes e os cidadãos. É possível sim combater a fraude e aumentar a segurança com uso da tecnologia da informação”, disse o governador.

Richa lembrou que, no início da semana, o Estado firmou contrato também com o Clube Atlético Paranaense para a prestação de serviço de biometria na Arena da Baixada. O sistema, também pioneiro, amplia a segurança nos estádios e grandes eventos ao permitir acesso à base de dados do governo.

24 HORAS – A Associação Comercial do Paraná vai disponibilizar o sistema, já nos próximos meses, para os 25 mil estabelecimentos associados. “É uma iniciativa inédita do governo que permite consultas e diminuir possíveis fraudes”, disse o presidente da entidade, Gláucio Geara. Pelo contrato, o serviço prestado pela Celepar garante o atendimento em período integral, 24 horas por dia, e nos 365 dias no ano.

Na prática, ao abrir a tela de consulta e informar o número do RG ou Carteira Nacional de Habilitação (CNH), o comerciante vai acessar informações biográficas da pessoa pesquisada, como nome, filiação, data de nascimento, nacionalidade, naturalidade, entre outras, além da fotografia.

“O Governo do Estado fez grandes investimento em tecnologia de reconhecimento do cidadão. Esse trabalho evoluiu com o tempo e hoje permite uma maior segurança, seja nas transações comerciais ou em outras áreas”, disse o presidente da Celepar, Jacson Leite.

Hoje, a Celepar possui 8,6 milhões de pessoas cadastradas em seu banco de dados, o que representa quase 80% de toda a população do Estado. As informações da base de dados da entidade são alimentadas pela Secretaria de Segurança Pública, por meio do Instituto de Identificação do Paraná, e pelo Detran-PR.

Gostou? Quer compartilhar?

Nos Estados Unidos, Governador defende estatais do Paraná sob comando do Estado

O governador Beto Richa defendeu nesta segunda-feira (28) que as empresas públicas paranaenses continuem sob o comando do Estado. Segundo ele, no Paraná não há necessidade de privatizar estatais. “Temos empresas sólidas”, destacou durante o Copel Day, evento que marcou os 20 anos do lançamento de ações da empresa paranaense na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE).

Richa participou do Closing Bell, cerimônia do encerramento das atividades diárias do maior centro financeiro do planeta, juntamente com o presidente da Copel, Antônio Guetter. A empresa foi a sexta companhia brasileira – a primeira do setor de energia elétrica do País – a ter ações negociadas em Nova York, em 1997. Além do encerramento do pregão, Richa fez uma apresentação sobre a estatal na bolsa. “A Copel é nosso maior orgulho, nossa maior e mais respeitada empresa”, disse o governador.

Na entrada da instituição, ficaram hasteadas a bandeira do Brasil e do Estado do Paraná. “Se o hoje o Paraná é o segundo Estado mais competitivo do Brasil, como aponta a conceituada revista The Economist, isto se deve em grande parte à infraestrutura de energia implantada e gerida pela Copel, que é fundamental para o desenvolvimento de nossa economia”, destacou o governador.

GESTÃO FINANCEIRA – O presidente da Copel explicou que a negociação das ações na Bolsa de Nova York ajudaram a melhorar a gestão financeira da companhia. “Os 20 anos de presença na bolsa norte-americana têm mais do que um significado simbólico”, afirmou Guetter. “Além de possibilitarem a expansão de nossa atuação nas últimas duas décadas, as rígidas exigências de governança da NYSE para as empresas listadas modelaram a gestão financeira e a governança corporativa da Copel, que hoje é uma referência nestes dois aspectos”, explicou.

PIONEIRISMO – As ações da Copel começaram a ser negociadas em Wall Street no dia 30 de julho de 1997. Naquela data, a empresa paranaense efetuou uma emissão primária de ações preferenciais (IPO – Initial Public Offer) no valor equivalente a US$ 580 milhões, a maior emissão feita até então por uma empresa latino-americana naquela bolsa.

Em 2002, o escândalo de fraudes contábeis envolvendo a Enron e outras empresas levou à publicação da Lei Sarbanes-Oxley, uma rígida regulamentação imposta a todas as empresas listadas na NYSE, exigindo maior transparência nas divulgações de resultados e implantação de regras de governança.

“A adequação da Copel à rigorosa legislação norte-americana fez com que adotássemos, com grande antecipação, várias medidas de integridade e contra a corrupção que hoje vem sendo exigidas das empresas brasileiras”, explicou Guetter.

PRESENTES – No evento, o governador trocou presentes com a cônsul-geral do Brasil em Nova York, Ana Lucy Cabral Petersen e a Chris Taylor, chefe global das empresas listadas na Bolsa de Nova York. Ele distribuiu lembranças que remetem ao Paraná: um cubo de cristal Bacarat com a inscrição de uma araucária, gravuras do artista curitibano Poty Lazzarotto e fotos das Cataratas do Iguaçu do fotógrafo Carlos Renato Fernandes.

AGENDA – Richa e a diretoria da Copel também participaram de um almoço com investidores na sede da bolsa. Durante a semana, eles se encontrarão com representantes de bancos e fundos de investimentos norte-americanos para exposição e discussão dos planos de negócios da companhia.

Ainda em Nova York, eles participarão de um encontro com acionistas do Grupo Itaú terça-feira (29). Na quarta-feira (30), a comitiva irá a Boston para reuniões na Wellington Management e na Fidelity Investments, que têm participação na Copel, e na Boston Company Asset Management.

PRESENÇAS – Participaram da cerimônia a secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa; a gerente de Relações com Investidores, Mariceli Santos; o superintendente de Mercado de Capitais, Felipe Pessuti; e o diretor de Finanças da Copel, Adriano Moura; o cônsul do Brasil em Houston, Roberto Ardenghy; o empresário Frank Romanoski.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

Gostou? Quer compartilhar?

