Tasty Salad Shop é a única paranaense a entrar no programa de aceleração da BRMALLS

TASTYSE_01 (2)

A casa de saladas Tasty Salad Shop foi a única empresa do Paraná selecionada para participar do programa BRMALLS Partners, que apoia empreendedores que estão transformando o varejo brasileiro. Mais de 400 empresas concorreram às 15 vagas oferecidas.

Durante sete meses, os empreendedores Patrícia Lion e Rodrigo Pasinato, ela fotógrafa e ele arquiteto, estarão imersos na metodologia da Endeavor, organização global de fomento ao empreendedorismo, e serão orientados pela BRMALLS, a maior empresa de shoppings da América Latina. Como conectora do programa, a BRMALLS vai se aprofundar nos desafios da Tasty Salad, orientar e apoiar a condução do negócio, para que ele desponte no mercado de forma estruturada.

A Tasty Salad Shop possui atualmente cinco unidades em Curitiba. Inauguraram recentemente uma loja conceito no Shopping Estação, com cozinha aparente e ambientes integrados.

Gostou? Quer compartilhar?

Abimaq realiza evento, em Curitiba, para comemorar 80 anos

A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) dá continuidade, em Curitiba, neste dia 8 de novembro, a uma série de atividades comemorativas aos seus 80 anos de existência. Na oportunidade, serão apresentados os principais desafios enfrentados pela indústria nacional e como a Abimaq poderá colaborar para a competitividade do setor. O almoço reunindo empresários e autoridades será no Campus da Indústria/Fiep (sala de convenções) e estão confirmadas as presenças do presidente do Conselho de Administração da Abimaq, João Marchesan, do presidente executivo, José Velloso; e de demais membros da diretoria.

A ABIMAQ tem uma série de iniciativas que, ao longo das suas oito décadas, contribuíram para desenvolver o setor e torná-lo mais robusto e competitivo. Dentro da indústria de transformação, este é o setor que mais exporta no Brasil. Impossível imaginar o mundo sem as máquinas, que geram riquezas, facilitam e prolongam a vida, abreviam tempo e diminuem distâncias e, principalmente, acompanham a constante necessidade de consumo, estimulando o setor a produzir cada vez mais. A produtividade e a competitividade de uma economia são conquistadas com as máquinas.

A força que move o Brasil

A Abimaq representa mais de 7,5 mil indústrias de máquinas e equipamentos, que juntas empregam mais de 300 mil empregados e somam um faturamento anual superior a R$ 70 bilhões. Vem participando ativamente do desenvolvimento da indústria nacional de máquinas e equipamentos, contribuindo significativamente no processo de crescimento de todos os setores produtivos da nação, de acordo com o empresário Marcello Luparia, diretor regional da Abimaq-PR. Ele reconhece que o atual cenário é desfavorável, mas destaca a importância das gestões que a Abimaq vem realizando junto ao Governo Federal na tentativa de estancar o processo de desindustrialização do país e que este encontro empresarial resultará em excelente oportunidade para a apresentação dos pleitos do setor de bens de capital ao Governo.

Gostou? Quer compartilhar?

Preparação antecipada define o sucesso do e-commerce na Black Friday

S2Publicom_strip_97266_1_full

A Black Friday de 2017 está marcada para o próximo dia 24 de novembro. Durante eventos como esse, o e-commerce tem um volume brutal de acessos, chegando a aumentar de 10 a 20 vezes o número de visitantes em comparação com dias normais. “Os investimentos feitos em infraestrutura e aplicações de TI em anos anteriores sempre deixam um legado estrutural que, obviamente, já é um bom ponto de partida para este ano, mas, como o e-commerce é muito dinâmico, provavelmente as páginas e suas funcionalidades já não são mais as mesmas”, explica Alexis Rockenbach, co-fundador e presidente da Compasso, uma empresa UOLDIVEO.

Segundo o executivo, no e-commerce não é possível ter exatidão sobre qual volume de tráfego será registrado ou que tipo de comportamento diferente das edições anteriores ocorrerá. Observando este contexto e todas suas variáveis, para garantir melhor experiência dos consumidores, o ideal é se planejar com antecedência e se preparar com todas as ferramentas possíveis, ter um alinhamento constante entre as áreas de negócios e da TI e assim minimizar a chance de ser surpreendido com algo que fuja do controle. A cada evento como este é necessário validar e testar todas as páginas e recursos novamente.

Outro ponto que reforça este cuidado é o crescimento ano após ano. “Nossos principais clientes têm apresentado grande crescimento ano a ano (Gráfico1) e preveem para 2017 o dobro de tráfego em relação a 2016 na semana Black Friday (segunda a domingo, com pico na sexta). O crescimento do número de page views no grupo dos maiores clientes atendidos pela Compasso foi de 24,3%, em 2016, em comparação ao ano anterior. Em função disso, é necessário um processo contínuo de preparação antes do evento”, afirma.

A preparação prematura elimina por completo as maiores queixas e problemas comumente atrelados ao evento, como a indisponibilidade ou lentidão causada tanto pela falta de capacidade de processamento de tráfego simultâneo ou pela rajada de acessos vinda de sites externos ou afiliados. É necessário prever até movimentos mais simples, como atualizações do sistema que, em meio à grande movimentação do evento, podem também congelar o sistema por longos períodos.

A TI das empresas de e-commerce usa um conjunto diverso e abrangente de diferentes soluções, desde a camada de infraestrutura, de hardware, sistema operacional, banco de dados, servidores de aplicação e ferramentas que rodam nesta base. Cada uma dessas ferramentas tem um nível de complexidade e demanda recursos especializados para fazer as configurações, acompanhamento e monitoração. Nenhuma empresa consegue passar de forma tranquila pela Black Friday sem incrementar essas equipes porque realmente o trabalho aumenta.

“Hoje, atuamos com 430 profissionais, que trabalham exclusivamente atendendo as demandas desses clientes de e-commerce. Nosso valor está em ser o braço de expansão da capacidade de atendimento não só durante a Black Friday, mas durante a preparação das otimizações que ocorrem ao longo do ano”, explica. Entre os clientes de e-commerce atendidos pela companhia, estão empresas dos setores: moda, indústria, eletroeletrônicos, livros, equipamentos profissionais, cosméticos, e programas de ponto e fidelidade. O UOLDIVEO é responsável pelos serviços de aplicações, plataforma e infraestrutura para os maiores sites de e-commerce brasileiros.

A Compasso é a maior implementadora no Brasil de plataformas e-commerce de classe Global, com destaque para projetos com a plataforma Oracle Commerce, onde está concentrado o maior número de implementações locais. Esta solução está entre as três principais plataformas globais que lideram o quadrante mágico do Gartner.

No Brasil, dentre os maiores sites e-commerce brasileiros, há mais de 40 clientes que utilizam as plataformas líderes na visão do Gartner, dos quais mais de 60% contam com os serviços de implementação e sustentação da Compasso.

