Venda e aluguel de imóveis usados no Paraná em julho têm crescimento de 78% comparado a pré-pandemia

Em meio a crise do coronavírus, o mercado imobiliário aponta sinais de retomada com aumento de venda e aluguel de usados. De acordo com o levantamento do Painel Mercado Imobiliário (PMI), da proptech inGaia, a venda e aluguel de imóveis usados no Paraná no mês de julho teve um crescimento de 78% comparado a fevereiro – período pré-pandemia. Os fechamentos também foram 29% superiores ao mês passado (junho). A plataforma acompanha o impacto da pandemia no mercado imobiliário por meio de sua base de dados, que atualmente possui mais de 7,2 mil imobiliárias e administradoras de locação e 40 mil usuários.

Ainda segundo levantamento do painel, o mercado de imóveis usados no Paraná também teve um aumento no número de visitas realizadas, passando de 3,9 mil em junho para 4,3 mil em julho, além de um crescimento de 21% na quantidade de propostas realizadas neste mês.

Para o presidente da inGaia, esse crescimento está relacionado a fatores como juros baixos e uma demanda reprimida no setor. “A pandemia do coronavírus vai ter um impacto enorme na economia do país, no entanto, nós temos uma demanda reprimida pelos cinco anos de recessão que enfrentamos no Brasil, juros de 2% e redução das taxas para financiamento de imóveis. Esses fatores colaboram para o aquecimento do setor, que irá crescer muito nos próximos anos”, explica Mickael Malka.

Com três milhões de imóveis listados em sua plataforma e base de dados que representa 25% do mercado secundário imobiliário, de janeiro a dezembro de 2019 a inGaia acompanhou o valor geral de R$ 13,5 bilhões nas transações de compra e venda e R$ 1,2 bilhão no valor geral das operações de locação.

inGaia PMI

O Painel do Mercado Imobiliário (PMI) mostra os impactos da pandemia nas quatro etapas que compõem o funil de vendas de imóveis: o acesso aos sites de imobiliárias, visitas concluídas, propostas e o fechamento de transações, em comparativos semanais, mensais, anuais e, também, de acordo com a evolução da pandemia no Brasil. Os panoramas regionais de 13 estados também são apresentados.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.