Sistema Fiep promove evento para discutir indústria 4.0

Imagine a possibilidade de ter a representação virtual do processo de produção de um carro: visualizar como o veículo seria, realizar melhorias e simulações, e, aí sim, implementar o produto real. A realidade parece distante, mas é dessa forma que iremos trabalhar nos próximos anos, na chamada Indústria 4.0, que já é considerada por muitos especialistas a “4ª Revolução Industrial”. O impacto desta revolução no progresso industrial paranaense é o foco da “Jornada para o Mundo Digital”, evento que é promovido pelo Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná e acontece no dia 16 de agosto, no Campus da Indústria em Curitiba.

Voltado para indústrias, startups, empresários, imprensa e pessoas interessadas em tecnologia e inovação industrial, a jornada tem o objetivo aprofundar conhecimentos e mostrar como a Indústria 4.0 impacta no progresso do setor industrial. O evento terá palestras, workshops e painéis de discussão com renomados profissionais da área.

Entre os palestrantes estão Paula Bellizia – presidente da Microsoft Brasil; Cassio Dreyfuss – vice-presidente de pesquisa do Gartner; Cezar Taurion – head de Transformação Digital da Kick Ventures; Edson Campagnolo – presidente do Sistema Fiep; Rogerio Martins – vice-presidente global Whirlpool para Inovação e Desenvolvimento de Produtos de Refrigeração.

Cases

Serão apresentadas experiências de indústrias instaladas no Brasil que já implantaram processos alinhados com a quarta revolução industrial. Elas fazem parte de um grupo de empresas que já compreendeu os ganhos de competitividade trazidos por esta nova forma de produção. Porém, pesquisa realizada em 2016 pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), que ouviu 2.225 indústrias de todos os portes, mostra que mais da metade delas ainda não utiliza nenhuma das dez tecnologias digitais listadas no levantamento – como automação digital sem sensores; prototipagem rápida ou impressão 3D; utilização de serviços em nuvem associados ao produto; ou incorporação de serviços digitais nos produtos.

Jornada para o mundo digital

Data: 16 de agosto, das 8h às 17 horas.
Local: Campus da Indústria do Sistema Fiep. Avenida Comendador Franco, 1341. Curitiba.
Inscrições gratuitas: http://www.sistemafiep.org.br/jornadadigital/#inscreva-se

Fonte: Fiep

Gostou? Quer compartilhar?

Logística reversa de pilhas e baterias portáteis começa a ser implantada no Paraná

O termo de compromisso para a implantação do sistema de logística reversa de pilhas e baterias portáteis no Estado do Paraná será assinado nessa sexta-feira (4), às 11 horas, em ato que deverá ocorrer na sede da Associação Comercial do Paraná (ACP), por meio do Conselho de Ações de Sustentabilidade Empresarial (Casem), com a interveniência da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sema) e da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).

O documento será assinado em nome da ACP pelo presidente Gláucio Geara e os vices Airton Hack e Norman Arruda Filho, coordenador do Casem; Antonio Carlos Bonetti, secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos e Humberto Barbato Neto, presidente da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).

A matéria está contemplada na resolução 401/2008 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), na lei federal 12.305/2010 (Política Nacional de Resíduos Sólidos) e no decreto 7.404/2010, que dispõe especificamente sobre o sistema de logística reversa de pilhas e baterias portáteis.

Assim sendo, o presidente Gláucio Geara, da ACP, ressalta “a importância da assinatura do termo de compromisso de implantação do sistema de logística reversa para pilhas e baterias portáteis em território paranaense, que na prática consiste na localização de postos primários e secundários nos pontos de revenda dos referidos produtos industrializados, para o retorno após o uso pelo consumidor para posterior encaminhamento ambientalmente adequado”.

O presidente da ACP chamou a atenção para o fato de que a entidade representativa do setor produtivo “há muitos anos vem se preocupando com o assunto, que é um dos temas essenciais de discussão no âmbito do Conselho de Ações de Sustentabilidade Empresarial (Casem)”, agradecendo particularmente ao secretário Antonio Carlos Bonetti e ao presidente Humberto Barbato Neto, “o pleno envolvimento da Secretaria do Meio Ambiente e da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), nas ações previstas pelo acordo firmado entre as partes”.

Assinatura do termo de compromisso para implantação do sistema de logística reversa para pilhas e baterias portáteis

Data e horário: dia 4 de agosto, às 11h
Local: Associação Comercial do Paraná (ACP)

Gostou? Quer compartilhar?

Renault investe mais R$ 750 milhões no Paraná

A Renault investe R$ 750 milhões em uma nova fábrica de injeção de alumínio e na expansão da sua unidade de motores em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. O investimento é apoiado pelo programa Paraná Competitivo, do Governo do Estado.

O protocolo de intenções foi assinado nesta terça-feira (01) pelo governador Beto Richa e pelos presidentes da Renault América Latina, Olivier Murguet, e do Brasil, Luiz Pedrucci. Com esse investimento, a montadora francesa soma cerca R$ 6 bilhões em investimentos no Paraná desde 1998, quando começou a produzir no País.

“O governo tem uma parceria muito sólida com a Renault, gerando riqueza e muitas oportunidades de trabalho. Hoje só de empregos são 6 mil postos diretos na montadora. Nos últimos anos conseguimos manter e ampliar os investimentos da Renault”, disse o governador Beto Richa. “O Paraná é o coração da operação da Renault no Brasil e passa a ser também na América Latina”, completou Olivier Murguet.

Do total investido, R$ 350 milhões serão destinados para a nova fábrica Curitiba Injeção de Alumínio (CIA), que deve gerar 150 empregos diretos em três turnos de produção. Outros R$ 400 milhões vão para a ampliação da Curitiba Motores (CMO), que terá novas linhas de usinagem e cabeçotes de alumínio.