Em um contexto mais amplo, dentro de sua estratégia multicloud, o grupo UOLDIVEO vem agora ampliando a cobertura de serviços para um leque mais abrangente de aplicações, de modo a ser capaz de suportar também as demandas de clientes que se beneficiam de outras plataformas de aplicação, também líderes de mercado. Entre estas iniciativas, UOLDIVEO formalizou neste ano uma nova parceria com a SAP, de modo a incluir serviços especializados na Suite Hybris em seu portfolio também, trazendo uma cobertura ainda mais ampla de ofertas para o mercado local.

É importante salientar que a Black Friday não é o único evento sazonal que tem aumento de tráfego. Ele é o pico na maioria dos portais de e-commerce, mas existem outras empresas que no Dia das Mães, Dia dos Pais, das crianças e Natal registram grande aumento no tráfego, não necessariamente na mesma volumetria, mas que se aproximam muito da Black Friday. Além disso, existem eventos fora do calendário, como campanhas e promoções específicas que geram o mesmo efeito multiplicador do tráfego.

“O que é trabalhado em relação à Black Friday vale também para toda espécie de eventos sazonais de aumento de tráfego durante o ano. É um trabalho contínuo, não somente um mês antes do evento. À medida que se aproxima a data, você intensifica essas ações, mas é um trabalho constante. A melhor solução sempre vai ser buscar a elasticidade necessária para que este aumento de tráfego não gere nenhum tipo de lentidão ou indisponibilidade para nenhum consumidor”, afirma Alexis.

Recomendações para um bom desempenho do e-commerce na Black Friday:

– Planejamento e antecedência são primordiais quando se fala sobre preparação para eventos como a Black Friday;

– Faça um plano estruturado de melhoria contínua de seu ambiente de e-commerce, envolvendo equipes multidisciplinares como a sua TI, a área de negócios da empresa e seus fornecedores tanto para aplicação quanto para infraestrutura;

– Porque, à medida que você não faz este trabalho preventivo, corre o risco de decidir fazer implementações de última hora e não ter tempo de forma apropriada para operar uma campanha;

– Independentemente de sua plataforma, inclua testes de stress, simulando o tráfego extra. Esta pode ser a grande vulnerabilidade dos portais, porque sem teste, não conseguem ter uma
visibilidade de suas métricas e indicadores que dão uma noção da capacidade do ambiente.

– Torne isso uma prática recorrente. Logo depois da Black Friday, o natural é começar a se preparar para campanhas do próximo ano.

Gostou? Quer compartilhar?

Como se antecipar ao cliente e oferecer as melhores soluções? – Por Carlos Cruz

Apesar de não ser o ideal, é muito comum que os clientes saibam mais que o profissional de vendas quando eles são abordados em termos de informação sobre o mercado e o produto. Esse fato é facilitado porque a população tem se especializado em consumo. Além disso, o autosserviço tem ganhado a atenção do consumidor e, consequentemente, deixado ele cada vez mais autônomo em suas decisões.

A tecnologia também colabora para essa independência na hora de comprar, com a facilidade ao acesso de informações relevantes de cada segmento. Atrelada a isso, está a escassez de inovação que deixa os itens e serviços ofertados semelhantes. O cliente passa a não ver diferença entre os produtos de empresas concorrentes.

Por outro lado, com as demandas da rotina, o profissional de vendas acaba se preparando menos que o comprador, que está sim mais atento em relação às tendências e possibilidades de seu mercado. Ao chegar à reunião, o cliente sabe tudo sobre o produto que será oferecido, às vezes, até mais que o próprio vendedor.

Porém, ainda é possível se diferenciar em um mercado saturado pelas mesmas ideias e compradores mais espertos! Veja abaixo três passos que podem mudar o rumo de uma venda e a opinião do consumidor:

1- Repertório adequado – O vendedor profissional precisa, de fato, se preparar mais. Com uma abordagem específica, ele deve ir para uma reunião com um case de sucesso daquele segmento. Para falar com o cliente, é necessário ter uma história relacionada ao mundo dele. Se não, fatalmente, o consumidor vai se sentir mal atendido.

2- Credibilidade – É necessário ouvir a necessidade no momento da abordagem. Em vez de falar do produto logo no início e correr o risco do cliente saber mais do que você, pergunte qual o problema que ele enfrenta e como acha que o seu produto pode ajudá-lo. Dessa forma, você vai conquistar sua confiança e deixar uma porta aberta para que ele fale das suas reais necessidades.

3- Diferenciação – Depois da “consulta investigativa” sobre o que o cliente realmente precisa, é possível oferecer algo a mais. Dessa forma, você consegue se destacar em relação ao concorrente e evita demonstrar falta de conhecimento. É necessário oferecer uma solução e ainda se diferenciar para garantir a preferência!

Com esses três passos, você conseguirá o que todo mundo busca: vender uma solução. E se você não propõe solucionar um problema, oferece aquilo que todo mundo já proporciona. Quer correr o risco de demonstrar que as únicas diferenças entre o seu produto e o do concorrente são o preço e disponibilidade? Fuja disso! Ouça o seu cliente e faça uma proposta diferenciada!

Carlos Cruz é diretor do Instituto Brasileiro de Vendas (IBVendas)

Gostou? Quer compartilhar?

SAP promove SAP FORUM BRASIL nos dias 12 e 13 de setembro

Dias 12 e 13 de setembro, a SAP Brasil realiza a 21a edição do SAP Forum Brasil. Este ano, o evento mostra que o futuro prometido pelas inovações tecnológicas já chegou. Além de palestras e sessões sobre os mais importantes temas atuais, cases de sucesso e show cases vão comprovar que as tendências de mercado já se transformaram em negócios digitais graças a novas e acessíveis plataformas e soluções. No ano passado, mais de 8 mil pessoas participaram do encontro no Transamérica Expo Center, em São Paulo.

Desde sua primeira edição, o SAP Forum Brasil mostra a importância de uma constante inovação para os negócios de empresas de todos os portes. Nos últimos anos, a transformação digital foi tema dominante do evento que, nesta edição, traz resultados concretos de setores que já trilham a nova jornada tecnológica e usufruem de seus resultados para os negócios.

“Nosso objetivo principal é mostrar como as novas tecnologias, como Big Data, Machine Learning, IoT, Blockchain e Inteligência Artificial já estão alavancando a inovação, a reinvenção e a transformação de negócios em grandes, médias e pequenas empresas”, destaca Odélia Avny, gerente de Marketing da SAP Brasil. Para isso, o evento vai contar com grandes nomes do mercado, clientes e os principais executivos locais e globais da companhia, que estarão à frente de palestras, show cases e mais de 400 sessões de conteúdo.

As sessões do SAP Forum Brasil 2017 estarão divididas em grandes categorias, como Tecnologia e Plataformas, Compras, Finanças, Recursos Humanos, Cadeia de Suprimentos e Marketing e Vendas, entre outras. O evento será aberto por um Congresso que já tem confirmados, entre outros palestrantes, Flavio Pripas, diretor do Cubo. Entre outros executivos globais da SAP estarão presentes: Pat Bakey, presidente da SAP Industries; Jennifer Morgan, presidente para Americas e APJ de Global Customer Operations, e Mala Anand, presidente global de SAP Leonardo e Data & Analytics. Todos vão participar de bate-papos sobre transformação digital e o portfólio SAP Leonardo.

