Tecnologia americana acelera indústria e aprovação de novos produtos no Grupo Boticário

O período de isolamento social mudou a forma de se trabalhar em diversos setores e na indústria da beleza não foi diferente. No Grupo Boticário, a necessidade de se manter a alta produção e atender às novas demandas dos consumidores dentro de um cenário inédito e cheio de desafios, acelerou processos de produção e homologação de novos produtos, unindo de maneira remota, mas muito eficaz, o centro de Pesquisa e Desenvolvimento do Grupo no Paraná com a fábrica na Bahia.

Uma das tecnologias que já estava sendo estudada e foi viabilizada durante a pandemia. O time de inovação do Grupo Boticário em São José dos Pinhais (PR) trouxe dos EUA alguns óculos de realidade aumentada que ficam interligados em tempo real à produção de cada item na fábrica em Camaçari (BA), aumentando assim a qualidade do processo e aproximando quem cria de quem lança o produto.

A novidade faz parte da evolução tecnológica atravessada pelo Grupo Boticário nos últimos anos, quando foi implantado um programa de operações 4.0 para desenvolver novas ideias com metodologia ágil, comum em startups e empresas pequenas. As tecnologias são implantadas de forma rápida e os ajustes são feitos ao longo do processo, sendo aprimorados ao longo do seu uso, mas sem perder tempo com protótipos, o que também gera menos custos.

Antes da pandemia, semanalmente havia viagens de algum dos especialistas de São José dos Pinhais para Camaçari, para acompanhamento de testes durante o desenvolvimento dos produtos ou para acompanhamento da primeira produção. Devido a COVID-19, a fim de garantir a segurança dos funcionários as viagens foram cessadas, mas os desenvolvimentos continuaram acontecendo normalmente, e com esta tecnologia, o especialista no desenvolvimento do produto, que fica no Paraná, estabelece conexão direta com o operador na fábrica, na Bahia, que recebe suporte de áudio e vídeo enquanto executa a produção, sem impactar na sua produtividade, pois pode manter suas mãos livres enquanto recebe orientações do especialista.

Os “smart glasses” são produzidos pela Vuzix e distribuídos no Brasil pela Totalpower, que desenvolve softwares de suporte remoto, digitalização de processos operacionais e desenvolvimentos em realidade aumentada.

A tecnologia também colabora para o aumento da produtividade dos especialistas, que normalmente gastavam 18 horas em deslocamento, considerando uma viagem de ida e volta entre as fábricas, além dos ganhos de sustentabilidade, já que para cada viagem evitada deixou-se de emitir 410 kg de gás carbônico (CO2).

“Esse período pelo qual ainda estamos passando nos desafia diariamente a pensar em soluções que façam sentido para nossos consumidores e, ao mesmo tempo, sejam ágeis para o dia a dia do nosso negócio. Os óculos de realidade aumentada são uma das várias formas que temos encontrado no Grupo Boticário para seguir produzindo com qualidade, mantendo a segurança dos nossos colaboradores e atendendo as necessidades de todos os perfis da população”, disse Paulo Roseiro, diretor de Pesquisa & Desenvolvimento do Grupo Boticário.

Tags , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.