INCENTIVO – A empresa, enquadrada no programa Paraná Competitivo, terá como benefício o diferimento do pagamento do ICMS da fatura de energia elétrica e do gás natural da fábrica de injeção de alumínio por 48 meses.

“Nossos investimentos reforçam a importância estratégica do Brasil para o Grupo Renault e para o crescimento das nossas vendas na América Latina”, disse Olivier Murguet. “No ano passado, exportamos 35% da nossa produção. No primeiro semestre aumentamos nossas exportações em 60% com relação ao ano passado. Contratamos 700 pessoas há três meses para o terceiro turno e operamos muito próximo da nossa capacidade máxima”, disse.

De acordo com ele, a competitividade na operação no Paraná, a qualidade da mão de obra e do relacionamento com o Governo do Estado, contribuíram para a decisão de ampliar investimentos no Paraná. O Brasil é o segundo maior mercado da empresa no mundo, atrás apenas da França. “Os nossos investimentos reforçam nossa aposta no País, onde produzimos há quase 20 anos”, completou Pedrucci, que acaba de assumir o cargo de presidente da Renault do Brasil.

CICLO – Richa destacou que o Paraná vive hoje o maior ciclo de investimentos da sua história. Desde o início do programa Paraná Competitivo já foram mais de R$ 42 bilhões em investimentos produtivos. “O programa é um sucesso e foi eleito, pelo Financial Times, um dos oito melhores programas de atração de investimentos do mundo”, disse.

CONFIANÇA – O investimento da Renault mostra a confiança do empresariado, ressaltou o secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa. “Enquanto está se reduzindo investimento em todo o País, aqui estamos ampliando os projetos e gerando empregos”. O prefeito de São José dos Pinhais, Toninho Fenelon, disse que a expectativa é muito boa. “O projeto deve gerar emprego, renda e maior qualidade de vida”, afirmou.

EMPRESA – A Renault, que começou a produzir no Brasil em 1998, emprega 6,3 mil pessoas diretamente e gera aproximadamente 25 mil empregos indiretos. O complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais, reúne as três fábricas da marca no Brasil: a de automóveis (CVP), a de comerciais leves (CVU), além da fábrica de motores (CMO).

FÁBRICAS – De acordo com a Renault, a fábrica de injeção de alumínio começará a produzir em janeiro de 2018. A produção será a partir de uma linha para o bloco e outra para cabeçote do motor.

A fábrica de motores, por sua vez, será ampliada para produção de motores mais eficientes. A empresa vai aumentar o índice de nacionalização de componentes e prevê o lançamento de uma nova geração de motores. Inaugurada em 2001, a fábrica de motores já produziu aproximadamente 3,5 milhões de propulsores, com cerca de 40% destinados à exportação, principalmente para Argentina. Durante o evento, a montadora também fez o lançamento do Kwid, novo veículo que já está sendo produzido no Paraná.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

Gostou? Quer compartilhar?

CredFácil inaugura sexta unidade no Paraná

Seguindo a meta de encerrar 2017 com 40 unidades distribuídas em cidades estratégicas do Brasil, a CredFácil, pioneira no país em empréstimos consignados, inaugurou mais uma unidade no estado do Paraná, desta vez em Pananaguá. Com esta a rede soma seis unidades no estado do Paraná, sendo as demais nas cidades de Cambará, São José dos Pinhais, Siqueira Campos, Umuarama e Reserva. “Nossa expectativa é crescer principalmente dentro do estado onde a rede nasceu e depois chegar em todas as capitais do país”, explica André Oliveira, presidente da rede.

Eliete e Marcelo Lazarini, os novos franqueados, escolheram não somente dividir o dia a dia em casa, mas também no trabalho. Após pesquisarem o mercado e o segmento de franquias, optaram por investir em uma loja da CredFácil “A rentabilidade foi algo que nos chamou muita atenção e após conversar com outros franqueados da rede, percebemos que essa era uma excelente oportunidade”, afirmam os empreendedores.

Somente no ano passado, a rede faturou 15 milhões com mais de 50 unidades em operação e em 2015, em plena crise, o faturamento foi de 10 milhões. “A nossa rede é uma oportunidade de negócio de baixo investimento, sem royalties e alta rentabilidade. Um investidor com o perfil comercial poderá ter um excelente faturamento de até 250 mil reais de vendas de créditos”, finaliza Oliveira.

Gostou? Quer compartilhar?

Marcelo Violento é o novo Diretor Regional da IBM no Sul do Brasil

A IBM Brasil anuncia Marcelo Violento como novo Diretor Regional no Sul do Brasil. O líder, que gerenciava as operações da IBM no Rio Grande do Sul, passa a cuidar de toda a Região Sul com a missão de ajudar as empresas a ganhar produtividade, inovar, capturar novos insights e reduzir custos com o uso de plataformas cognitivas, disponíveis na nuvem, além de soluções de Hardware, Software, Serviços de Consultoria, Segurança da Informação, Financeiros, entre outros.

Em sua nova posição, Violento tem o desafio de continuar fortalecendo o mercado da região Sul para a era cognitiva. A partir do entendimento da linguagem natural (escrita ou falada) e da capacidade de lidar com uma fonte infinita de dados estruturados ou não, os sistemas geram hipóteses com base no aprendizado constante e assumem o papel de assistentes dos mais diversos segmentos profissionais, ajudando em importantes tomadas de decisão. Um exemplo é o Hospital do Câncer Mãe de Deus (Porto Alegre), primeira instituição de saúde da América do Sul a utilizar inteligência artificial como integrante tecnológico para identificar opções de tratamento para pacientes com câncer. Startups e empresas de diversos segmentos já contam com projetos de computação cognitiva e machine learning voltados para suas áreas de atuação.