Shark Tanks: inovação na prática

Um dos destaques do Congresso será uma sessão exclusiva do Shark Tank Brasil para o SAP Forum. Para mostrar a inovação na prática – que será o grande tema das sessões de conteúdo do evento – os tubarões Cristiana Arcangeli, João Appolinário, Camila Farani e Caito Maia, participarão de uma simulação de negociação ao vivo, com a apresentação de quatro startups.

SAP Forum Brasil 2017

Data: 12 e 13 de setembro de 2017

Hora: das 8h às 20h

Local: Transamérica Expo Center – Av. Dr. Mário Villas Boas Rodrigues, 387 – São Paulo, SP.

Para se inscrever e mais informações, acesse www.sapforum.com.br

Gostou? Quer compartilhar?

Preço e frete grátis são os principais fatores levados em conta nas compras online, mostra pesquisa

Fazer compras pela internet já se tornou um hábito de grande parte dos brasileiros, mas quais são os fatores determinantes na decisão de compra? De acordo com a pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), para 60% dos entrevistados o preço é o principal fator – já 39% citam o frete grátis e 27% tomam como base as avaliações de outros consumidores.

O levantamento, feito com internautas que realizaram compras online no último ano nas 27 capitais, mapeia o processo de compras pela internet dos brasileiros e mostra que 97% já compraram mais de uma vez pelo mesmo site ou aplicativo, principalmente, devido a uma experiência anterior positiva (52%), a confiança na loja e/ou na marca (42%) e por possuir os melhores preços (37%). Na hora de escolher o site ou aplicativo para a compra, 56% dão preferências às lojas que já têm o costume de comprar, 49% buscam marcas conhecidas e 37% fazem pesquisa em sites que comparam preços e escolhem o de menor valor.

Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, é natural que o consumidor encare o preço de um produto como aspecto determinante para suas compras. “As pessoas tendem a selecionar, dentre as marcas que admira ou gosta, aquela que oferece a melhor relação entre custo e benefício. Portanto, o preço é fator decisivo nesse processo de escolha. Ao lado disso, vale lembrar que há outros parâmetros que o consumidor também leva em conta, como a forma de pagamento, o atendimento, a reputação da loja ou as menções à marca em órgãos governamentais ou sites de reclamação”, afirma.

O levantamento identifica como os consumidores brasileiros lidam com quatro fases do processo de compra: economia, planejamento, pesquisas e segurança.

Economia: 51% já compraram em sites desconhecidos para aproveitar uma promoção

De acordo com os dados, 87% dos entrevistados utilizam algum programa ou serviço online com o objetivo de economizar no dia a dia, sendo os principais:

• 51% streaming de filmes;

• 50% aplicativos para ligar para parentes e amigos;

• 44% download de músicas;

• 44% venda de produtos novos ou usados;

• 31% compra de passagens e pacotes turísticos;

• 31% download de jornais, revistas e ebooks.

Porém, 51% confessam já terem comprado produtos em sites ou marcas desconhecidas para aproveitar uma oportunidade.

Planejamento: e-mails marketing e Facebook impulsionam compras não planejadas

A grande maioria (83%) afirma planejar as compras virtuais antes de realizá-las. Entretanto, 16% não planejam as compras, e 44% dos entrevistados comprou de forma não planejada ao receber um e-mail de loja e 31% e 30% ao ver produtos no Facebook, seja no perfil das lojas ou quando compartilhados por amigos ou pessoas públicas, respectivamente.

O principal motivo para a realização da compra não planejada após ver um anúncio em sites ou redes sociais é o produto estar em promoção (56%) e não querer perder as oportunidades de preços baixos (43%). Os produtos mais comprados por impulso são os vestuários, calçados e acessórios (30%), livros (24%), cosméticos (15%) e comida delivery (14%).

Sete em cada dez consumidores (69%) já desistiram de uma compra no momento do pagamento, especialmente depois de verificarem o valor do frete (33%), um prazo de entrega demorado (21%) ou não ter certeza da compra (15%). Segundo o educador financeiro do SPC Brasil e do Meu Bolso Feliz, José Vignoli, “o consumidor sabe que comprar pela internet envolve muito mais do que simplesmente escolher o menor preço. Embora o custo seja uma preocupação sempre presente, as pessoas também procuram informar-se sobre o prazo para receber o produto, sua qualidade e como é o relato de outros compradores sobre determinado item.”

Pesquisa: produtos mais pesquisados são de tecnologia e telefonia

Quase toda a amostra (99%) afirma realizar algum tipo de pesquisa de preço antes de comprar em um site ou aplicativo e 68% se informam sobre as reclamações de outros consumidores em sites especializados quando compram um produto em uma loja desconhecida.

Os produtos mais pesquisados antes da compra virtual são os de informática e tecnologia (25%) e serviços de telefonia, celular e internet (23%). Os tipos de informação mais pesquisados são preços (60%), comentários de outros clientes (60%) e qualidade dos produtos (52%).

Nove em cada dez entrevistados (88%) costumam comprar com desconto, especialmente por meio de promoções (59%) e por meio de cupons de desconto (44%). “Não há dúvida de que a internet potencializa o acesso à informação e amplia suas possiblidades de escolha, auxiliando na tomada de decisões, a partir de opiniões compartilhadas entre compradores e formadores de opinião”, explica Kawauti. “Por outro lado, as pessoas são bombardeadas com ofertas e anúncios customizados a partir de seus hábitos de navegação e diversas ações de marketing que estimulam e facilitam as compras por impulso. O consumidor online, portanto, deve sempre refletir antes de clicar em “comprar”’ pois nenhuma promoção é boa o bastante se aquilo que for adquirido extrapolar o orçamento”, analisa a economista.

Segurança: 97% tomam precauções em suas compras online

Uma grande preocupação de quem faz compras pela internet se refere à segurança dos procedimentos online: 97% tomam alguma precaução em suas compras virtuais, sendo as mais recorrentes fazer suas compras apenas em sites e aplicativos conhecidos ou indicados (60%), arquivar todos os passos da compra, inclusive e-mails de confirmação (40%) e evitar cadastrar cartão de crédito para compras futuras (37%).

Metodologia

A pesquisa ouviu 673 internautas das 27 capitais que realizaram compras pela internet no último ano. A margem de erro é de 3,4 pontos a uma margem de confiança de 95%.

Baixe a íntegra da pesquisa em https://www.spcbrasil.org.br/pesquisas

Faça o teste e descubra se você é um com comprador online em http://meubolsofeliz.com.br/teste/voce-e-um-bom-comprador-virtual

Gostou? Quer compartilhar?

4Results leva soluções tecnológicas para evento internacional sobre inovação no agronegócio

Para incentivar a disrupção no agronegócio, acontece, de 21 a 24 de maio, nos Estados Undos, o One – Simpósio de Ideias Alltech, promovido pela empresa que é líder mundial em saúde e nutrição animal.

O principal objetivo do evento é inspirar agricultores, pecuaristas, produtores, fornecedores e influenciadores a romperem os métodos convencionais e utilizarem seu potencial e tecnologia na proposição de ideias e soluções para uma produção mais sustentável.

“O Simpósio ONE busca incentivar, capacitar e, mais importante, nos desafiar”, destaca o presidente e fundador da Alltech, Dr. Pearse Lyons. “Queremos que os indivíduos não se sintam apenas como se fossem parte desse desenvolvimento da indústria, mas que se sintam capazes de implementar e propor soluções”.