“O Sul é um importante polo de desenvolvimento da IBM no Brasil, pois concentra um grande volume de empresas consolidadas e startups em plena expansão. Estou feliz por ter a oportunidade de continuar o desenvolvimento desse trabalho e por expandir o compromisso para novos clientes, parceiros e governo das cidades e estados do Sul fortalecendo a atuação regional no ano em que a IBM completa 100 anos no Brasil”, explica o executivo.

Formado em Eletrônica e graduado em Administração pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, com MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Dom Cabral de Minas Gerais, Marcelo Violento iniciou sua carreira na IBM em 1991, ainda como estagiário. Nesses 26 anos, ocupou diversas funções em Unidades de Negócios e esteve à frente de importantes contas dos setores financeiro, público, telecomunicações e varejo, além de indústrias de bens de consumo e bens de capital.

Gostou? Quer compartilhar?

App deixa cultura, arte e entretenimento mais próximos do cidadão paranaense

Como meio de aproximar o cidadão da cultura paranaense a Celepar, em parceria com o Governo do Estado, desenvolveu o aplicativo para smartphone Cultura Paraná. A solução permite que o cidadão fique por dentro dos acontecimentos do mundo da arte, cultura e entretenimento em cada município do estado. Cursos, shows, oficinas e teatros são alguns dos eventos divulgados pelo aplicativo.

Segundo a analista de sistemas Adriana Bevilacqua, a Celepar participou de todas as etapas do processo, desde a ideia até o desenvolvimento e gestão do sistema em si. “Começamos cadastrando os equipamentos (espaços culturais) e, em seguida, realizamos um levantamento com todos os espaços culturais os municípios e contatamos os prefeitos. Cada um recebeu um login e senha e ficaram responsáveis por cadastrar as programações em suas respectivas cidades. Para cada espaço cultural há um evento, elaboramos então uma agenda para cada local. Estamos pensando em melhorar o sistema e trazer novas funcionalidades, como o tour virtual e a agenda de atividades culturais”, completa Adriana.

O novo aplicativo, além de contar com a programação completa de eventos, oferece também informações a respeito dos espaços culturais, como museus, teatros, anfiteatros e bibliotecas. Ele também apresenta filtros específicos (por data, espaço e categoria) e sistema de mapa e GPS integrado.

Funcionalidades

O Cultura Paraná apresenta uma interface simples e se divide em três categorias: Eventos Culturais, a qual são mostradas as programações em si, Espaços Culturais, que diz respeito aos lugares cadastrados no aplicativo e o Mapa.

No aplicativo é possível selecionar uma cidade específica para pesquisar os eventos cadastrados na região, além de criar uma agenda pessoal, com os eventos e atividades salvas pelo próprio usuário. O aplicativo também apresenta a ação de enviar aviso de eventos para amigos ou grupos por meio das redes sociais.

Download

O aplicativo pode ser adquirido gratuitamente na Play Store (através desse site), para usuários do Android, e App Store, para usuários do iOS (através deste site). Basta apenas baixar para começar a usar.

Gostou? Quer compartilhar?

TI do Paraná precisa de mais “mão na massa” e menos política

Há alguns anos, acompanho de perto o desenvolvimento do setor de tecnologia do Paraná. A TI estadual conta com empresas que desenvolvem soluções de primeira linha para atender aos mais variados segmentos da economia. Quer um bom ERP, um bom CRM, alguma solução eficiente em analytics, software para o setor financeiro, varejo, indústria? Basta procurar no próprio estado, que você encontra gente competente para fornecer. Isso é fruto de esforços, por exemplo, para se alcançar certificações internacionais de qualidade de software como CMMi e ainda ter o maior número de empresas com a certificação nacional mps.br.

O Paraná sempre se destacou em nível nacional quando seus empresários fizeram o que sabem de melhor: cuidar da gestão, melhorar o desempenho, inovar no desenvolvimento de software, liderar em hardware com grandes companhias como Bermatech e Positivo Informática. E é disso que o mercado paranaense mais precisa, agora, para deixar a crise nacional para trás e seguir crescendo acima da média. Para isso, o estado precisa de lideranças empresariais focadas em geração de negócios, muito networking, cooperação e geração de oportunidades para novos negócios. O fortalecimento de Arranjos Produtivos Locais e Centrais de Negócios em regiões com Curitiba, Maringá, Londrina, Oeste, Sudoeste e Campos Gerais é vital. A representação política é importante, mas, historicamente, não alavancou o setor. Vejamos o exemplo de Curitiba: lutou para ter programas como Tecnoparque e ISS Tecnológico. Perdeu tudo com a administração municipal passada e depende, agora, do que o novo prefeito vai poder costurar sem que a arrecadação municipal, em baixa, não seja afetada. O Vale do Pinhão surge como esperança para a criação de um grande centro de inovação. Mas vai depender da adesão do empresariado.

Em nível estadual, criou-se uma importante Governança de TIC para fazer do Paraná um líder na América Latina em tecnologia. Mas esse tipo de iniciativa, gerou ou vai gerar algum negócio ou vantagem competitiva para as empresas locais? Dificilmente. A classe política está muito em baixa. Está mais preocupada, atualmente, em garantir a própria sobrevivência. Não há verbas para grandes ações de incentivo e as compras públicas locais de tecnologia não costumam mostrar muita variedade entre seus fornecedores. O futuro da TI do Paraná deve alcançar sucesso muito mais pelo esforço de seus empresários do que por um simples “beija-mão” em políticos.

Gilberto Campos
editor do Curitiba IT

Gostou? Quer compartilhar?