A empresa de tecnologia 4Results vai participar do simpósio da Alltech por acreditar que pode contribuir com importantes ferramentas tecnológicas para o desenvolvimento do agronegócio com soluções inovadoras.

A 4Results atende a Alltech com o Microsoft Dynamics e disponibliza soluções tecnológicas para a empresa em todos os países da América Latina em uma parceria que teve início em 2012. Também pertence ao One Club, grupo dos principais fornecedores escolhidos pela Alltech para crescer juntos. Daí partiu o convite para a participação no simpósio One, que também conta com patrocínio da 4Results.

“Como um parceiro Microsoft Gold, a 4Results está trabalhando para promover transformação digital no Brasil e na América Latina. Existe este chamado para disrupção, não se trata de aderir às tecnologias, é necessário reimaginar”, afirma Cristiane Werner, CEO da 4Results. “Este é o momento para construir novos modelos, para gerar valor e criar novas oportunidades, enfim, oferecer uma experiência inédita por meio da tecnologia“, completa a empresária.

One – Simpósio de Ideias Alltech

21 a 24 de maio
Lexington – Kentucky – Estados Unidos

Saiba mais em www.4results.com.br e www.pt.alltech.com

Gostou? Quer compartilhar?

Camara-e.net dá dicas de compra segura para o Dia das Mães

Com a aproximação do Dia das Mães, muita gente vem buscando no comércio eletrônico uma maneira de economizar nos presentes. Mas é bom o consumidor ficar atento às ofertas, aos prazos de entrega e aos sites onde efetua a compra. Pensando nisso, a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) revisou seu Guia da Compra Segura e incluiu dicas especialmente para essa data.

Verifique se o site da loja exibe endereço, telefone fixo ou filial física. Observe informações como razão social e CNPJ e confirme esses dados no site da Receita Federal (www.receita.fazenda.gov.br). Se a situação estiver “baixada”, “cancelada” ou “inativa”, desista da compra. Alguns sites não possuem essas informações por conta das políticas da empresa ou formato de comercialização, como é o caso de marketplaces.

Pesquise sobre a reputação da loja que você escolheu. O Procon traz uma lista atualizada mensalmente de sites não recomendados: http://sistemas.procon.sp.gov.br/evitesite/list/evitesites.php.

Consulte os sites que facilitam a comparação de preços, produtos e serviços. Eles são excelentes fontes de informação, e estão constantemente atualizados.

Observe os prazos de entrega. Como a data se aproxima e o e-commerce rquer alguns dias para a entrega da compra, certifique-se de que o presente será entregue a tempo para o Dia das Mães.

Tenha antivírus, antispyware, firewall e tudo o que for possível para evitar que qualquer usuário mal-intencionado tenha acesso às suas informações. Ao fazer o cadastro no site para finalizar a compra, registre uma senha forte, contendo letras maiúsculas, minúsculas, números e caracteres especiais.

Evite utilizar computadores públicos para as compras, a fim de garantir maior segurança dos seus dados. Lembre-se de que é possível comprar pelo smartphone ou tablet, além do computador convencional.

Use sites que tragam serviços de pagamento de renome. Nos que oferecem a opção de boleto, verifique há quanto o tempo a loja está em operação (isso é possível verificar no site da Receita).

Verifique se a loja possui conexão de segurança nas páginas em que são informados os dados pessoais do cliente como nome, endereço, documentos e número do cartão de crédito. Geralmente essas páginas são iniciadas por http:// e o cadeado está ativado (ícone visualizado em uma das extremidades da página). Clique no cadeado e observe se a informação do certificado corresponde ao endereço na barra de navegação do computador.

Leia a política de trocas e devoluções antes de finalizar a compra. Se tiver dúvidas, ligue entre em contato com a loja para saná-las.

Guarde todas as informações e e-mails referentes à compra, como número do pedido, confirmação de pagamento e código de rastreio do envio.

Observados estes cuidados, o e-consumidor poderá realizar sua compra de forma segura e tranquila.

Gostou? Quer compartilhar?

Positivo passa a chamar Positivo Tecnologia

A Positivo Informática se prepara para a primeira alteração de sua nomenclatura. Com conceito mais amplo e atualizado, a nova denominação Positivo Tecnologia contempla o momento de diversificação dos negócios da companhia, que hoje atua com um variado portfólio de marcas, segmentos de negócio e geografias.

“Adotamos um novo ‘sobrenome’ que reflete o movimento que iniciamos nos últimos anos de expansão para outros devices, além do PC, e vai abarcar as demais marcas debaixo do guarda-chuva da companhia, entre elas a própria Positivo – aqui como fabricante de dispositivos móveis –, a Quantum, a VAIO e a Hi Technologies. Entendemos que Positivo Tecnologia reflete o momento atual e o que vislumbramos como oportunidade para os próximos anos, com internet das coisas, big data e inteligência artificial ganhando cada vez mais importância no mercado, assim como em nosso radar”, ressalta Hélio Bruck Rotenberg, presidente da Positivo Tecnologia.

A estratégia de expansão, que começou com a internacionalização da companhia para Argentina e Uruguai em 2011, proporcionou diversas conquistas. As mais recentes foram:

– O recorde das vendas de celulares, que cresceram 149% em termos de receita em 2016 e representaram cerca de um terço do faturamento da companhia no ano.

A introdução da Quantum, nova marca de smartphones com a melhor relação entre preço e especificação do mercado brasileiro.

– O licenciamento da VAIO, marca de notebooks premium que alia performance a designs exclusivos para os públicos mais exigentes no Brasil, na Argentina, no Uruguai e no Chile.

– A expansão internacional com novos projetos educacionais de grande escala na África e operações já consolidadas na América Latina, sob a marca Positivo BGH.

– A aquisição de 50% do capital da Hi Technologies, startup em preparativos finais para o lançamento de produtos disruptivos na área de tecnologia médica em 2017.

A Positivo Tecnologia visa continuar aprofundando seu foco em inovação para oferecer constante atualização em dispositivos somados a softwares que melhorem a qualidade de vida de seus consumidores, no Brasil e no exterior. “A dobradinha PC e smartphones vai muito bem, e nosso objetivo é expandir para outros segmentos promissores, como é o de telemedicina. Assim como com o computador na década de 1980, queremos sair na frente com outros devices. Estamos ávidos por novidades e estaremos alinhados às novas tecnologias que estão surgindo e farão parte da rotina do brasileiro, em um futuro próximo”, finaliza Hélio.

Gostou? Quer compartilhar?

Cabify estreia em Curitiba nesta semana

A Cabify, plataforma espanhola de soluções para mobilidade urbana, confirma o dia 22 de março como a data oficial para o início de suas operações em Curitiba. A estreia vai contar com vários códigos promocionais: durante toda a quarta-feira, os moradores da cidade poderão aproveitar o FreeDay Cabify com o código VEMCURITIBA, que oferece desconto de 100% em até 3 corridas de R$ 20 no dia de início das atividades, válido para novos usuários.

Nos dias seguintes ao lançamento, a Cabify vai oferecer diversos vouchers promocionais aos usuários. Entre os dias 23 e 30/03, os curitibanos poderão aproveitar 50% off em até 10 corridas com o código CABIFYCWB e do dia 30 até 13/04, o código CAPIVARA oferecerá 25% em até 20 corridas. Os voucheres CABIFYCWB e CAPIVARA são válidos para todos os usuários.

Para utilizar os códigos promocionais, basta inseri-los na seção “Promoções” do aplicativo. Os descontos são sempre válidos até às 20h59 do último dia de prazo. “Trabalhamos oferecendo descontos para a população como forma de atrair um público cada vez maior para utilizar a Cabify na cidade e conhecer os diferenciais que oferecemos, como qualidade e segurança do serviço”, explica Thais Cunha, gerente geral da Cabify em Curitiba.

Outro diferencial da Cabify é proporcionar precificação da corrida sem tarifa dinâmica. “A Cabify procura trabalhar com um preço justo e por isso optamos por esse modelo de cobrança”, afirma Daniel Velazco-Bedoya, diretor geral da Cabify no Brasil. A empresa trabalha tendo como base apenas a melhor rota entre o ponto de partida e chegada, calculando apenas a quilometragem, sem levar em consideração fatores externos como tempo, trânsito, entre outros. “Nossa preocupação é construir uma relação transparente e bastante próxima com nossos usuários e também com motoristas parceiros, que têm na Cabify uma chance de desenvolver seu trabalho com segurança, obtendo um lucro justo”, complementa.

Em Curitiba, a plataforma inicia sua presença com o Cabify Lite, uma categoria mais acessível. Inicialmente, a plataforma atenderá os bairros Batel, Centro, Centro Cívico, Água Verde, Jardim das Américas, Cristo Rei, Cabral, parte de Santa Felicidade, Mercês, Portão, Novo Mundo, Boqueirão, São Brás, Ecoville, Ahu e o aeroporto Afonso Pena.

A Cabify iniciou a operação no Brasil em junho de 2016 e, além de Curitiba, está presente em São Paulo, Santos, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre. Recentemente, a empresa anunciou expansão também para Brasília e Campinas, cidades nas quais deve começar a operar em breve.

Gostou? Quer compartilhar?

TI do Paraná conquista Bancada Digital na Assembleia Legislativa

Em uma iniciativa, do deputado estadual Guto Silva, a Assembleia Legislativa do Paraná cria uma Frente Parlamentar de Tecnologia da Informação e Comunicações. A Bancada Digital veio de demanda do setor, representado por Arranjos Produtivos Locais de TI e da Assespro-Paraná, que representa as empresas de tecnologia. Também conta com apoio de importantes entidades empresariais, secretarias e empresas e órgãos governamentais e academia. Veja os detalhes na reportagem do programa Valor Agregado.

Gostou? Quer compartilhar?

De volta a Curitiba, Go Digital reúne especialistas em Marketing Digital do Brasil e dos EUA

Quando mais da metade da população brasileira possui acesso à internet, uma coisa é certa: qualquer empresa que não queira perder oportunidades de negócio precisa estar conectada. Mas como utilizar este meio da melhor maneira? Quais as melhores estratégias e as novas tendências do Marketing Digital para atingir o público desejado?

É com essa proposta e com o objetivo de responder essas perguntas que, após o sucesso da primeira edição, em 2015, o Go Digital volta a Curitiba nos dias 9 e 10 de dezembro para mais uma imersão no universo digital. Desta vez, de uma forma ainda mais impactante.

Em cada um dos dois dias de evento, quatro palestrantes ministrarão palestras sobre alguns dos assuntos mais relevantes da área. Serão 16 horas em que os participantes aprenderão mais sobre mídias sociais, Growth Hacking, Inbound Marketing, estratégias de Marketing Digital, Neuromarketing, entre outros.

“Vemos que a internet ainda tem um grande potencial a ser explorado, mas as pessoas acabam limitando seus resultados, justamente por não conhecerem as estratégias e ferramentas adequadas. Queremos ajudá-las a mudar isso”, explica Carlos Müller, diretor de Marketing da CreativeBizz (creativebizz.com), agência digital idealizadora do evento.

Para garantir o alto nível de conhecimento, um time de peso foi convocado para palestrar. Além de nomes do próprio Paraná, profissionais atuantes nos mercados de Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro estarão no encontro, que será realizado na Universidade Positivo. Isto sem falar na presença internacional e exclusiva no evento, que vem diretamente dos Estados Unidos para o palco do Go Digital.

“Um dos destaques é o gerente de Marketing da HubSpot para a América Latina, que virá dos EUA especialmente para participar conosco”, antecipa Müller. “Trata-se de ninguém menos que uma das principais empresas do mundo em estratégias e resultados na web. Enfim, será uma oportunidade realmente diferenciada”, completa.

Outro nome de destaque é Cristiano Santos, coordenador de Mídias Sociais da Editora Globo, que faz sua segunda participação no evento e, este ano, vem com uma nova palestra. “Enquanto especialista de peso que é no LinkedIn, o convidado trará todas as novidades para quem deseja otimizar os resultados nesta rede social”, ressalta.

As inscrições já estão abertas e podem ser feitas na página do Go Digital, onde também está disponível toda a programação do evento.

Mercado de Marketing Digital

Segundo o IAB Brasil (Interactive Advertising Bureau), referência no mercado publicitário, os negócios online movimentaram mais de R$ 9,3 bilhões em 2015. Para 2016, a previsão é de crescimento de 12%, chegando a R$ 10,4 bilhões.

O segmento que mais movimentou verbas publicitárias foi o search/classificados. Nele, foram gastos R$ 5,16 bilhões, seguindo por R$ 3,14 bilhões de Display/redes sociais. Já vídeo ficou em terceiro lugar com R$ 1,03 bilhão. Liderada pelo IAB Brasil, a pesquisa foi batizada de Digital AdSpending e teve entre os seus mentores o ComScore e a colaboração empresas que compõem o mercado online brasileiro.

Evento: Go Digital 2016 – Evento de Imersão em Marketing Digital

Data: 9 e 10 de dezembro (sexta-feira e sábado)

Horário: 8h às 18h30

Local: Universidade Positivo (auditório do Bloco Azul)

Endereço: Rua Professor Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido

Inscrições e programação: http://eventogodigital.com.br/

Mais informações: (41) 3019-9500

Gostou? Quer compartilhar?

Setor de TI do Paraná vai ter Bancada Digital na Assembleia Legislativa

Em visita ao Comitê Estadual de Governança de Tecnologia da Informação e Comunicações, o deputado estadual Guto Silva anunciou a criação de uma bancada digital na Assembleia Legislativa. A iniciativa visa fortalecer o setor de TIC, considerado um dos mais importantes para o crescimento da economia do Paraná. Veja mais detalhes em reportagem do Valor Agregado.

Gostou? Quer compartilhar?

Aiqfome: nova opção de aplicativo em Curitiba para mercado de delivery online

O consumidor curitibano passou a contar com mais uma opção de aplicativo para pedir comida em casa. Criado em Maringá, o Aiqfome chega à capital com o desafio de competir com os gigantes do setor – Ifood e Pedidos Já. A aposta, segundo os seus sócios, é unir a melhor experiência para os usuários e restaurantes a um suporte ágil e fácil.