Internet da Copel Telecom se mantém como a mais rápida do país

A internet da Copel Telecom permanece como a mais rápida entre os 10 maiores provedores do País – e como a mais veloz do Paraná, entre empresas de todos os portes. O levantamento divulgado a cada três meses é resultado de 18 milhões de testes feitos pelos usuários. Desde novembro, a Copel Telecom aparece no topo da lista dos provedores nacionais.

A média da velocidade de navegação da Copel ficou em 25,4 Mbps (megabits por segundo), a mais alta do Brasil. ‘A nossa internet é sete vezes mais rápida que a do último colocado da lista, e quase o dobro das grandes empresas do mercado, que oferecem média dos 15 Mbps”, analisa o diretor da Copel Telecom, Adir Hannouche. “Somos o único Estado 100% coberto por fibras ópticas, o que possibilita uma conexão de altíssima qualidade para o comércio, indústrias e para as casas dos paranaenses”.

Entre os maiores provedores de internet do Brasil, a Copel Telecom lidera e fica à frente da Live TIM e Net Virtua. Na listagem estadual, também mantém a liderança. A segunda colocação ficou com a Net Virtua e a terceira com a Ligue.

Com investimentos de infraestrutura de cerca de R$ 40 milhões apenas no primeiro trimestre de 2017, a Copel Telecom atende o público corporativo com soluções de conectividade em todos os municípios do Paraná, além de internet para 63 cidades.

RANKING – O ranking baseia-se na média das velocidades de download dos usuários e é divulgado trimestralmente pelo portal Minha Conexão. Na contabilização não são considerados os testes feitos por meio de dispositivos móveis.

A avaliação aponta as velocidades entre os 10 maiores provedores do País, os provedores mais rápidos em cada Estado e as cidades com as maiores velocidades. O site também faz um comparativo entre as capitais brasileiras que têm a internet de maior velocidade. São Paulo é a capital de conexão mais rápida do Brasil, seguida por Porto Alegre e Curitiba.

Fonte: Agência Estadual de Notícias

Gostou? Quer compartilhar?

Gazeta do Povo se torna a primeira plataforma mobile first na América Latina com solução Eidosmedia

A Gazeta do Povo anunciou seu novo projeto editorial com o objetivo de promover mudanças de paradigma em sua produção jornalística. Até o momento foi investida uma quantia de aproximadamente R$ 23 milhões em tecnologia. Por isso, a partir de 1º de junho, o veículo passa a ser o primeiro no mercado editorial brasileiro feito originalmente para plataformas móveis, baseado no conceito mobile first, e terá como diretriz o jornalismo de impacto. Em negócios, a frente do modelo passa a ser o subscriptions first, no qual as assinaturas tornam-se a principal fonte de receita.

Mas, para que toda esta transição fosse viável, foi necessário intensificar a parceria com a EidosMedia, e fazer um upgrade no sistema de gestão de conteúdo com uma versão mais atual de Enterprise Content Management and Publishing Solution. A EidosMedia, empresa italiana de software que faz a publicação de conteúdo das principais mídias do mundo como The Wall Street Journal, Financial Times, Le Mondé, Le Figarro e Corriere della Sera, já fornece soluções para a Gazeta do Povo há três anos.

Para Ana Amélia Filizola, diretora da Unidade de Jornais do GRPCOM, escolher as soluções Méthode é um indicador de que a Gazeta do Povo está seguindo a tendência dos principais grupos de mídia no mundo. “Somos a primeira plataforma da América Latina a recriar o jornalismo de impacto e pensar no mobile se adaptando ao desktop em todo o processo de confecção da notícia. Estamos satisfeitos com a nossa parceria com a Eidos, que já é utilizada por mais de 30 mil usuários, nos cinco continentes. Estamos empenhados em recriar o jornalismo com o suporte tecnológico e estar na vanguarda dos grupos de mídia”.

Com esta tecnologia, que possibilita a total autonomia de gestão, escalabilidade e alta performance em processamento de dados na nuvem, o modelo de administração foi facilitado. A Gazeta do Povo pode garantir uma maior compatibilidade de hardware e segurança, além de contar com a Amazon como uma importante parceira para sustentar um investimento de tecnologia de ponta no jornal.

A parceria

Nos últimos cinco meses, a Gazeta do Povo e a EidosMedia avaliaram juntas qual seria a solução mais indicada para este novo projeto mobile-first. Com o upgrade do toolkit, foi possível redesenhar os processos para a gestão de conteúdo com foco 100% digital. Para dar suporte a este processo, a Gazeta do Povo estabeleceu ainda outras parcerias, com Spayce, Ciello, Accesstage, Eurekapi, Jwplayer, Hotjar, Navegg – DMP, RD Station, Rubicon, Outbrain, Shopback, Klipfolio, Google Analytics, ComScore Analytics, Spike e Ibope – TGI; além do suporte de soluções de cloud computing da Amazon.

A Redação da Gazeta do Povo participou revisando análise dos fluxos e modelos de controles do aplicativo para assegurar a melhor experiência para o leitor. Por se tratar de uma ferramenta dinâmica, essa equipe continua monitorando processos e propondo melhorias constantemente.

Para Jancarlo Nesto, gerente geral da EidosMedia para América Latina, mais uma vez a Gazeta do Povo está à frente dos principais veículos do Brasil. “Com esta ferramenta única, intuitiva e poderosa que combina as características de edição em tempo real com editoração simultânea, o jornalismo terá ainda mais qualidade e produtividade; posicionando a nova fase da Gazeta do Povo entre os principais veículos da América Latina”.

Segundo Leonardo Mendes Jr, diretor de redação do jornal, a nova Gazeta do Povo permite ao jornalista produzir não só textos, mas também fotos, vídeos e lives. Neste contexto, a ferramenta Methode Memo é essencial. Ela permite a publicação a partir do celular de qualquer lugar, sem a necessidade de intervenção do editor. “Criou-se o mito de que a tecnologia tirou o jornalista da rua. Deixou ele dependente de Google, Facebook, Wikipedia, telefone. Estamos mostrando que a tecnologia pode é mandar o repórter pra rua. O Memo permite que o nosso time esteja no meio da notícia e publique de lá, com mais agilidade e calor do que se estivesse sob o ar-condicionado da redação”, explica o executivo.

Nesse novo modelo editorial, não só o consumo, mas a produção da notícia será essencialmente a partir de celulares. Os jornalistas da Gazeta escreverão suas matérias e as publicarão na plataforma digital do jornal a partir de seus dispositivos móveis, preferencialmente, invertendo a lógica de consumo de conteúdo geralmente utilizada pelos veículos jornalísticos na Internet: o site originalmente construído para celular será responsivo para a tela do computador:

Os novos recursos tecnológicos desenvolvidos pela equipe de Pesquisa e Desenvolvimento da Gazeta do Povo em parceria com a EidosMedia trarão ferramentas e funções como:

• Exibição no site de novos agrupamentos de Editorias;
• Capa diferenciada por geolocalização;
• Novo menu com Tópicos da Gazeta que estiverem em alta;
• Resumo do Dia, Tarde e Noite com destaque na navegação via dispositivos móveis trazendo uma consolidação das principais matérias;
• Integração de novos âncoras jornalísticos e blogueiros no site da Gazeta do Povo com uma área leve e layout diferenciado;
• Experiência Social – o leitor poderá saber quais amigos das redes sociais (inicialmente Facebook) leram a Gazeta do Povo e também quais matérias. Essa é uma funcionalidade exclusiva no meio de Jornais.

Filizola complementa que a tecnologia foi essencial para desenvolver um novo modelo de negócio. Na reestruturação, o assinante passou a ser o foco da receita e o veículo passou a oferecer ao leitor um acesso a conteúdo online e a edição semanal, incluindo as revistas mensais de Haus, Bom Gourmet e Viver Bem Saúde*.

“Com a nova versão do publicador da Eidos, nós pudemos transformar o processo de criação e entrega da qualidade da notícia, tornando o mais eficiente, sustentável e lucrativo. A EidosMedia tem a missão de reestruturar a função do storytelling no seu local corretamente, que é o coração do processo de publicação de notícias”, diz Filizola.

Tecnologia do publicador mobile-first

A produtividade da Redação é ampliada por um sistema de distribuição de tarefas que garante a interação mais ágil e fluida entre os membros da equipe. A rotina da equipe de mais de 140 jornalistas, conta com:

• Criação de conteúdo, com facilidade para adicionar fotos e demais tipos de mídias; além da “liberação” da notícia;
• Ajuste minucioso para múltiplos canais;
• Entrega digital, com alimentação de páginas, curadoria automática da edição digital, design responsivo e presença social efetiva;
• Planejamento e coordenação de um único ambiente, com visualização completa dos processos e fluxos;
• Acesso remoto, com ferramentas para os autores e editores em trânsito, interface personalizável e opções para trabalhar offline e diretamente do dispositivo móvel.

“Esta é a primeira vez que a EidosMedia oferece um ambiente de planejamento que permite a um veículo da América Latina compartilhar ideias, designar tarefas e monitorar seu progresso até o final da publicação de cada matéria. Estamos empenhados com esta parceria que transformará o jornalismo na região, com mais tecnologia e, ainda, impactar positivamente a vida dos leitores”, complementa Nesto.

O Open Source proprietário é baseado em tecnologias padrões que começam com o formato universal XML permite uma flexibilidade total no processo de publicação e compartilhamento de conteúdo.

*Assinatura premium da Gazeta do Povo

Gostou? Quer compartilhar?

Dez cidades do Paraná estão entre as que mais geraram vagas no País

São José dos Pinhais.Foto: Divulgação PMSJP

O Paraná tem dez cidades entre as que mais geraram empregos formais no País, no primeiro quadrimestre deste ano. Levantamento do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes), com base nos dados Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, mostra que Maringá, Cascavel, São José dos Pinhais, Pato Branco, Curitiba, Capanema, Palotina, Rio Negro, Medianeira e Telêmaco Borba aparecem nessa lista.

O Paraná encerrou os primeiros quatro meses do ano com um saldo (diferença entre admissões e demissões) de 23.159 vagas. “A indústria, os serviços e a construção civil geraram a maior parte das novas vagas nesses dez municípios. Mas a melhora em criação de empregos é abrangente no Estado. Dos 399 municípios, 65% tiveram saldos positivos no período”, informa Julio Suzuki Júnior, diretor-presidente do Ipardes.

MAIOR – Maringá, no Noroeste do Estado, foi a cidade com maior saldo de vagas no primeiro quadrimestre, com 1.348 vagas, geradas, principalmente, pela agroindústria e pela indústria metalmecânica. A cidade ficou na 23ª posição entre os 100 municípios que mais criaram vagas com carteira assinada no País.

A agroindústria também teve peso nas contratações em Cascavel, com um saldo total de 1.201 vagas, em Palotina (948) e em Medianeira (809), na região Oeste.

A retomada da indústria de material de transporte, puxada pelas montadoras de veículos, foi a responsável por colocar São José dos Pinhais, na região de Curitiba, no posto de terceira maior geradora de vagas no Estado, com 1.166 novas colocações. Também foram destaques, na sequência, Pato Branco (1.141), no Sudoeste, graças, principalmente, à indústria metalmecânica, e Curitiba (1.039), influenciada pelo setor e serviços, em especial hotéis e restaurantes.

Em Capanema, no Sudoeste, boa parte da geração de vagas (953) foi puxada por obras rodoviárias. A indústria do fumo em Rio Negro, na região de Curitiba, gerou a maior parte do saldo de 859 vagas abertas no município e a produção de base florestal, com destaque para papel e celulose, contribuiu para o saldo de Telêmaco Borba, nos Campos Gerais, com 681 vagas.