Com um modelo exclusivo de licenciamento, a empresa fundada em 2007 vem crescendo 20 % ao mês, e hoje é a 3ª maior plataforma do mercado de delivery online nacional. Além do aplicativo para iOS e Android, há possibilidade de pedir as comidas pelo site.

“Somos, acima de tudo, usuários e queremos oferecer a melhor experiência possível para os nossos clientes”, afirma Igor Remigio, CEO do Aiqfome.

A empresa paranaense registra mais de 35 mil pedidos mensais, em 32 cidades de sete estados (Paraná, Minas Gerais, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Maranhão, São Paulo e Mato Grosso).

A entrada na capital é considerada como estratégica para a empresa. Para isto, o aplicativo já conta com cerca de 90 restaurantes à disposição dos clientes, como: Carolla D.O.C, Beto Batata, Peixe Frito, Ernesto Ristorante, Família Sfiha, Genius, Mercatu, Cidadão do Mundo Burger, Porta Romana, Porco Nobre Suggus, Rock and Honda, Rei do Camarão entre outros.

Outro ponto destacado pelo CEO é o modelo adotado para a expansão do Aiqfome no país. A operação é local, o que reduz custos, garante mais agilidade e cria condições para soluções que atendam demandas específicas. “Nossos licenciados são os donos do negócio também. Têm a autonomia de negociar os contratos e propor ações de marketing direcionadas”.

Marketing

Aliás, as mídias sociais são os principais destinos das verbas de marketing da startup. Páginas no Facebook e o perfil no Instagram trazem promoções, sorteios e brindes destinados e segmentados para atingir o público-alvo.

Remigio afirma, ainda, que a concorrência não assusta: “pelo contrário, é estimulante”, já que o mercado ainda é novo e há um altíssimo potencial de crescimento.

“Hoje, nove a cada 10 pedidos de delivery ainda são realizados pelo modo tradicional, via telefone. Com a popularização das soluções de delivery online como o Aiqfome, estimamos que em poucos anos os pedidos online irão ultrapassar os por telefone, como ocorreu em 2015, nos Estados Unidos”.

Mais informações sobre o licenciamento do aplicativo estão disponíveis no link franquia.aiqfome.com

Gostou? Quer compartilhar?

CMMI Institute anuncia nova certificação profissional

CMMI® Institute anuncia uma nova certificação para profissionais que buscam avançar sua experiência na melhoria de desempenho. Milhares de organizações ao redor do mundo como GE Aviation, Hewlett Packard, Honeywell, IBM, Infosys, Raytheon, Samsung e Força Aérea dos EUA têm utilizado a CMMI para formar capacitação em seus processos, pessoas e tecnologia a fim de fornecer resultados. Ao reconhecer que os principais empregadores buscam candidatos que possuem conhecimento avançado, experiência e capacidades necessárias para conduzir o desempenho organizacional e rentabilidade, o programa Certified CMMI Professional confere às pessoas um modo de manter sua competitividade.

Com base na estrutura de melhoria da capacidade adotada a nível global, a Capability Maturity Model Integration (CMMI)®, o programa Certified CMMI Professional® fornece aos profissionais a diretriz para elevar e manter habilidades dentro de áreas alvo estratégicas consideradas mais críticas a fim de avançar as capacidades chave de sua organização.

Conforme a Pesquisa Salarial Dice.com 2015, “habilidades e experiência de CMMI comandam um aumento salarial de 7,6% ao longo do último ano.” Este é um aumento para um salário médio de US$ 124.265. De fato, milhares de ofertas de trabalho ao redor do mundo exigem atualmente candidatos com credenciais de CMMI. O programa de certificação Certified CMMI Professional agrega valor instantâneo às organizações ao proporcionar aos profissionais o treinamento prático e exames baseados em cenários. O programa de certificação avança e valida a habilidade dos profissionais de:

– Fornecer roteiros organizacionais para dar suporte à elevação de desempenho

– Treinar membros da equipe sobre como melhorar o desempenho

– Conduzir os esforços de mudança organizacional em curso

– Estabelecer uma cultura de contínuo aperfeiçoamento

Candidatos ideais para esta certificação são aqueles que buscam dar suporte às suas organizações ao formar uma cultura de contínuo aperfeiçoamento, comparando suas operações com as melhores práticas industriais e depois identificando e remediando deficiências de desempenho. A certificação está disponível aos profissionais que tenham um mínimo de três anos de experiência em desenvolvimento de produtos ou sistemas, prestação de serviços ou aquisição de produtos / serviços.

“Estamos muito satisfeitos em introduzir esta certificação profissional para profissionais que visam a agilizar operações dentro de suas organizações e avançar sua capacidade de ascensão,” disse Kirk Botula, Diretor Executivo do CMMIInstitute. “Nossa meta é ajudar profissionais a obter a mais alta qualidade e entrega mais confiável de seus projetos e programas, enquanto mantém seu profissionalismo no mercado competitivo atual.”

Empresas que implementam a CMMI irão se beneficiar do investimento em treinamento e certificação para suas equipes de CMMI, de modo que possam entender melhor o valor comercial de cada requisito de CMMI e como isto afeta a qualidade e desempenho de projetos. “Toda a equipe superou os desafios e criou novas ferramentas e padrões, desenvolvendo um novo e moderno processo para o desenvolvimento de softwares,” disse Carlos Henrique Novaga Alves, gerente geral de soluções industriais em TI na Chemtech (uma empresa da Siemens). “Isto proporcionou uma oportunidade única para a equipe repensar como nosso processo é executado — desde levantamento de requisitos até aumento da produtividade. A implantação de CMMI também foi um modo de alavancar o conhecimento do processo entre todos os colaboradores, treinando toda a empresa sobre o novo processo e ferramentas enquanto cria um novo padrão de trabalho.”

Profissionais que buscam levar suas carreiras ao próximo nivel devem aplicar agora o programa Certified CMMI Professional.

Gostou? Quer compartilhar?

Era digital traz novo fôlego à economia

Por Allan Pires

Na semana passada tivemos mais cenas de choro em cadeia nacional e em horário nobre, principalmente discursos sobre injustiças cometidas contra importantes personagens políticos. Entretanto, não tivemos nenhuma consolação para quem depende da estabilidade do governo para poder trabalhar e converter esforço em renda.

A verdade é que o nosso atual cenário político se assemelha a uma novela mexicana que parece não ter fim e, infelizmente, está atraindo milhões de espectadores internacionais com a espetacularização política. E o que já é difícil para nós brasileiros compreendermos, fica ainda mais difícil para quem não está acostumado com os nossos mandos e desmandos e “voos de galinha”.

A cada contato que tenho com estrangeiros a mesma pergunta surge: “Eu não entendo o que se passa no Brasil, você poderia explicar?”. Eu já estava acostumado a esta pergunta quando tinha que apresentar nosso sistema tributário para um estrangeiro, o que não é tarefa nada fácil de fazer. E sempre ouvia a expressão “Mas isto não faz sentido”. Até já me acostumei com o termo.