RMC – Com o bom resultado no emprego, a Região Metropolitana de Curitiba foi a que mais gerou vagas no primeiro quadrimestre no País, com saldo de 2.972 vagas, à frente de Porto Alegre, com resultado positivo de 695.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

Gostou? Quer compartilhar?

Atos aposta em Londrina como polo de inovação e tecnologia

A Atos, líder internacional em serviços digitais, está transformando o site de Londrina (PR) em seu principal Centro de Inovação e Tecnologia na América do Sul.

Inaugurada em 2013 com 80 funcionários, voltados inicialmente para atividades de suporte de TI, a planta cresceu e conta hoje com 560 colaboradores, ampliando seu escopo de atuação para o desenvolvimento de produtos, soluções e plataformas, alinhadas à visão global do grupo sobre transformação digital.

Dentre as principais novidades desenvolvidas pelos especialistas da Atos em Londrina, destaca-se o Atos Connected Shopping, aplicativo de transformação do varejo que acaba de ser lançado no mercado.

O app aprimora a experiência de compra em estabelecimentos como supermercados, atacadistas e lojas de materiais de construção, por exemplo, ao eliminar a necessidade de o cliente circular pelo estabelecimento carregando os produtos em carrinhos. Com o Atos Connected Shopping basta escanear o código de barras ou QR Code com o celular, pagar no caixa e retirar o produto na saída da loja.

Outra solução inovadora é o Auro, software de automação que utiliza a tecnologia de computação cognitiva para sistematizar a coleta de dados em documentos de texto e tabelas, por exemplo, eliminando a necessidade de digitação manual de informações.

O objetivo da aplicação, que já está disponível, é reduzir custos e erros com processos burocráticos, promover ganho de tempo e otimizar a mão de obra, permitindo que o capital humano das empresas seja direcionado para atividades de maior valor.

“Os ótimos resultados obtidos em um espaço de apenas quatro anos reforçam nossa convicção sobre o acerto da escolha por Londrina. Vamos continuar investindo na formação e desenvolvimento de nossos profissionais para continuar crescendo aqui”, comenta Yves Guillaumot, CEO da Atos América do Sul.

Desenvolvimento da região

A escolha de Londrina para sediar o Centro de Inovação e Tecnologia da Atos levou em consideração a localização geográfica e o potencial econômico e de recursos humanos da região.

Desde sua chegada a Londrina, a Atos tem promovido parcerias com universidades e outras instituições de ensino da região, como Unifil, Unopar, UEL e Senai, para promover a formação de profissionais especialistas em tecnologia. Desde 2014, a empresa é conveniada ao Pronatec, programa do governo federal voltado ao ensino técnico.

As ações de treinamento e desenvolvimento para os colaboradores da sede de Londrina também já começam a se refletir na primeira geração de profissionais formados localmente que se tornaram gestores.

Jogos Olímpicos

Outro ponto alto da operação da Atos em Londrina ocorreu durante os Jogos Olímpicos Rio 2016. Pela primeira vez na história das Olimpíadas, parte da operação de TI foi realizada fora da cidade sede.

A atuação do time de Londrina, que contou com a contratação de 70 novos profissionais, recebeu diversas notas máximas em pesquisas de satisfação do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) durante o período de competições.

Essa experiência é a base para o próximo passo da transformação digital dos Jogos, que ocorrerá em 2018, em Pyeongchang, Coreia do Sul. De forma inédita, toda a operação de tecnologia da próxima Olimpíada de inverno será realizada de forma remota, a partir de um centro de operações na Espanha.

Gostou? Quer compartilhar?

Curitiba conta com plataforma de contratação de serviços online

O tempo anda cada vez mais escasso para todo mundo. O conforto e a comodidade que startups, por meio de plataformas delivery, oferecem com serviços essenciais são boas saídas para unir o útil ao agradável. Afinal, quem não gosta da praticidade em contratar um serviço em apenas alguns cliques? Em Curitiba, o GetNinjas, plataforma que conecta usuários a prestadores de serviços e é considerado o maior aplicativo para contratação da América Latina, já faz parte do dia a dia da população.

A empresa reúne, em um mesmo ambiente, mais de 10 categorias e 200 subcategorias de serviços, entre eles: encanador, pedreiro, eletricista, jardineiro, personal trainer, diarista, professores particulares, cabeleireiros, enfermeiros, churrasqueiro, entre outros. Pelo GetNinjas, o cliente solicita um orçamento e recebe o retorno de até três profissionais, que por sua vez, fazem o contato direto com o interessado, fechando a contratação do serviço por telefone, SMS ou Whatsapp.

Na capital do Paraná, os serviços mais solicitados são assistência técnica de celular e aparelhos domésticos; serviços domésticos com destaque para diaristas e babá; reformas e reparos com profissionais da área de marcenaria, pedreiros e eletricistas e, por último, profissionais da área buffet, como serviços completos e animação de festas. Dos serviços realizados no GetNinjas, 34% são feitos por mulheres, entre 18 e 54 anos, e 66% por homens, entre 18 e 64.

Os hábitos de consumo passaram a estar diretamente ligados à internet. E, apesar do forte crescimento do mercado mobile, em Curitiba, 75% dos agendamentos de serviços ainda são feitos via web, por meio de um desktop ou notebook, e o mobile representa 25%.

Outros dados que ganham destaque, 73% dos profissionais cadastrados na base do GetNinjas, que atendem em Curitiba, possuem ensino superior completo, 9% pós-graduação e 78% estão em um relacionamento sério ou são casados.

Todos os profissionais da plataforma passam por uma avaliação criteriosa, que vai desde do histórico profissional até consultas em órgãos públicos. Além disso, com o recurso de geolocalização do aplicativo, o profissional tem a facilidade de atender diversos clientes em um mesmo bairro ou bairros próximos em um mesmo dia, já que a plataforma tem uma delimitação geográfica de acordo com a necessidade do profissional, o que acaba diminuindo o custo de sua operação, com deslocamento, por exemplo.

Com a crise econômica do Brasil, o GetNinjas se tornou uma excelente alternativa para os profissionais que querem, além de flexibilidade na rotina, aumentar sua renda e a liquidez do seu negócio.

Gostou? Quer compartilhar?

Fiep se manifesta contrária à greve geral desta sexta-feira (28)

A Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) vem a público se manifestar contrária à greve geral convocada para esta sexta-feira (28). A Fiep repudia que, em um momento de profunda crise atravessado pelo país, o setor produtivo brasileiro seja afetado por uma paralisação de serviços que comprometerá as atividades das empresas, causando ainda mais prejuízos a toda a sociedade.

A Fiep entende que todo e qualquer cidadão ou categoria tem o legítimo direito de se posicionar em relação aos grandes temas em debate no Brasil atualmente. Essa manifestação, porém, não pode se sobrepor ao livre arbítrio e ao direito de ir e vir de pessoas que não têm intenção de aderir ao movimento grevista.

Por fim, a Fiep reitera seu total apoio às reformas em discussão no Congresso Nacional, por entender que representarão expressivas melhorias no ambiente de negócios do Brasil. As mudanças propostas no sistema previdenciário e a modernização de pontos da legislação trabalhista são importantes para a retomada da confiança de investidores e o incentivo ao empreendedorismo, que se reverterão na geração de empregos e renda no país.

Fonte: Fiep

Gostou? Quer compartilhar?

Incubadora Tecnológica do Tecpar apoia empresas inovadoras do setor de saúde

Integrante do Parque Tecnológico da Saúde do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), a Incubadora Tecnológica do Tecpar (Intec) se especializa cada vez mais em atrair empresas para desenvolver novas tecnologias na área da saúde. Das nove empresas incubadas no momento, cinco companhias são do setor da saúde – coincidentemente as últimas que ingressaram no processo de incubação.

No momento, nove empresas passam pelo programa da Intec, com o desenvolvimento de tecnologias em diversas áreas: Beetech/Beenoculus, Werker, Vuk Personal Parts, Compracam, Provena, RR Import, Forrest Brasil Tecnologia, OrangeLife e Neurocel.

Cinco delas entraram na incubadora para atuar com apoio do Parque Tecnológico da Saúde. A Neurocel, por exemplo, desenvolve pesquisa na área da neurocirurgia para produzir uma membrana biológica com a finalidade de substituir a dura-máter – também chamada de meninge – em caso de lesões por tumores ou por traumatismos. O novo produto é fruto de uma pesquisa de 25 anos.

A OrangeLife realiza Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) de novos produtos no Tecpar. Um dos primeiros em desenvolvimento no instituto é um equipamento que diagnostica em tempo real doenças infecciosas, negligenciadas e sexualmente transmissíveis.

Também na área de saúde humana, a RR Import ingressou no processo de incubação para desenvolver um monitor portátil, inédito no País, que vai ser usado quando um paciente for anestesiado. Com o equipamento, o médico tem mais segurança sobre o bloqueio de reflexos do paciente durante uma cirurgia.

A Provena, por sua vez, desenvolve no Tecpar uma prótese cardíaca menos agressiva do que as disponíveis no mercado para resolver problemas congênitos de má formação do coração. A vantagem é que o implante desta prótese é feito por endocirurgia, procedimento minimamente invasivo.=

SAÚDE PÚBLICA – Além de produtos para a saúde humana, a Forrest Brasil Tecnologia assinou o contrato de incubação no Tecpar para desenvolver uma tecnologia inédita voltada à saúde pública. O projeto de Desenvolvimento e Inovação (D&I) vai produzir e liberar na natureza machos estéreis do mosquito transmissor do Aedes aegypti para o controle natural dos insetos. Com o projeto, a tendência é que haja a queda da incidência do mosquito em até 90%, com redução significativa de registros de casos de doença como a dengue, a zika e a chikungunya.

Para o diretor-presidente do Tecpar, Júlio Felix, a incubadora é a porta de entrada do instituto para empresas tecnológicas inovadoras que querem ingressar no parque tecnológico. “A Intec aproxima essas empresas inovadoras para que, após o desenvolvimento de seus produtos e amadurecimento, possam então ganhar o mercado instaladas dentro do parque tecnológico. A chegada dessas empresas da área da saúde na incubadora mostra que empreendedores e empresários confiam no Tecpar como apoiador de suas ideias”, salienta Felix.

INTEC – Empreendedores que queiram participar do programa de incubação do Tecpar podem se inscrever ao longo do ano para concorrer a uma vaga em uma das duas unidades da Intec, em Curitiba e em Jacarezinho.

São ofertadas vagas para a modalidade residente – quando a empresa fica nas dependências da Intec – e para a incubação não residente, quando o empresário não se instala na incubadora, mas conta com o apoio dos especialistas do instituto.

Podem participar do processo de incubação pessoas físicas, como universitários, pesquisadores e empreendedores que tenham um negócio inovador, ou pessoas jurídicas. Ao longo de 27 anos, a Intec já deu suporte tecnológico a mais de 100 negócios.

Fonte: Tecpar/Agência Estadual de Notícias

Gostou? Quer compartilhar?

Curitiba realiza 28º Encontro de Líderes de APLs de Tecnologia da Informação

Acontece na quarta-feira, 26/04, o 28º Encontro de Líderes da Rede APL de TIC do Paraná. O evento vai ser realizado na sede da Assespro-Paraná em Curitiba. Confira a programação:

Gostou? Quer compartilhar?