Quem vive fora do Brasil acredita que o nosso país oferece oportunidades de crescimento e investimentos. Falo dos empreendedores, investidores, empresas com operações globais, parceiros estratégicos, fornecedores, etc. Pelo potencial de mercado interno, força de trabalho e recursos naturais, nós estaremos sempre no mapa das grandes operações globais.

Agora, as dúvidas estão em relação ao que iremos fazer para aumentar a competitividade, elemento importante para quem quer retomar o crescimento. Os olhos ainda estão voltados para o nosso mercado e o setor de Tecnologia da Informação continua crescendo a passos largos, impulsionado pela economia digital.

Um exemplo claro desse movimento está ligado ao futuro dos negócios digitais no Brasil, que gera em torno de 1,3 milhões de empregos, segundo a Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação. Como os negócios estão cada vez mais se transformando em digitais, dois dos elementos-chave que propiciam a viabilidade, o aumento da produtividade e, logo, a competitividade das empresas brasileiras se referem à disponibilidade e custo no setor de telecomunicações, principalmente Internet, Data Center e Nuvem.

Os serviços de Data Center e Nuvem são considerados, junto com a ferramenta Analytics, as três prioridades de investimentos em tecnologia mundiais, de acordo com o Instituto Gartner. Pesquisa recente sugere uma forte reorientação das prioridades em relação aos negócios digitais e à necessidade de recuperar o atraso. Além disso, o relatório traz uma informação surpreendente: os CEOs estão mais direcionados aos negócios digitais que os próprios CIOs de empresas.

Com o mercado tomando um rumo digital, temos desafios para estimular novos investimentos locais e internacionais ou, ainda, a utilização destes serviços por provedores externos principalmente porque não definimos como ponto de partida que o acesso à internet deveria ser cada vez mais universal – há propostas para a limitação da capacidade ou velocidade da Internet – ou um modelo tributário claro que acelere o uso de Data Centers, gerando eficiência para as organizações. Vale ressaltar que há planos de novas ofertas e de novas bandas de frequência de transmissão em Países de primeiro mundo, forçando a redução do custo de internet fortemente.

Acredito que a digitalização da economia é a chave para recuperarmos o fôlego no Brasil. Entretanto, a capa da revista The Economist com o Cristo Redentor ilustra muito bem o looping que estamos vivendo. Não só pela economia, mas também pela instabilidade gerada pelas (não) decisões que deveriam ser tomadas e lideradas pelo governo. Vários empreendimentos digitais estão postergando seus investimentos em nosso país, adiando, assim, oportunidades para toda a cadeia produtiva, o que levaria também novas oportunidades de emprego para uma massa significativa de pessoas.

Pessoas estas que estão chorando sozinhas em seus lares porque seus choros e lamentos não são ouvidos por quem deveria pensar no futuro do nosso país. E não há muito nas comunicações oficiais dos Governos que mostrem que temos um caminho claro. Planos de recuperação econômica, que são comuns em países em recessão, parecem uma coisa muito distante por aqui.

Allan Pires é CEO da multinacional dinamarquesa Targit para a América Latina e Texas

Gostou? Quer compartilhar?

Comitê da Governança de Tecnologia da Informação e Comunicação realiza primeira reunião técnica

Na primeira reunião técnica dos integrantes do Comitê Gestor da Governança de Tecnologia da Informação e Comunicação (Governança TIC), realizada nesta sexta-feira (1º) no Sebrae em Curitiba, foi apresentado um histórico e objetivo da Governança por meio de um estudo elaborado pela equipe do Sebrae, além de discutidos com os representantes das instituições presentes o formato de trabalho, desafios e ações de curto prazo e iniciado um planejamento de longo prazo.

O comitê é formado pelo Governo do Estado, universidades, empresas e entidades de diversas áreas, com o objetivo de estimular ações que promovam o desenvolvimento integrado de diferentes setores da economia paranaense, através do potencial da tecnologia, informação e comunicação. O coordenador de Ciência e Tecnologia da Seti, Evandro Razzoto, destacou a importância desta integração de diversos setores para o fortalecimento do projeto de Governança e estabelecimento de metas. “O Sebrae e a Assespro foram os grandes fomentadores deste trabalho que agora conta com a participação de todos os setores necessários para que criemos uma estratégia para avançarmos ainda mais no desenvolvimento e implantação de novas tecnologias já que há uma grande demanda no estado e temos potencial para isso”, disse.

As demandas e tecnologias existentes em TIC foram apontadas no estudo realizado pelo Sebrae que tem o objetivo de proporcionar um melhor entendimento do setor e os ativos existentes no estado que podem potencializar o desenvolvimento do Paraná. “Esta é alternativa diferenciada que encontramos para aproximar os seguimentos e encontrar caminhos para o desenvolvimento e aplicação de novas tecnologias. É uma oportunidade ímpar para o Paraná”, ressaltou o consultor do Sebrae (PR) e gestor do Projeto Empresas de Alto Potencial, Emerson Cechin.

O presidente da Assespro (Associação das Empresas de Tecnologia da Informação, Software e Internet no Paraná), Sandro da Silva, salientou que o Paraná tem potencial para ser referência nacional no desenvolvimento de TIC. “Assim como o Paraná é destaque no Brasil no setor da agricultura, temos potencial em número de Arranjos Produtivos Locais, certificação em qualidade de software e em número de empresas no setor, para também sermos referência em tecnologia”, afirmou.

A expectativa do diretor superintendente do Parque Tecnológico de Itaipu, Juan Carlos Sotuyo, é que o comitê estabeleça ações diretas nos APLs e, num segundo momento, promova as conexões necessárias em relação à infraestrutura, análise apresentada a partir do mapa elaborado pelo Sebrae, que apontou a Educação, Infraestrutura, Inovação e Competitividade como áreas de trabalho essenciais para o desenvolvimento das estratégias. “Sobre Educação, cada APL pode desenvolver suas ações com escolas, universidades e institutos de pesquisas para estudarmos as cadeias produtivas de cada região onde estão as demandas em tecnologia, inovação e competitividade”, disse.

O grupo vai definir agora um cronograma de reuniões, possivelmente mensais, para discutir as ações e desafios da Governança TIC. “Acredito que a grande missão desta Governança é a promoção da integração da academia com as empresas para trabalhar o conhecimento que tenha valor agregado para o mercado. O mercado então pode sugerir as suas demandas e as universidades pesquisam para que isso seja transformado em um produto”, espera o gestor presidente do APL de Software de Curitiba e Região Metropolitana, Marcelo Woiciechovski.

Para o presidente do APL Iguassu-IT (Oeste do Paraná), Nérisson Leonhart, a formação e as ações do comitê são a materialização de um esforço da rede APL de juntar todas as forças do estado para um debate no sentido de potencializar um setor que está presente em todas as áreas. A integração das ações do governo, do setor empresarial e das universidades reunidas no projeto de governança busca estimular o debate sobre a inovação em produtos e serviços, ecossistemas produtivos direcionados ao mercado nacional e internacional, relacionados a TIC.

REPRESENTANTES – O Comitê Gestor é presidido pelo secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e composto por representantes da Secretaria Estadual do Planejamento e Coordenação Geral; do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar); da Copel Telecomunicações; da Celepar; Fomento Paraná; da Comissão de Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa, do Parque Tecnológico de Itaipu, pelas federações da Indústria (Fiep) e Comércio (Fecomércio), Sebra-PR; Assespro-PR, pelos Arranjo Produtivo Local (APL) de TI de Londrina e Região, APL de Software de Maringá e Região, APL Iguassu-IT (Oeste do Paraná), APL de TI do Sudoeste do Paraná, APL de TIC de Ponta Grossa e Região, das universidades estaduais do Paraná, Universidade Federal do Paraná, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, do Centro de Tecnologia da Informação da Universidade Positivo.

Fonte: Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná

Gostou? Quer compartilhar?

4Results promove Café da Manhã Fiscal em Curitiba


Em Curitiba, será realizado o Evento – Café da Manhã Fiscal no dia 14 de julho, com o patrocínio da 4Results em parceria com o Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças – IBEF-PR.

O palestrante é Carlos A. Nascimento, administrador, com especialização em tributos, consultor e palestrante, executivo com mais de trinta anos de atuação na Gestão Fiscal dos impostos diretos e indiretos em empresas industriais, comerciais e de prestação de serviços. Desde 2005 atua pela Thomson Reuters, como Consultor e representante de empresas integrantes do Grupo piloto (GT-48), sob a Coordenação da Secretaria da Receita Federal em conjunto com as fazendas estaduais, no processo de implementação do Sistema Público de Escrituração Digital – SPED.

Saiba mais em www.4results.com.br

Gostou? Quer compartilhar?

CIO Global Summit 2016: a Transformação Digital e o novo papel do CIO

Curitiba sediou o primeiro evento de uma série de seis do CIO Global Summit 2016, realizado pela revista CIO. Veja como foi o encontro patrocinado pelas empresas curitibanas Prime Control e Qualityware.

Gostou? Quer compartilhar?

Como abrir uma empresa – 8 pontos fundamentais

Quer ter um negócio próprio? A abrir uma empresa é uma decisão de grande responsabilidade, sendo necessários diversos processos, que necessitam de atenção, principalmente, nos detalhes mais técnicos. Alguns pontos de destaque são elaboração do contrato social, a escolha do tipo de tributação da empresa, a escolha do imóvel, obtenção de alvará.

Veja alguns pontos que o diretor executivo da Confirp Contabilidade, Richard Domingos, selecionou para ser levado em conta antes de abrir uma empresa.

Planejamento do negócio – O grande problema na maioria das empresas abertas é que isso ocorre impulsivamente, e em função disso não há um plano de negócio estabelecido, público alvo e estrutura necessária, assim, antes de qualquer coisa é necessário sentar e ver o que se pretende e como se objetiva atingir.

Muitas vezes após essa primeira análise se percebe a necessidade de uma capacitação e hoje se encontra um grande número de cursos de capacitação para empreendedores, muito desses gratuitos. Também é importante pesquisar como está o mercado em que pretende atuar, para ver em qual nicho de público se encaixará.

Cálculo de custos para começar a funcionar – É preciso que se tenha em mente que para colocar uma empresa para funcionar haverá custos que vão além dos que já se conhece no dia a dia de uma empresa com infraestrutura e pessoal. Dentre esses os principais são as taxas da junta comercial e da emissão do alvará, dentre outras que variam de acordo com a localidade e o ramo de atuação.

Para facilitar esse processo existem profissionais especializado em resolver a burocracia, para se ter ideia, a Confirp tem uma área que apenas se responsabiliza por isso, tirando do cliente qualquer ‘dor de cabeça’ relacionada ao tema.

Elaboração do contrato social – Para toda empresa funcionar é imprescindível que se elabora um contrato social, é nesse documento que estão relacionados os pontos práticos do funcionamento da empresa. Pontos primordiais que devem englobar são informações como nome, endereço e atividade, capital social (valor ou bens investidos), qual a relação entre os sócios e como se dá a divisão dos lucros.

Importante frisar que quaisquer alterações contratuais, faz com que se tenha que refazer as inscrições federal, estadual e municipal e as licenças. As sociedades limitadas só podem alteradas se 75% do capital estiver de acordo. Geralmente o registro de um contrato social pode ser agilizado procurando o sindicato da categoria da empresa, sendo que o mesmo pode possuir um posto avançado da junta comercial. Com isso, todo esse processo pode ser finalizado em até 24 horas.

Opção pelo regime tributário que a empresa seguirá – Hoje três são basicamente três os regimes de tributação existentes, Simples, Presumido ou Real. A opção pelo tipo de tributação que a empresa utilizará deve ser feita até o início do próximo ano, mas, as análises devem ser realizadas com antecedência para que se tenha certeza da opção, diminuindo as chances de erros.

Outro ponto é que cada caso deve ser analisado individualmente, evidenciando que não existe um modelo exato para a realização de um planejamento. Apesar de muitos pensarem que melhor tipo de tributação é o Simples, existem até mesmo casos que esse tipo de tributação não é o mais interessante, mesmo que a companhia se enquadre em todas as especificações.

Definição da estrutura física – Além de definir o local onde será o empreendimento é necessário também que se adquira toda uma estrutura para o funcionamento da empresa, e isso dependerá de cada ramo de atuação, podendo ir desde maquinário até material de escritório.

Sobre o local em que será é importante que se observe também se esse se adéqua ao público que pretende atingir e, principalmente, diretrizes estabelecidas pelo município referente ao local.

Obtenção de registros e licenças – hoje a burocracia é tanta para empresas que grande maioria não possuem todos os registros e licenças necessários para o funcionamento, no que se configura em um risco jurídicos para essas, dentre os registro necessários estão o habite-se do imóvel (autorização da prefeitura para que ele possa ser habitado) e as regras de ocupação de solo (cada cidade define regras específicas em leis de zoneamento), alvará de funcionamento, pagamento de taxas de funcionamento, dentre outras licenças necessárias dependendo da atividade da empresa.

Veja todos os documentos necessários e em quais órgão buscar:

• Junta Comercial: registros dos atos sociais (contrato social, atas de reuniões, deliberações etc.).

• Receita Federal: para obtenção de registro do CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica).

• Prefeitura: para obtenção do Alvará de Funcionamento e nota fiscal, caso a empresa seja contribuinte do ISS (Imposto Sobre Serviços).

• Secretaria Estadual da Fazenda: para obtenção de inscrição Estadual.

Contratação de uma contabilidade – Toda empresa necessita de uma contabilidade par funcionar. Essa que será responsável por estar gerando as informações imprescindíveis para a empresa esteja em dia com os órgãos públicos.

Também são responsáveis pelo cálculo de impostos e tributos que a empresa deverá pagar, bem como análise da situação contábil da empresa e geração de informações imprescindíveis para a gestão empresarial

Processo de contratação de profissionais – Sua empresa terá necessidade de funcionários? Se sim é necessário abrir processos seletivos para contratação, hoje esse ponto é um dos mais problemáticos para as empresas em função de um crescente apagão de mão de obra que passa o país. Após a contratação é necessário elaborar o contrato de trabalho, definir salários benefícios ver qual o melhor regime de trabalho e regularizar o mesmo junto ao INSS.

Gostou? Quer compartilhar?